Essa dúvida sempre bate. Entre tantas opções, pode ser difícil saber por onde começar. Você, por exemplo, tem ideia de qual certificação financeira é ideal nesse momento?

Antes de compartilhar aqui alguns insights que podem te ajudar a escolher um caminho, vamos dar uma revisada nos objetivos das principais certificações, ok?

  • CPA-10: feita para quem deseja trabalhar direto com o público, na prospecção de vendas ou distribuição de produtos de investimentos;
  • CPA-20: feita especialmente para profissionais que atuam na venda de produtos de investimento nos segmentos de varejo alta renda, em agências bancárias ou setores de atendimento;
  • CEA: essa é a Certificação de Especialista em Investimentos da Anbima. Aqueles que têm essa certificação estão aptos a indicar produtos de investimento e assessorar investidores.

Na prática, qual a diferença?

Antes de tudo, é preciso lembrar que as certificações ANBIMA não servem só para bancários. Ela é ideal, também, para quem deseja trabalhar como Agente Autônomo de Investimentos (AAI) e em corretoras.

Agora, vamos às diferenças na prática. Ou seja, como cada certificação pode mudar a sua carreira. 

Aqueles que optam pela CPA-10 garantem um lugar em cargos de escriturário, caixa e assistente. Em outras palavras: posições seguras possibilitadas pela certificação.

Um profissional com CPA-20 é capaz de alcançar outros horizontes. Supervisor, gerente média e alta renda e gerente de canal, por exemplo.

A CEA, por sua vez, eleva a sua carreira a um outro patamar e direcionamento. Especialista em investimentos, esses podem recomendar produtos de investimentos para clientes em diversos segmentos, além de assessorar gerentes de contas.

Basicamente, as certificações podem ser vistas como uma evolução. A CPA-10. inicia a sua carreira, enquanto as demais fazem você crescer nela.

É por isso que eu insisto que você jamais se contente com apenas uma certificação. Entendeu?

Afinal, como escolher a certificação?

Pode parecer clichê, mas acredite: só você sabe essa resposta. Isso porque a escolha depende dos seus planos e preferências pessoais, bem como do seu momento na sua carreira. 

Apesar de eu ter dividido as certificações em espécies de “níveis”, você não precisa seguir a ordem listada. Há quem tente ir direto para a CEA, por exemplo. Afinal, a certificação não tem nenhum pré-requisito que deve ser atendido.

Entretanto, é preciso manter os pés no chão. Essa é uma certificação que exigirá bastante de você. Isso significa que talvez você não passe de primeira. E tudo bem, há sempre uma nova chance pela frente, certo?

O importante é jamais se contentar com pouco. Quanto mais certificações, mais portas se abrirão no seu futuro.