Quem se interessa pela área de investimentos certamente já cogitou diretamente trabalhar nela. As opções para quem tem essas aspirações são inúmeras e, neste artigo, eu vou falar de uma delas: a profissão de consultor de investimentos.

Já ouviu falar, ou apenas o título despertou a sua atenção? Então, continua comigo! 

O que é um consultor de investimentos?

O próprio nome já nos dá uma pista das atividades diárias desse profissional, não é? Em resumo, é o consultor de investimentos quem compreende as necessidades e objetivos de um cliente, para oferecer conselhos e orientações sobre o mercado financeiro.

Dessa forma, esse profissional existe para ajudar a sua cartela de clientes a tomar decisões mais estratégicas e inteligentes sobre seu patrimônio.

Qual a relação entre o consultor de investimentos e a CVM 592?

A Instrução CVM 592, estipulada pela Comissão de Valores Mobiliários, foi criada em 2017 com a finalidade de viabilizar o exercício da profissão de consultor de investimentos. 

Ademais, a Instrução também designa algumas recomendações sobre a prática, como as funções do consultor, bem como tipos de produtos com os quais ele pode trabalhar. Mesmo o uso de plataformas como forma de agilizar e dinamizar os serviços foi uma vantagem fornecida por esse regulamento. 

Cabe dizer, aqui, que para atuar como consultor de investimentos, é primordial que o profissional esteja registrado junto à CVM.

Quem pode ser consultor de investimentos?

Para se tornar um consultor de investimentos, alguns requisitos devem ser observados:

  • Ser graduado em alguma instituição de Ensino Superior;
  • Possuir uma certificação financeira que obedeça aos critérios da CVM;
  • Não ter histórico criminal;
  • Não estar suspenso de exercer cargos em instituições financeiras.

Download Gratuito

E-book de Carreiras no Mercado Financeiro

Baixar Material

O que faz um consultor de investimentos

Até aqui, tivemos uma visão geral sobre a profissão de consultor de investimentos. Agora, vamos entrar em alguns detalhes mais práticos do dia a dia de quem atua nesse ramo. Olha só:

Análise do perfil de investidor do cliente

Antes de fazer qualquer orientação, é natural que um consultor deva compreender qual o perfil de investidor de cada cliente. Para isso, deve elaborar uma série de perguntas pertinentes à situação, referentes, por exemplo, à tolerância ao risco, situação financeira atual, projeções futuras, personalidade e afins. 

Diagnóstico

De nada adianta coletar todas as informações do tópico anterior e não saber utilizá-las, certo? Nesta etapa, o consultor de investimentos analisa cada uma das respostas a fim de descobrir se seu cliente tem perfil de investidor conservador, moderado ou agressivo.

As orientações sobre como aplicar o seu patrimônio em títulos deverá ser feita somente após o diagnóstico correto deste perfil, uma vez que ele aponta o caminho para as escolhas futuras.

Otimização da carteira

Esta é a etapa na qual o cliente já tem seu dinheiro aplicado em alguns títulos. Contudo, este não é o fim da relação. Um bom consultor de investimentos continuará observando os movimentos do mercado financeiro e a evolução do cliente e seu patrimônio – tudo em prol da melhor otimização possível de sua carteira.

Acompanhamento

Depois de investir, os lucros começam a aparecer – ou as perdas. É papel do consultor estar atento aos resultados de suas decisões e auxiliar seu cliente a entendê-las. 

Outro ponto extremamente importante é que, periodicamente, o perfil de investidor deve ser analisado novamente. Afinal, conforme se familiariza com o mercado de investimentos, é natural que a personalidade do cliente mude em algum momento. Um exemplo clássico dessa evolução, inclusive, são os investidores de perfil conservador que começam a demonstrar interesse em ações.

Qual a diferença entre um consultor de investimentos e um agente autônomo?

Quando descrevemos as funções de cada um, de fato ambas as ocupações parecem extremamente similares. Contudo, há uma diferença primordial entre elas.

Um agente autônomo (AAI) sempre estará vinculado a uma instituição. Este profissional, além disso, está legalmente impedido de fazer recomendações de produto.

A atuação de um agente autônomo de investimentos é restrita a apenas uma corretora, dessa forma, o cliente precisará alocar todo o patrimônio na instituição em que você trabalha.

