Considere esse artigo como um guia 360º para ajudar você a alavancar a sua carreira no mercado financeiro. 

As perspectivas para esse segmento são otimistas. Com o seu crescimento, a busca por profissionais que atendam às suas demandas também cresceu. Entretanto, essa mão de obra deve ser especializada e pode ter certeza: os processos seletivos são exigentes.

Mas não se assuste: eu estou aqui para te auxiliar não só a se preparar, mas também a prosperar. 

Vamos começar com você, ou seja, o profissional que você é.

As soft skills mais buscadas no mercado financeiro

Já reparou que, em processos seletivos, sua formação teórica não é mais o único ponto a ser avaliado? Quem você é também conta muito, e é isso que chamamos de soft skills.

Essas skills são aquelas habilidades comportamentais e mais subjetivas. No mercado financeiro, por exemplo, as mais procuradas são:

  • Capacidade de liderança: nesse tipo de carreira, é bastante comum que você precise liderar equipes. E o que um bom líder deve ser e fazer? Saiba que um bom líder é aquele que sabe se comunicar com sua equipe e extrair o melhor de seu time. É alguém que sabe respeitar, escutar, orientar. Os liderados veem o líder como um exemplo, portanto, você deve saber como ser um. Não esqueça de aprimorar essa habilidade!
  • Inteligência emocional: o mercado financeiro pode ser oscilante. Por essa razão, seus profissionais devem ter essa soft skill bem trabalhada para saber como lidar com situações adversas. 
  • Capacidade de comunicação: se comunicar de forma eficaz vai muito além de “falar bem”. Um profissional que sabe se expressar é aquele capaz de transmitir suas ideias de forma clara e acessível, alguém que se faz entender. Veja bem, nesse mercado, você certamente terá um contato próximo e constante com muitas pessoas. Não dá para ficar sem saber como se comunicar, certo?

Nunca se esqueça: um bom profissional não é apenas aquele que detém um conhecimento técnico profundo. É alguém que sabe cultivar o seu lado humano também. 

Entendido? Se sim, chegou a hora de eu passar para o próximo tópico.

Certificações e atualizações constantes

Neste texto aqui, eu já expliquei quais são as certificações necessárias para quem deseja trabalhar em bancos. Já neste outro, falo também sobre a CFP (Certified Financial Planner).

Se você já leu esses outros dois artigos, deve estar familiarizado com as certificações exigidas para você seguir carreira no mercado financeiro. Elas não apenas qualificam você para a carreira, como também estabelecem os pisos salariais.

Precisa refrescar a memória? Então, vou listar as principais instituições certificadoras obrigatórias para bancos:

  • ANBIMA (Associação Brasileira dos Mercados Financeiro e de Capitais);
  • ABECIP (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança).

Além das certificações, também há inúmeros cursos disponíveis para aprofundar o seu conhecimento e adquirir capacidades técnicas específicas. 

Mais do que isso: se manter atualizado é indispensável. Mesmo que já esteja inserido no mercado financeiro, você não quer se tornar um profissional obsoleto. Acertei? 

Ler sobre as novidades da área, buscar conhecimento em livros e em profissionais de confiança também é um jeito de se manter a par sobre esse universo.

Quando eu falo em atualização, basicamente te aconselho a não tirar os olhos do futuro. E por falar em futuro…

Perspectivas de mercado: como são os bancos do futuro?

Transformação digital: quando falo dos bancos do futuro, não posso deixar essa expressão fora da conversa. Você já deve ter sentido seus efeitos na pele: as instituições bancárias estão cada vez mais digitais. 

A tecnologia traz consigo mudanças que não dizem respeito só ao modo como os clientes são atendidos, por exemplo. Ela muda até a legislação. Exemplo disso é a Lei Geral de Proteção de Dados, uma lei que serve para regulamentar o uso de dados cada vez maior por parte não apenas dos bancos, mas da maioria das empresas atuais.

Lembra das soft skills que mencionei no começo do texto? A importância delas também é um resultado dos bancos do futuro  — que, aliás, já estão bem firmes no presente.

Isso acontece porque, com a mudança na forma como os bancos têm atuado, mudam também os profissionais que eles têm buscado. Criatividade, inovação e resiliência: um profissional ou futuro profissional do mercado financeiro precisa estar preparado para oferecer isso ao setor.

Na prática, isso significa que vamos ter um leque cada vez maior de opções de bancos digitais. O Nubank, por exemplo, já consolidou seu espaço no país. Fora daqui, outra opção é o N26, banco digital alemão. 

Esses bancos digitais não contam com agências físicas e oferecem ao seu público serviços totalmente digitais. Em um mundo onde as pessoas cada vez mais preferem resolver tudo do conforto de suas casas, sem deslocamento físico, esse tipo de serviço é absolutamente bem-vindo.

Isso significa que as agências físicas vão deixar de existir? Não totalmente. 

É claro que ainda veremos o número de agências diminuir, de forma gradual e ao longo do tempo, porém, uma adaptação é muito mais provável do que uma extinção completa. 

As agências físicas vão continuar sendo a preferência para transações complexas, de altos valores, decisões de investimentos e contratação de seguros. A necessidade de segurança é um hábito que temos e que ainda não foi transformado pela tecnologia. 

Uma pesquisa realizada pelo CONECTAí Brasil mostra que 79% dos brasileiros usam algum aplicativo de banco em seus smartphones. Entretanto, também mostra que as funções mais usadas são pagamentos, transferências e recarga de celular.

Com certeza o futuro dos bancos envolve menos idas até as agências para fazer pagamentos ou transferências, porém, não faz com que o olho no olho deixe de existir.

É para isso que você precisa estar preparado. Para um futuro digital que une a tecnologia ao contato físico e exige que seus profissionais saibam transitar de um mundo para outro, atender a todas as necessidades.

Você precisa ser adaptável

Se você chegou até aqui, já tem uma excelente base para trabalhar sua carreira. Já sabe que tipo de profissional precisa ser, o que deve estudar e onde buscar informações e certificações. Teve até um vislumbre de como os bancos têm atuado no presente, e o que esperar do futuro.

Eu finalizo esse apanhado com um último conselho que você deve levar junto consigo em sua jornada nessa área: seja resiliente. Saiba se adaptar.

O mercado financeiro é dinâmico. Ele vai se transformar, e você precisa saber se transformar junto. Dessa forma, te garanto: a sua carreira será próspera.

Já está inserido nesse setor e tem algum insight sobre o assunto? Compartilhe aqui!