Quando se lida com pessoas que estão dando seus primeiros passos na carreira financeira, se nota a grande frequência com a qual esses novos profissionais desejam saber como trabalhar em banco privado e em banco público. 

Apesar do mercado financeiro ser lar de inúmeros tipos de funções e caminhos, trabalhar em bancos ainda é a maior ambição de muita gente.

Aqui na Top, como eu sempre reforço, nossa missão não é apenas certificar profissionais, mas também servir de guia ao longo de sua carreira. Por isso, hoje eu trouxe algumas dicas valiosas para você que se identifica com esse objetivo. Vamos lá?

Como trabalhar no banco privado?

Quem almeja tentar uma chance em um banco privado deve saber que, nesse caso, é preciso passar por processos seletivos. Estes, por sua vez, podem acabar sendo longos e concorridos. 

A jornada pode até ser complicada, mas não se preocupe – eu estou aqui para facilitar ela para você!

1. Escolha a faculdade certa

Naturalmente, o curso de graduação que você escolheu vai moldar os caminhos que seguirá ao longo de sua carreira, assim como as funções que vai desempenhar dentro de uma instituição. Por isso, se ainda estiver em vias de decidir qual faculdade fazer, considere, antes, quais são suas ambições para o futuro.

Economia e Administração, por exemplo, são duas das principais escolhas para quem deseja atuar diretamente no mercado financeiro dentro de um banco. Marketing, Tecnologia da Informação e Ciências Contábeis possibilitam caminhos um tanto diferentes, mas ainda assim são excelentes opções também.

2. Desenvolva afinidade com números

Parece até algo clichê de se afirmar, mas é fato que muita gente se sente atraída pelo mercado financeiro devido ao seu lado teórico – a forma como ele afeta a vida da população, por exemplo.

Entretanto, ao longo da sua carreira – e até mesmo na faculdade ou na hora de estudar para as certificações financeiras – os números, os cálculos e as estatísticas serão uma constante. Por isso, aprenda desde o princípio a se relacionar bem com eles!

3. Aprimore seu inglês

Há anos o inglês vem sendo considerado como uma língua universal – tanto que, ultimamente, apesar de geralmente não ser uma obrigatoriedade, o domínio desse idioma tem sido visto mais como algo que você deva ter, do que como apenas um diferencial.

Além disso, essa skill não apenas te abre portas incríveis ao longo de sua carreira, como também te dá a chance de estabelecer uma rede mais ampla de networking, e de conseguir se atualizar a nível global a partir de materiais escritos em inglês.

Aqui, eu tenho mais uma dica importante: estude inglês para finanças. Nas escolas de idiomas, provavelmente você vai aprender a se comunicar nesse idioma de forma geral. Contudo, esse nicho está repleto de um vocabulário específico. Assim, para aprimorar suas habilidades em outro idioma, não deixe de considerar a forma como irá usá-lo em sua rotina. 

4. Faça estágio como experiência

Eu poderia passar horas escrevendo sobre os benefícios de se fazer um estágio antes de concluir o ensino superior. Primeiramente, temos a experiência – algo valioso na hora de procurar novas vagas após o diploma, ou ainda de ser efetivado na empresa onde estagiou.

Ainda, temos o networking. Durante um estágio, nos relacionamos com inúmeras pessoas diferentes: colegas, chefes, clientes… Uma rede bem construída não serve somente para te ajudar a conquistar novas oportunidades no futuro, mas também para te fazer crescer como profissional.

O estágio também é o momento ideal para investir, se possível, em outros aspectos do seu desenvolvimento profissional – como seu inglês, conhecimento de matemática financeira, entre outros.

5. Jovem Aprendiz como experiência

Jovens entre 14 e 20 anos podem trabalhar em instituições financeiras sob a modalidade de Jovem Aprendiz. Todos esses lugares, inclusive, oferecem essa possibilidade, considerando que estas devem legalmente preencher 5% de suas vagas dessa forma.

Dentro desse contexto, esse Jovem Aprendiz poderá trabalhar por até 2 anos no lugar. Na sua rotina, vai trabalhar com tarefas administrativas básicas. Para aqueles que desejam tentar uma vaga “oficial”, digamos assim, no futuro, é preciso começar a cursar alguma faculdade.

6. Como trabalhar em um banco privado como Trainee

Esse tipo de programa, ao contrário do Jovem Aprendiz, é para quem recém concluiu a graduação e deseja ter suas primeiras experiências no mercado de trabalho. Em geral, essa modalidade dura 1 ou 2 anos, e oferece bons salários para começar a carreira.

É preciso ter em mente, aliás, que os processos seletivos para Trainees podem ser bastante longos e cansativos. Currículos, dinâmicas de grupo, testes onlines e outros métodos de contratação podem ser alguns dos desafios que você vai enfrentar. Por isso, comece o processo preparado para se mostrar sempre como um profissional humilde, ávido por aprender e cheio de energia.

7. Invista em Networking

Essa é uma dica que pode ser seguida em todos os demais conselhos que dei até agora. Na faculdade e nos estágios, por exemplo, você naturalmente vai conhecer muita gente. 

Ao longo da sua carreira, é essa rede de pessoas que poderá te indicar para vagas, compartilhar conhecimento com você ou ser o seu suporte quando você precisar de um. Por isso, lembre-se sempre de, ao longo de toda a sua trajetória, desde o começo, de ser uma pessoa aberta, honesta, comunicativa e empenhada em ensinar e aprender com os demais.

