Ancord

Tipos de Investidores

Kleber Stumpf
Escrito por Kleber Stumpf em 7 de novembro de 2019

Dentro deste campo existem diversas especificações que devemos ter na ponta da língua e que caem muito nas provas de certificações financeiras, e a que veremos agora são tipos de investidores e como eles são classificados de acordo com as instruções da CVM, a Comissão de Valores Mobiliários.

Ficou curioso? Então dá um play no vídeo abaixo para você poder conhecer eles!

Tipos de Investidores CVM 554

Bom, você viu que existem quatro tipos de investidores dentro no mercado financeiro e você precisa ter esse conhecimento para sua prova de certificação financeira seja ela CPA 10, CPA 20, CEA, ANCORD ou qualquer outra. É obrigatório sabermos a sua classificação porque alguns produtos são restritos por exemplo a investidores profissionais e não residentes.

Investidor Normal

O investidor normal pode também ser conhecido como o investidor comum. É toda aquela pessoa que acabou de começar a investir, sendo que pode ser PF ou PJ que acessa o mercado de capitais e não se enquadra nos outros três tipos de investidores. 

Para você compreender melhor… se você ganhou R$50,00 de sua avó para colocar na caderneta de poupança ainda quando era criança, você já era um investidor comum. 

E não é necessário nenhum pré-requisito, apenas ter vontade de investir. 

Curso Online para Certificação CPA10

Investidor Profissional

O Investidor profissional é aquele que atende aos critérios descritos na instrução CVM 554. É considerado um investidor com conhecimentos avançados de mercado e, por se enquadrar nesse perfil de investidor, terá acesso a produtos financeiros diferenciados, mas principalmente porque tem alto capital para aportar. 

Esse investidor pode ser:

  • Instituições financeiras;
  • Companhias seguradoras e sociedades de capitalização;
  • Entidades abertas e fechadas de previdência complementar;
  • PF ou PJ que possuam investimentos financeiros em valor superior a R$ 10.000.000,00 e que, adicionalmente, atestem por escrito sua condição de investidor qualificado mediante assinatura do anexo A da instrução CVM 554;

É aqui que você deve ter mais cuidado, pois é nessa parte em que muitas pessoas caem na pegadinha, pense comigo: se essa pessoa investe duzentos milhões quer dizer que ela pode viver apenas de investimentos, consequentemente é um investidor profissional certo?

Porém, o que mais se erra nesta questão é que o investidor DEVE atestar essa condição por escrito, por isso eu grifei acima essa questão. Visto que na prova pode aparecer um perfil de investidor que investiu R$ 20.000.000,00 pedindo se ele é um profissional.

E a resposta para isso é NÃO, né galera! Isso porque deve informar que é obrigatório o atestado desta condição, caso contrário ele não é considerado um profissional. 

Não esqueça desse detalhe, ok? 

Também são considerados investidores profissionais…

  • Administradores de carteira e consultores de valores mobiliários autorizados pela CVM em relação a seus recursos próprios;
  • Agente Autônomo de investimentos com certificação reconhecida pela CVM.

Curso Online para Certificação CPA10

Investidor Qualificado

Depois no próximo entre os tipos de investidores temos o investidor qualificado. Antes de mais nada, é importante você saber que ele também deve atestar a sua condição por escrito de acordo com os seus investimentos, além de conter suas características muito parecidas com o investidor profissional, em razão de que  este também atende aos critérios descritos na instrução CVM 554.  

O que difere é o valor necessário para que PF e PJ possam ser investidores qualificados. Para qualificados, o valor mínimo é de R$ 1.000.000,00.

Investidor Não-residente

Acredito que esse não seja necessário de muita explicação, não é?

O não-residente é a PF ou PJ, fundos e outras entidades de investimentos individuais ou coletivas, com residência, sede ou domicílio no exterior e que investem os seus recursos no país. Essa pessoa física ou jurídica pode não ser brasileira, o fato importante aqui é passar mais de 180 dias fora do Brasil (mais da metade do ano). Como passa mais tempo fora do Brasil não é considerado residente e por isso também não paga nenhum IR como residente. O que transforma essa pessoa em investidor não residente.

Portanto, esse são os tipos de investidores que existem dentro do mercado financeiro brasileiro, é fácil não é? Só basta você cuidar com as terríveis pegadinhas que ficará mais fácil de identificar estes investidores, até porque isso é tão essencial saber para que não haja riscos para você ou qualquer outro investidor possa ter. 

Quer passar em uma certificação Financeira?

Receba um e-book exclusivo com 7 dicas para ser aprovado!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *