Quem deseja trabalhar com finanças não pode fugir delas de forma alguma: as certificações do mercado financeiro. Algumas são obrigatórias, outras são adições valiosas para o seu currículo

Seja como for, só escala na profissão quem se dedicar aos estudos e compreender que assim como uma andorinha só não faz verão, um profissional com apenas uma certificação também não se torna top.

Aqui, para te ajudar, eu trouxe uma lista completa das principais certificações do mercado, com detalhes importantes sobre as provas e que vão te ajudar a decidir quais se enquadram melhor dentro de suas ambições. Partiu?

O que são certificações financeiras e de mercado?

As certificações financeiras são ofertadas por instituições diversas a fim de atestar conhecimentos e certificar trabalhadores. De modo geral, funcionam como um regulador de mercado. Ou seja, garante que o público lide apenas com profissionais que manjam do que estão fazendo.

Elas também têm o propósito de fomentar a educação continuada. Digo isso não apenas pelo fato de elas serem importantes para tornar o seu currículo atraente, mas porque, geralmente, é necessário que elas sejam periodicamente atualizadas – uma espécie de prova que você segue inserido e ativo nesse mercado que é sempre tão cheio de mudanças e novidades.

Qual a relevância das certificações no mercado financeiro?

Primeiramente, precisamos levar em consideração que o mercado financeiro preza pela qualidade e credibilidade de seus profissionais. Assim, mesmo quando uma certificação não é obrigatória por lei, muitas instituições podem torná-la uma exigência mínima. Na dúvida, estar preparado é a melhor decisão.

Outra função das certificações, digamos assim, que as tornam relevantes para o mercado é que estas também servem para estabelecer hierarquias dentro de uma empresa, além de designar salários. 

Ou seja, quem tiver uma certificação de maior prestígio, por exemplo, terá acesso a melhores oportunidades, funções e salários.

Cada certificação também tem seu grau de relevância para o público. No mercado financeiro, lidamos, de uma forma ou de outra, com algo de extrema valia para pessoas e empresas: seus patrimônios. Logo, é fundamental que o mercado se certifique de que os profissionais envolvidos em sua estrutura sejam de qualidade.

Quando é necessária uma certificação para mercado financeiro?

Depende da certificação, e do caminho que você está trilhando em sua carreira. Tomemos por exemplo a CPA-10, ofertada pela Anbima e considerada como uma das certificações mais básicas entre todas as opções disponíveis.

Por lei, ela não é uma obrigação para estrear no mercado financeiro. Contudo, é inegável que algumas instituições têm exigido a CPA-10. Sem ter pelo menos essa certificação, é muito improvável que um candidato consiga se apresentar como profissionalmente atrativo para as instituições que deseja trabalhar.

Para muitas funções, ademais, as certificações existem para atestar que determinado profissional tenha todas as competências necessárias. Para trabalhar na orientação sobre investimentos, por exemplo, uma CFP Anbima ou uma AAI Ancord devem ser consideradas.

Já os correspondentes bancários, para atuarem com linhas de crédito, precisam obrigatoriamente de uma certificação financeira: a Febraban ou a Aneps. 

Quais as principais certificações do mercado financeiro?

Sem mais delongas, agora eu vou apresentar as principais certificações do mercado financeiro, como são as suas provas e que portas elas abrem para um profissional. Vamos lá?

CPA-10

A CPA-10 (ofertada pela Anbima) é, com certeza, a certificação mais realizada do mercado financeiro. Como eu já expliquei, sem ela, é muito improvável que um candidato consiga se colocar no segmento.

O seu objetivo é atestar o conhecimento geral sobre o mercado financeiro. Com ela, o profissional pode trabalhar com prospecção de clientes e venda de produtos de investimento para o público, seja em agências bancárias ou plataformas de atendimento.

Quer mais detalhes da prova? Olha só:

  • A inscrição para a CPA-10 Anbima pode ser feita a qualquer momento;
  • A prova tem 2h de duração;
  • Tem 50 questões;
  • A porcentagem mínima para aprovação é de 70%;
  • A taxa de inscrição custa R$284 para empresas associadas à Anbima e R$342 para os demais;
  • Não há pré-requisitos.

CPA-20

Na hierarquia das certificações, a CPA-20 posiciona-se um degrau acima da CPA-10. Com ela, um profissional exercerá todas as funções que a CPA-10 abrange, porém com o adicional da possibilidade de trabalhar com clientes de alta renda, investidores institucionais, private banking e corporate.

