Você tem planos de se tornar um consultor de investimentos? Ainda não conhece direito a função, mas está interessado em saber mais? Pois bem, esse artigo definitivamente é para você. 

Primeiramente: o que é um consultor de investimentos?

É aquele profissional, graduado e certificado pela CVM, que recomenda, oferece apoio e aconselhamento aos clientes. De modo geral, é ele quem vai entender as necessidades e a situação atual de um investidor. 

Com essas informações, vai ajudar essa pessoa a tomar a melhor decisão possível em relação ao seu dinheiro. 

O que o consultor faz, na prática?

No dia a dia de um consultor de investimentos, há três atividades principais.

Diagnóstico:

Esse é o momento de conhecer o cliente. Aqui, ele vai entender o que essa pessoa busca. Além disso, saberá se o cliente planeja fazer aportes mensais e quais são os seus objetivos.

É, também, o momento de saber qual vai ser o valor inicial. Caso o cliente já invista em algo, o consultor fará uma análise sobre a situação.

Após tudo isso, o profissional será capaz de sugerir opções e fazer simulações para atingir as metas do seu cliente.

Otimização da carteira: 

Nessa etapa, o cliente já começou a investir. Mesmo assim, o trabalho não acabou.

É preciso continuar o trabalho, analisar os resultados e buscar opções para otimizar a carteira do cliente, ainda de acordo com as suas necessidades, e, também, com a sua evolução.

Acompanhamento

Com o tempo, os resultados virão. Estes, por sua vez, precisam ser analisados. Dessa forma, é possível seguir encontrando sempre os melhores caminhos para um cliente investir.

Além disso, nesse período, o cenário e até os objetivos do cliente podem mudar. Um consultor, no entanto, deve estar presente em qualquer situação.

Quanto ganha um consultor de investimentos?

A remuneração fixa desse profissional varia entre R$3.000 e $6.000. Entretanto, há ainda de se considerar um percentual recebido dos lucros do cliente.

Esse valor, por sua vez, é acordado antes de cliente e consultor fecharem uma parceria e trabalharem juntos.

Como se tornar um consultor de investimentos?

Muitos profissionais do ramo têm alguma graduação na área financeira. Entretanto, essa não é uma obrigatoriedade para quem deseja ser um consultor. É necessário, apenas, que o profissional tenha alguma graduação, em qualquer área.

O caminho para seguir essa profissão é este:

Conheça e entenda o mercado financeiro

Afinal, este será o seu campo de atuação. Portanto, nada mais natural do que ser necessário entendê-lo. Apesar de uma graduação na área não ser obrigatória, é fundamental ter conhecimentos sobre finanças e contabilidade.

Conquiste a sua certificação

Esse profissional precisa, obrigatoriamente, ser aprovado no exame da CVM. Isso pode ser feito após ter a graduação completa e a familiaridade necessária para trabalhar com finanças.

Além disso, desde novembro de 2017, a CVM também aceita a CEA e a CGA para conceder a certificação para consultores. 

Encontre seus primeiros parceiros e clientes

Um consultor não pode ser contratado por uma instituição financeira. Por isso, aqui é a hora de dar um gás no networking. 

Além disso, usar a tecnologia ao seu favor é uma excelente ideia. Assim, pode contar com plataformas de gestão de clientes que otimizam o seu trabalho. 

Qual a diferença entre um consultor de investimentos e um agente autônomo? 

Até esse momento, você provavelmente já notou alguma semelhança entre as duas funções. Isso porque, a grosso modo, ambos lidam com análises de investimentos.

A principal diferença entre um e outro está na independência.

Um consultor de investimentos, como já expliquei, não pode ser contratado por uma instituição. As suas orientações, portanto, devem ser baseadas unicamente nos objetivos e satisfação dos clientes.

Um agente autônomo, por sua vez, é proibido de atuar na recomendação de produtos. Pelo contrário: ele apenas trabalha com atividades comerciais e, ainda, como um intermediário, já que faz parte de uma instituição financeira.

E sobre a Instrução CVM 592?

A Instrução CVM 592 existe desde novembro de 2017. Foi essa normativa, inclusive, que tornou viável a profissão dos consultores de investimentos.

É ela quem define que um consultor atue através de aconselhamentos, recomendação e orientação personalizada de produtos. 

A Instrução ainda menciona os tipos de produtos com os quais se pode trabalhar. Títulos, ativos e outras informações sobre o mercado de valores imobiliários fazem parte da lista.

Lembra que falei sobre usar plataformas para trabalhar de forma mais ágil? A 592 foi a normativa que permitiu essa facilidade.

Preparado para se tornar um consultor de investimentos?

Se você ainda não tem tudo o que precisa, não se preocupe. A TopInvest está aqui para ajudar você. 

Além de te auxiliar a obter as certificações necessárias, também oferecemos cursos de desenvolvimento profissional e materiais gratuitos para você estudar. Partiu ser top?

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!