Quem está no mercado financeiro, trabalha todos os dias com produtos bancários. Mesmo sob a perspectiva de cidadãos nós temos (muita) experiência com esses produtos. Afinal, todos nós os utilizamos. 

Está perdido e não sabe exatamente quais são esses produtos? Então, partiu aprender juntos.

O que são produtos bancários?

Os bancos são instituições financeiras. Podem, por sua vez, ser classificados como Bancos de Investimento, Bancos Comerciais e Bancos Múltiplos.

Estes bancos vendem os produtos bancários – dentre outras funções. Independentemente da classificação, a função primordial de um banco é a intermediação da transferência de recursos entre os agentes superavitários (investidores) e os agentes deficitários (tomadores de recursos ou empréstimos).

Para tornar possível esta operação, os bancos pagam juros aos investidores e cobram juros dos tomadores de recursos. Nesta operação, entretanto, os juros pagos aos investidores são menores que os juros cobrados dos tomadores de empréstimo. Assim se origina o lucro bancário, conhecido também como Spread Bancário.

Um banco é uma instituição pertencente ao Sistema Financeiro Nacional, regulado pelo BACEN e que cumpre as seguintes funções:

  • Rentabiliza as economias e poupanças das pessoas e empresas através do pagamento de juros;
  • Financia o consumo e o investimento das pessoas e empresas cobrando juros e comissões;
  • Realiza serviços de pagamentos e recebimentos também para seus clientes, sejam eles pessoas físicas ou jurídicas – além de cobrar tarifas.

Em termos mais simples, a conta bancária é onde um indivíduo deposita dinheiro em alguma agência bancária ou instituição financeira (banco).

O indivíduo se torna o titular de uma conta bancária ou conta corrente. Mas as contas, por sua vez, possuem inúmeras finalidades e registram diversas outras operações como empréstimos, linhas de crédito, controle de recursos governamentais etc.

Como o titular do dinheiro dá a posse ao banco, imediatamente a instituição financeira passa a utilizar seu dinheiro em suas próprias operações, ou então os repassa compulsoriamente para o Banco Central. 

Vamos conhecer os principais produtos bancários?

Quais são os produtos bancários?

Depósito à vista (Conta Corrente)

A conta de depósitos à vista, mais conhecida como conta corrente, é aquela em que o cliente do banco paga uma tarifa mensal para poder movimentar livremente os recursos através de saques e depósitos.

Cada instituição financeira oferece variados pacotes de tarifas, cada um com uma gama de produtos inclusa. Aqui, variam do número de saques e extratos, a inclusão de folhas de cheque ou mesmo transferências interbancárias como TED.

Previdência Privada

A Previdência Privada também é chamada de Previdência Complementar. Esta é uma forma de seguro contratada para garantir uma renda ao comprador ou seu beneficiário.

O valor do prêmio é aplicado pela entidade gestora, que, com base em cálculos atuariais, determina o valor do benefício. No Brasil, as previdências privadas podem ser do tipo aberta ou fechada. A aberta pode ser contratada por qualquer pessoa, enquanto a fechada é destinada a grupos, como funcionários de uma empresa, por exemplo.

Em resumo, pode-se dizer que é um sistema que acumula recursos que garantem uma renda mensal no futuro, especialmente no período em que se deseja parar de trabalhar.

Logo em seu surgimento, era vista como uma forma uma poupança extra, além da previdência oficial. Entretanto, como o benefício do governo tende a ficar cada vez menor, muitos adquirem um plano como forma de garantir uma renda razoável ao fim de sua carreira profissional.

Depósito a prazo (CDB)

Uma das principais funções dos bancos é o que se chama de intermediação financeira. De uma forma mais simples e contextualizada, significa estabelecer pontes entre poupadores e tomadores de recursos.

Os tomadores de recursos tomam empréstimos a prazos definidos e, como compensação, pagam juros sobre esses valores.

Os poupadores, por sua vez, buscam obter ganhos na forma de juros ao deixar seus recursos em aplicações financeiras, como fundos de investimento, cadernetas de poupança ou Certificados de Depósito Bancário (CDB).

Caderneta de Poupança

A caderneta de poupança, ou simplesmente poupança, é um dos investimentos mais tradicionais, conservadores e populares do Brasil.

É tradicional porque existe há mais de 140 anos. Conservador, pois seus rendimentos não são tão vultosos,ao mesmo tempo em que não oferecem muitos riscos. E, por fim, popular porque o aporte inicial sequer existe, o que a torna acessível à população de baixa renda.

É por meio dos bancos que se abre uma caderneta de poupança. Todavia, não é necessário ser correntista para tê-la. Basta comparecer a uma agência bancária – portando CPF, documento de identidade e comprovantes de renda e residência – e solicitar a abertura.

Cheque – Produtos Bancários

O cheque é uma ordem de pagamento à vista. Já os cheques pré-datados são apenas uma convenção e o mesmo pode ser nominal ou ao portador.