Muita gente, inclusive, pula a CPA-10 e faz direto a CPA-20, já que esta segunda também é amplamente exigida por aí. Caso se sinta preparado para esse passo, é uma excelente opção. 

A prova é assim:

  • A inscrição para a CPA-20 Anbima pode ser feita a qualquer momento;
  • A duração é de 2h30;
  • Há 60 questões para serem respondidas;
  • A porcentagem mínima de aproveitamento para aprovação é de 70%;
  • A taxa de inscrição é de R$448 para empresas associadas à Anbima e R$537 para os demais;
  • Não há pré-requisitos.

CEA

Ainda na hierarquia da Anbima, a CEA é a que vem após as duas anteriores desta lista. Com ela, você se tornará um especialista em investimentos.

Entre a CEA e as duas CPAs, a maior diferença é que, aqui, o profissional não vai trabalhar com o público em geral, mas principalmente com contas de investidores.

Por ser uma prova que atesta conhecimentos mais específicos, ela te dá, ainda, o direito de indicar produtos financeiros.

Quer saber como é a prova?

  • A inscrição para a CEA Anbima pode ser feita a qualquer momento;
  • A duração é de 3h30;
  • A prova tem 70 questões;
  • A porcentagem mínima de aproveitamento para aprovação é de 70%;
  • A taxa de inscrição é de R$749 para empresas associadas à Anbima e R$899 para os demais;
  • Não há pré-requisitos.

CGA

Agora, entramos numa linha diferente da Anbima. Se você quer trabalhar como gestor de fundos de investimento, ou lidar diretamente com os recursos de terceiros, a CGA é a sua melhor escolha. Em suma, é uma certificação voltada para a direção da gestão profissional.

AAI ANCORD

Passamos agora para o universo da Ancord. A certificação AAI torna um profissional oficialmente e legalmente apto a ser um agente de investimentos, de forma autônoma. A Ancord é, inclusive, a única instituição autorizada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) a capacitar profissionais dentro desse âmbito.

Um AAI, em suma, deve orientar seus clientes sobre as melhores decisões a serem tomadas na hora de investir, de acordo com seus perfis de investidor. Este profissional, entretanto, pode apenas oferecer orientação, ou seja, não deve administrar nenhuma cartela de investimentos.

A prova da AAI é assim:

  • A inscrição para a AAI Ancord pode ser feita a qualquer momento;
  • A duração é de 2h30;
  • A prova tem 80 questões;
  • A porcentagem mínima de aproveitamento para aprovação é de 70%;
  • A taxa de inscrição é de R$460;
  • Não há pré-requisitos gerais. Para a modalidade online, no que tange às especificidades do computador utilizado, alguns requisitos podem ser observados na página de inscrição da Ancord.

CNPI

A CNPI é uma certificação da Apimec – Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais. Ela eleva, inclusive, um profissional ao nível internacional e é obrigatória para especialistas em análises e para a emissão de relatórios.

Sobre esse último ponto, eu tenho uma pergunta: já reparou que, quando uma corretora te envia um documento com sugestões de investimento, há, no final, a assinatura de um CNPI? É porque este é o único profissional do mercado apto a dar essas sugestões.

A prova da CNPI é bem extensa. Por isso, divide-se entre três variações: 

  • CNPI-P (Pleno) para analistas técnicos e fundamentalistas;
  • CNPI para analistas fundamentalistas;
  • CNPI-T para analistas técnicos.

Sobre a prova da CNPI:

  • É dividida em três módulos: conteúdo brasileiro, global e técnico;
  • A inscrição para a CNPI pode ser feita a qualquer momento;
  • A duração é de 1h50;
  • A prova tem 60 questões;
  • A porcentagem mínima de aproveitamento para aprovação é de 70%;
  • Os valores da prova da CNPI variam de acordo com a prova escolhida pelo candidato, já que é possível realizá-la por partes;
  • No caso da realização por partes, o candidato tem 1 ano para após a primeira prova para completar o exame;
  • Não há pré-requisitos gerais para fazer a prova. Contudo, para solicitar a CNPI, é necessário ter ensino superior completo. 

CFP

Com uma CFP no currículo, oferecida pela Planejar, você se torna um Certified Financial Planner. Ou seja, atuará como planejador financeiro e, devido ao caráter internacional da prova, poderá buscar oportunidades também no exterior.