8. Tenha uma certificação financeira como diferencial

Aqui, vale lembrar que, apesar de muitas certificações financeiras não serem oficialmente obrigatórias, não são poucas as instituições que as tornaram uma exigência. 

Uma certificação é mais do que um diferencial para o currículo: ela é, ainda, um atestado de que você está apto para exercer determinadas funções, que detém conhecimento suficiente para estar no mercado financeiro. Logo, elas te trazem muito mais credibilidade.

Ademais, eu reforço o seguinte: uma certificação só não deve ser o suficiente. Comece aos poucos, é claro. Contudo, não se permita estagnar. Quanto mais certificações nós temos, mais portas se abrem pelo caminho, e mais nós mostramos ao mercado de trabalho que somos profissionais sérios e que constantemente nos atualizamos e desenvolvemos.

9. Faça seu melhor currículo para banco

O currículo será como o seu cartão de visita. Antes de um recrutador saber quem de fato você é, o seu currículo será a única fonte de informação sobre o seu lado profissional. Por isso, ele deve ser atrativo e bem feito.

De nada adianta ser um profissional qualificado, certificado e fora da curva se você não conseguir comunicar isso de maneira assertiva. Se precisar de ajuda, saiba que o curso de “Como Montar o Currículo Perfeito” da TopInvest está disponível a qualquer momento em nosso site!

10. Cadastre seu currículo online

Todos os sites de bancos têm uma aba de “Trabalhe conosco” disponível para o público. Logo, não tem motivo para perder tempo: basta acessá-los e deixar o seu currículo por lá.

É importante que, após o cadastro, você fique de olho no seu e-mail, caso entrem em contato. Além disso, não se esqueça de atualizar regularmente as suas informações.

Para te ajudar, trouxe alguns bancos para você cadastrar o seu currículo agora mesmo:

11. Esteja preparado para a entrevista

Quando tudo dá certo, um recrutador te convida para uma entrevista. Tudo bem ficar nervoso: todas as pessoas ficam, independente de suas profissões. Contudo, é necessário controlar esse nervosismo e saber como se comunicar de forma assertiva nesse momento.

Primeiramente, lembre-se de que esses recrutadores já têm suas informações gerais – formação e experiências prévias, por exemplo. Então, este é o momento de apontar tudo o que não coube no papel: suas conquistas, como o seu trabalho trouxe resultados positivos anteriormente, o que seu histórico te trouxe de aprendizado etc.

Outra dica importante é que você estude a empresa para a qual está aplicando. Assim, fica claro que o seu interesse está naquele lugar e naquela posição específicos, não apenas na ideia geral de conseguir um emprego – até mesmo quando essa segunda parte é a verdade!

Antes da entrevista, prepare-se para possíveis perguntas que normalmente são feitas, como seus objetivos profissionais, suas qualidades e seus defeitos. Prepare-se, mas não seja robótico. E também seja honesto – listar “perfeccionista” como defeito não vale mais!

Ademais, preste atenção, também, em alguns detalhes físicos para transmitir uma imagem melhor de si mesmo. Saber o que fazer com as mãos, tentar controlar sinais de nervosismo e falar devagar para não se sentir ansioso são boas técnicas que te fazem parecer mais calmo e centrado.

12. Aprenda com as negativas

Não tenha dúvidas: você vai ouvir muitos “não” pelo caminho. Eu ouvi muitos, meus colegas de profissão ouviram muitos. Às vezes, eles vêm em forma de uma vaga que nos foi negada. Outras vezes, uma nota baixa em uma prova ou uma reprovação na hora de tentar uma certificação financeira.

Em todos esses momentos, há um motivo pelo qual levamos esse “não”: faltou conhecimento? Deixamos de nos esforçar em algum ponto? O que poderia ter sido melhor?

O “não” deve servir como aprendizado, e não como razão para desistirmos. Ok?

Como trabalhar em banco público?

Até aqui, você aprendeu algumas dicas que vão te ajudar na hora de conseguir emprego em um banco privado – apesar de elas também serem valiosas para a sua carreira em si, seja qual for o momento no qual você está agora.

Agora, vamos focar a nossa atenção nos bancos públicos.

Se prepare para o concurso público

O processo para conseguir uma vaga em um banco público é diferente. Nesse caso, é necessário aplicar e prestar um concurso. Como eu acabei de mencionar, mesmo assim é bom que você considere as dicas que leu até aqui. Afinal, mesmo conseguindo seu lugar em uma instituição pública, o desenvolvimento profissional deve ser uma constante na sua carreira.

Não perca as datas dos editais

Diferente de muitas certificações financeiras, por exemplo, os concursos públicos não podem ser feitos a qualquer momento. Pelo contrário: eles têm data para acontecer. Por isso, se essa é a sua ambição, é necessário ficar de olho nas datas dos editais e nas vagas que te interessam.

É nos editais, inclusive, que você obterá mais informações sobre a prova que deverá fazer. Assim, na hora de estudar, vai saber exatamente os tópicos que precisa revisar e estar preparado!

Vem com a Top?

Deu pra entender que, seja qual for o seu caminho, para trabalhar em banco privado e em banco público, precisa ser um profissional excelente, certo? E olha só que coincidência: transformar você em um profissional top de linha é a nossa especialidade! Por aqui, não somente temos cursos preparatórios para certificações financeiras, como também cursos de desenvolvimento profissional e muito conteúdo útil no blog da TopInvest!

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!