Sempre que falamos de tesouro direto é importante sabermos que existem duas formas bem distintas de avaliação da rentabilidade.

Estamos falando da Marcação a mercado e Marcação na Curva de juros. Basicamente a marcação a mercado faz um cálculo de valor presente do título, já a marcação na curva leva em consideração a rentabilidade contratada no intervalo até o vencimento.

Vamos conhecer um pouco mais sobre cada metodologia e precificação dos títulos do Tesouro Direto.

Marcação pela Curva de Juros

O preço na curva nada mais é do que o preço pelo qual você pagou o título multiplicado por 1+ os juros elevados no tempo, ou seja, os juros compostos aplicados ao seu investimento.

O pessoal do mercado costuma dizer que a marcação na curva de juros é o papel “apregoado” da remuneração. Isso quer dizer que se você comprou um título por R$ 100,00 o valor dele pela curva de juros são os R$ 100,00 mais os juros e a inflação se for o caso.

Porém, essa metodologia de calcular o valor que os juros compostos haveriam somado só são úteis se você for resgatar o investimento somente na data do vencimento.

A marcação pela curva de juros não tem efeito real para a data atual. Isso quer dizer que se você for vender o investimento hoje provavelmente o valor será diferente do que esse cálculo.

Esta variação acontece porque ocorrem oscilações na taxa de juros e outros aspectos macroeconômicos afinal a economia pode melhorar ou piorar ao longo dos anos afetando o valor do seu titulo. E é ai que entra a marcação a mercado.

Marcação a Mercado

O preço a mercado nada mais é que o preço atual do título, ou seja, o valor de mercado do dia. Para este cálculo no tesouro pré fixado utilizamos a fórmula abaixo:

Fórmula Marcação a Mercado

Aqui o preço ou valor de mercado é obtido pelo VN que é o valor nominal (sempre R$ 1.000,00 nos títulos pré fixados) divido por 1 + a taxa de juros elevado no prazo (dias úteis divido por 252).

O cálculo do tesouro pré fixado como você pode ver acima é relativamente simples de se fazer e tem uma utilidade maior como veremos mais a frente nas estratégias de investimento do tesouro.

Vamos utilizar o exemplo:

Marcação a mercado e Marcação na curva

Neste exemplo caso utilizemos a formula com o preço no vencimento e vamos descobrir que a taxa anual é de 10,88% a.a. Para calcular o valor na curva bastaria aplicar a fórmula dos juros compostos para obter o valor do ativo no dia.

O problema é que fazendo isso você vai perceber que a conta não fecha. Isso acontece porque a taxa a.a. não seria a mesma! O titulo, poderia se valorizar ou desvalorizar.

Veja outro exemplo:

Marcação a mercado e Marcação na curva

Nesta segunda situação vamos encontrar uma taxa anual de 11,10% ao ano, o que significa que o titulo teve uma valorização. Mas é importante saber que o oposto também pode acontecer. Acredito que a forma mais clara de se compreender marcação a mercado e marcação na curva seja através do gráfico de um título.

Marcação a mercado e Marcação na curva

Nas linhas azuis podemos observar o preço na curva. Aqui fica fácil perceber que a taxa que é pré fixada fica estável em 11% e o valor do título cresce de forma linear de aproximadamente R$ 740,00 até os R$ 1.000,00 na data de vencimento.

Já nas linhas vermelhas temos o preço a mercado do título, tanto o PU como a remuneração da taxa de juros.

Neste caso em específico pode-se afirmar que houve uma redução da taxa SELIC porque é visível que o valor do título cresce de forma muito mais rápida na linha contínua vermelha em relação a linha contínua azul e também podemos perceber isso onde a remuneração da taxa de juros (onde era constante em 11% a.a na linha azul pontilhada) tem uma forte queda na linha vermelha pontilhada chegando próximo a 9%.

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!