Nessa carreira, é possível ser um consultor, avaliando o perfil de investidor de cada cliente, seja pessoa física ou jurídica, para então sugerir as melhores decisões sobre como gerir seu patrimônio. Análise de fluxos de caixa, por exemplo, também fazem parte da profissão.

Esta, aliás, é uma certificação de grande prestígio e pode te abrir excelentes portas no mercado financeiro.

No que diz respeito à prova da CFP, as informações principais são essas:

  • As provas não podem ser feitas a qualquer momento. É necessário, portanto, checar o calendário de exames da CFP Planejar;
  • A prova tem completa tem 140 questões;
  • A prova é dividida em 6 módulos: Planejamento Financeiro, Gestão de Ativos e Investimento, Planejamento de Aposentadoria, Gestão de Riscos e Seguros, Planejamento Fiscal e Planejamento Sucessório;
  • É possível realizar apenas um módulo por vez;
  • A porcentagem mínima de aproveitamento para aprovação é de 70% sobre a prova completa, além de 50% para cada módulo. Se realizar o exame em partes, a porcentagem mínima é de 70%;
  • Após realizar o primeiro módulo, se assim optar, o candidato tem até 24 meses para completar a CFP;
  • Para o exame completo, o preço é de R$1.430,00. Já para a versão modular, a taxa para um módulo é de R$550,00, enquanto que para dois ou mais módulos o valor é de R$385 para cada um;
  • Os requisitos para atuar como um certificado CFP são: experiência profissional de 5 anos no atendimento à pessoas físicas, curso de nível superior e adesão ao Código de Conduta da Planejar;
  • A validade da CFP é de 2 anos. Contudo, se o candidato seguir as orientações de educação continuada da Planejar, a certificação permanece válida sem necessidade de atualização.

PQO

A PQO (Programa de Qualificação Operacional) é a certificação da B3! Naturalmente, ela foi desenvolvida para atestar o conhecimento dos profissionais que trabalham em mercados administrados pela Bolsa. Assim, apesar de essa certificação não ser obrigatória, a B3 mantém o bom nível de profissionais, além de promover a educação continuada.

Sobre a prova, é o seguinte:

  • As inscrições para a certificação PQO podem ser feitas a qualquer momento;
  • A duração é de 3h;
  • A prova tem 60 questões;
  • A porcentagem mínima de aproveitamento para aprovação é de 60%;
  • A taxa de inscrição é de R$278;
  • Não há pré-requisitos gerais. 

Susep

A Susep é quem regula o mercado de seguros brasileiro. Assim, quem trabalha nesse ramo, precisa obrigatoriamente ter essa certificação. Ultimamente, essa tem sido uma prova bastante procurada. Afinal, não é novidade pra ninguém que esse segmento tem crescido bastante no país. 

Partiu entender a prova? Pois bem:

  • As inscrições para a certificação da Susep devem ser feitas de acordo com o calendário de provas estabelecido, no qual a realização do exame ocorre duas vezes ao ano;
  • A prova é feita em 4 dias consecutivos, um para cada módulo, com duração de 2h;
  • A prova tem 50 questões cada módulo;
  • A porcentagem mínima de aproveitamento para aprovação é de 70%;
  • A taxa total de inscrição é de R$1665, ou divida em 4 valores: R$435, R$435, R$830 e R$870;
  • Não há pré-requisitos gerais. 

FBB

A FBB é a certificação da Febraban, a Federação Brasileira de Bancos. Para quem trabalha como correspondente bancário e deseja oferecer linhas de crédito, deve obrigatoriamente ter uma das versões da FBB: 100, 110, 120 ou 130. Cada uma delas diz respeito a uma especificidade: certificação completa, consignado, crédito direto ao consumidor e financiamento de veículos.

Sobre as certificações da FBB, os detalhes são:

  • As inscrições para as certificações FBB da Febraban podem ser feitas a qualquer momento;
  • A duração é de 1h;
  • As provas têm 40 questões, exceto pela FBB-100 que, por ser a versão completa, tem 60 questões;
  • A taxa de inscrição é de R$125 para a FBB-100 e R$107 para as demais;
  • Não há pré-requisitos gerais. 

CA-300, 400 e 600

Aqui, temos as certificações da Abecip. Suas três versões existem para que um correspondente bancário trabalhe com crédito imobiliário. A CA-300 é pré-requisito para essa atuação (ou seja, é obrigatória); a CA-400 é para quem atua nesse ramo, porém em agências bancárias; e a CA-600 volta-se para quem comercializa esse tipo de produto.