Já o consultor de investimentos trabalha de forma independente. Ao contrário do AAI, ele não poderá, em hipótese alguma, ser parte de uma instituição. Logo, o seu trabalho consiste em recomendar os melhores produtos de quaisquer bancos ou corretoras, desde que alinhados com os objetivos de cada cliente.

Outro ponto em que as duas profissões diferem é no formato da remuneração. Como agente autônomo de investimentos, ela se dá no formato commission based, onde o profissional ganha uma taxa em cima de cada movimentação do cliente. Já o consultor de investimentos, recebe através de um modelo internacional chamado de fee based, onde o profissional e o cliente combinam previamente o formato de remuneração, podendo ser um valor fixo mensal ou um % sobre o patrimônio.

Esse último modelo é muito mais transparente e isento de conflitos de interesses, uma vez que os interesses do cliente e do consultor estão sempre alinhados.

Qual o salário de um consultor de investimentos?

A remuneração de um consultor pode se desdobrar de diferentes formas. Como assim? Calma que eu vou explicar!

Remuneração fixa

Quando um cliente deseja contratar os serviços de um consultor a longo prazo, é comum que ambas as partes conversem e estabeleçam um valor fixo a ser pago todos os meses.

Percentual acordado

Aqui, a lógica é parecida. Contudo, a remuneração mensal vem de uma porcentagem sobre o patrimônio investido pelo cliente. Ou seja, do valor total aplicado, serão pagos 1% pelos seus serviços, por exemplo. 

E cabe lembrar: esse percentual pode ser acordado entre ambas as partes, assim como acontece com a remuneração fixa.

Receita recorrente

Quando o cliente de um consultor de investimentos tem perfil mais experiente, ambos podem combinar o pagamento de uma taxa de performance ao profissional.

Em outras palavras, o valor da remuneração vai acompanhar os resultados das aplicações do cliente.

O que precisa para ser um consultor de investimentos

Se interessou pela profissão? Então, é preciso voltar para os requisitos que eu comentei anteriormente: a graduação e a certificação financeira. 

Faculdade para consultor de investimentos

Não existe uma graduação específica para quem deseja se tornar um consultor de investimentos. No mercado financeiro, as escolhas mais comuns são Administração, Ciências Contábeis e Economia. Aqui, cabe a você decidir qual se enquadra melhor nas suas aspirações.

Curso para consultor de investimentos

Afora a graduação, é extremamente recomendável que você invista no seu desenvolvimento profissional. Afinal, como pode ser observado, um consultor lida diretamente com clientes e investimentos – áreas bastante específicas e que devem ser trabalhadas em suas habilidades.

A minha recomendação para você, no que tange a este assunto, são os cursos de desenvolvimento profissional da TopInvest. Com eles, além de se preparar para obter suas certificações financeiras – necessárias para atuar como consultor – ainda é possível trabalhar para se tornar um profissional mais completo e atraente para o mercado.

Como ser um consultor de investimentos?

Partiu ser um consultor financeiro? Então, dá uma olhada nos passos básicos que você precisa dar:

Conheça e entenda o mercado financeiro

As finanças não são do tipo de assunto que você pode estudar apenas uma vez e depois nunca mais dedicar tempo ou atenção. O mercado econômico, na verdade, muda constantemente – e cada detalhe pode afetar as aplicações de seu cliente.

Por essa razão, é imprescindível que você entenda como todo esse sistema funcione. Além disso, não tem como escapar: é preciso manter um olho nas notícias nacionais e internacionais o tempo todo.

Conquiste a sua certificação

Mais uma vez, eu te lembro: para ser um consultor financeiro, é necessário ter uma certificação financeira aprovada pela CVM. 

Considerando a dinâmica das provas e os conteúdos que normalmente são abordados nelas, posso dizer que esses testes apresentam uma dificuldade que não deve ser subestimada. Logo, estudar apropriadamente não é uma escolha, mas sim um dever de quem sonha em ser um consultor.

Mas, calma: não estou falando isso para te assustar. Afinal, a TopInvest oferece cursos preparatórios, apostilas gratuitas e simulados para te ajudar a estudar. 

Encontre seus primeiros parceiros e clientes

Conquistou seu diploma e passou na certificação? Parabéns, já pode se registrar na CVM e atuar como consultor de investimentos. A dica de ouro para conquistar seus clientes é investir na divulgação dos seus serviços e na construção de uma excelente rede de networking.
Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!