Um cheque nominal é aquele que preenchemos com os dados de quem se destina o cheque. Para o saque do mesmo, é necessária a apresentação do documento. Já um cheque ao portador é aquele em que não é preenchido como nominal.

Capitalização

Um título de capitalização é um produto no qual um percentual dos valores pagos é utilizado para o acúmulo de dinheiro. Este, por sua vez, é devolvido ao contratante – com ou sem correção – após o prazo combinado. 

Já o restante do valor é utilizado para a manutenção dos custos de sorteio e pagamento de prêmios.

Investimentos

Um investimento nada mais é do que um capital que se aplica com a intenção de multiplicação no decorrer do tempo.

Uma aplicação pode ser de renda fixa ou de renda variável. Para a renda fixa, temos o Tesouro Selic como um exemplo. A renda variável, por sua vez, é sempre lembrada pelas ações.

Cartões de Crédito e Débito

Um dos produtos bancários mais populares é o cartão de crédito. Apesar da semelhança física, os cartões de crédito e débito têm funções muito diferentes.

O cartão de débito é ligado diretamente à conta corrente. Ou seja, quando você faz a utilização do mesmo, o valor é descontado imediatamente da sua conta.

O cartão de débito é utilizado para compras à vista. Para a sua utilização, é necessário que haja saldo em conta. Já o cartão de crédito, como o próprio nome já nos deixa implícito, funciona a crédito. Ou seja, é utilizado um valor de crédito liberado pela operadora do cartão após uma análise prévia.

Com o uso do cartão de crédito, pode-se fazer compras parceladas ou com pagamento a prazo. O cartão de crédito funciona com pagamento mensal, independente da data da compra.

Consórcios

Um consórcio funciona com base em sorteios, que são chamados de contemplação.

Enquanto você não for contemplado, você vai pagando as parcelas sem ter a posse do bem. Todavia, tome cuidado, pois um consórcio não é um investimento e não pode ser vendido como tal. Ademais, eu não recomendo que uma pessoa faça um, porque quando este for finalmente contemplado, o mecanismo do consórcio se assemelha a um financiamento normal.

Já imaginou fazer um consórcio de imóvel de 20 anos e ficar 19 anos pagando sem morar no imóvel? Além disso, neste tempo o seu dinheiro não estará rendendo o milagre dos juros compostos.

Financiamentos

Conceitualmente, um financiamento é uma operação financeira na qual um agente superavitário (geralmente através do intermédio de uma instituição financeira) empresta recursos a um agente deficitário, cobrando para isso juros.

Esta é a operação mais importante para um banco. Afinal, é onde ele aplica seus recursos.

Com a evolução do Sistema Financeiro Nacional, hoje existem diversas linhas de crédito específicas, como para Habitação e Crédito Rural.

Como vender produtos bancários?

Primeiramente, você precisa, normalmente, ser um profissional certificado. A CPA-10 e a CPA-20, por exemplo, te habilitam a trabalhar com a venda de produtos bancários. Ainda no âmbito das certificações, temos também a CEA, que te torna um especialista em investimentos – outro produto bancário.

Ao trabalhar com esse tipo de venda, é importante que você entenda de forma profunda o seu cliente. E, é claro, manje muito de produtos bancários, para saber explicá-los e recomendá-los para os seus clientes. 

O que faz um diretor de produtos bancários?

Na carreira financeira, todos querem evoluir ao máximo. Por isso, a profissão de diretor de produtos bancários faz os olhos de muitos iniciantes brilharem.

Nesse cargo, as funções principais são:

  • Participar de comitês de decisões;
  • Estabelecer estratégias operacionais;
  • Definir políticas e diretrizes;
  • Controlar operações financeiras;
  • Desenvolver produtos e serviços.

Qual o salário de um diretor de produtos bancários?

O salário, como sempre, varia de acordo com cada instituição e região do país. Entretanto, para que você tenha uma noção dos ganhos, um diretor de produtos bancários recebe entre R$23.000,00 e R$28.000,00.

Como virar diretor de produtos bancários?

Como você deve ter percebido, um diretor de produtos bancários tem um salário bem alto e funções que exigem bastante de seus conhecimentos. Por isso, é óbvio que, para se tornar um, você precisa investir bastante na sua carreira.

O primeiro passo é estudar. Ao entender de verdade de produtos bancários, não só você tem uma base sólida para atuar na profissão, como também você tem conhecimento para se tornar altamente certificado. Afinal, as certificações são um diferencial gritante no currículo e podem te abrir muitas portas ao longo do caminho. Independente do estágio em que você está na sua carreira, a TopInvest pode te ajudar a se tornar um profissional top de linha. Como? Basta dar uma olhada em nossos cursos, bem como em todos os materiais e informações que disponibilizamos.

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!