Os detalhes mudam de acordo com cada certificação:

  • As inscrições para as provas da Abecip podem ser feitas no site da instituição;
  • A duração é de 1h30 para a CA-300 e 2h para as demais;
  • Há 30 questões para a CA-300, 40 para a CA-400 e 50 para a CA-600;
  • A taxa de inscrição é de R$339 para a CA-300 e 400 e de R$373 para a CA-600;
  • Não há pré-requisitos.

Aneps

A Aneps é bem parecida com a Febraban. Ambas, inclusive, oferecem certificações obrigatórias para quem deseja atuar como correspondente bancário. Ou seja, para trabalhar nesse ramo, deve ter essa certificação em seu currículo.

Essa certificação capacita profissionais em vários ramos: consignado, veículo, crédito direto, imobiliário, agrícola e microcrédito.

Aqui vão algumas informações básicas sobre a prova:

CFA

Por fim, chegamos na CFA! É a certificação de Chartered Financial Analist, oferecida pelo CFA Institute. Apesar de não ser obrigatória para o exercício de nenhuma função, essa é a certidão mais valiosa do mercado financeiro, o topo da escalada. Ela te abre portas a nível mundial e, para você ter ideia, o tempo de estudo para a CFA se assemelha ao tempo de um curso superior!

Ela é ideal para quem deseja ser um analista financeiro e, com um selo desses no currículo, até mesmo uma graduação fica ofuscada pela sua importância.

Por ser tão prestigiada, é claro que ela não é fácil. Inclusive, a prova toda divide-se em três níveis. No primeiro, há 240 questões a serem respondidas. No segundo, as questões (20) são mais voltadas para análises. Já no terceiro, o candidato enfrenta entre 8 a 12 questões discursivas e mais 60 questões de múltipla escolha.

Olha os detalhes:

  • A inscrição para a CFA pode ser feita a qualquer momento;
  • A duração de cada prova é de 6h;
  • É necessário saber inglês para prestar a prova;
  • A taxa de inscrição é de US$650 se feita com 8 meses de antecedência e de US$950 se realizada com 4 meses de antecedência. Há, ainda, uma taxa extra cobrada apenas uma vez, no momento da inscrição, de US$450 e uma anuidade de US$350;
  • Só pode ser um CFA quem passar nos três níveis de prova e comprovar experiência de três anos no mercado financeiro.

Existem certificações financeiras gratuitas?

Infelizmente, não existem. Entretanto, se você ainda não se sente financeiramente pronto para investir muito dinheiro em certificações, lembre-se que é possível começar pelas mais básicas, que costumam ter valores mais acessíveis.

Além disso, é importante se dedicar de verdade aos estudos, para não correr o risco de reprovar e ter que passar por todo esse processo de inscrição novamente.

Mais um detalhe: muitas certificações podem até não ser obrigatórias, mas, no mercado financeiro, são o que vão decidir e direcionar o seu futuro. Ou seja: elas sempre valerão o dinheiro investido.

Como escolher a melhor certificação?

Qualquer uma pode ser a ideal para você, dependendo das suas ambições. Como você pode observar até aqui, existe uma gama enorme de certificações, e cada uma delas aponta para um caminho. 

Neste artigo, eu falei sobre trabalhar com investimentos, trabalhar no exterior, em bancos, como correspondente bancário, imobiliário, corretor de seguros, entre outros. Basicamente, não faltam opções.

Antes de decidir por alguma, analise quais são seus planos, metas e ambições. Com o que você gosta de trabalhar? No que você é bom? Qual carreira faz seus olhos brilharem? A resposta mora nessas reflexões!

Onde estudar e tirar uma certificação do mercado financeiro?

Há algo em comum para todas as certificações que trouxe aqui: é preciso se dedicar muito para consegui-las, até mesmo para as básicas. Todas elas existem para garantir que os profissionais do mercado financeiro tenham um nível bom de conhecimento. Logo, elas naturalmente não serão fáceis.

Por isso, o melhor que você faz é contar com a ajuda de um curso preparatório que não apenas te ofereça um material de qualidade para estudar, como também suporte especializado e questões comentadas – tudo para que não sobre nenhuma dúvida no grande dia.

E sabe onde você encontra tudo isso? Nos cursos da TopInvest! Aqui, trabalhamos para te preparar para inúmeras certificações, além de oferecer cursos de desenvolvimento profissional para que você não seja apenas um profissional certificado, seja também um profissional top de linha!

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!