A carreira financeira é vasta. Se por um momento você pensou, por exemplo, que ela se resumia a trabalhar em bancos, se enganou. Prova disso é o número crescente de profissionais que desejam ser correspondente bancário. Você já tinha ouvido falar sobre? Hoje, eu vou te explicar tudo sobre essa profissão e por que ela vale a pena.

O que é um correspondente bancário?

Você já reparou que algumas lojas oferecem empréstimos? Ou que alguns lugares, como mercados, às vezes possibilitam que os clientes paguem boletos? Esses são os exemplos mais comuns do que é um correspondente bancário.

Em resumo, um correspondente bancário é um intermediário entre os clientes e os bancos. Em sua ocupação, ele oferece às pessoas os serviços financeiros normalmente encontrados nessas instituições, como pagamentos, financiamentos e empréstimos.

Por que os bancos precisam de um correspondente bancário?

A correspondência bancária amplia o alcance dos bancos em determinada localidade, especialmente naquelas onde não há nenhuma agência disponível. 

Além disso, mesmo quando há agências no local, um correspondente bancário torna os serviços financeiros da instituição muito mais acessíveis e fáceis de serem solicitados. Ao financiar uma casa em uma imobiliária que oferece essa possibilidade, por exemplo, um cliente não precisa se dirigir até o banco para finalizar o processo.

O que faz um correspondente bancário?

Primeiramente, é importante esclarecer que um correspondente bancário não é uma Pessoa Física – é, obrigatoriamente, uma Pessoa Jurídica. Entendido? Agora, vamos às suas funções principais:

  • Serviço de cobrança;
  • Pagamento de contas;
  • Fornecimento de cartão de crédito, que estarão sob a responsabilidade do banco ou da instituição que contratou o correspondente;
  • Operações de câmbio;
  • Recebimento e encaminhamento de propostas de abertura de contas;
  • Análise de crédito;
  • Transferências e movimentações.

No exercício destes serviços, um correspondente bancário jamais poderá solicitar o pagamento adiantado de nenhum cliente. Além disso, não deve impor nenhuma taxa extra pela realização dos serviços, nem fornecer empréstimo por conta própria, sem estar vinculado a uma instituição financeira.

Ser correspondente bancário vale a pena?

Segundo o Banco Central, 43,4% das cidades brasileiras não têm uma agência bancária disponível. Além disso, mesmo com a digitalização de inúmeros serviços financeiros, ainda há muita gente que precisa de atendimento presencial, ou que não tem acesso à internet para realizá-los por conta própria.

Por tudo isso, a profissão de correspondente bancário tem despontado como promissora para o futuro. Entretanto, o amplo mercado de atuação não é a única vantagem que se tem ao optar por esse caminho. Olha só:

Atuar em vários ramos

A lista de serviços de um correspondente bancário é longa. Portanto, o exercício dessa profissão pode ser feito de diferentes formas. É possível, por exemplo, apenas realizar pagamentos para os clientes. Caso você já tenha uma imobiliária, uma possibilidade é a de ofertar financiamento diretamente no seu estabelecimento.

Oferecer serviços de crédito personalizados

Um correspondente bancário pode estar vinculado a mais de um banco. Por consequência, tem a chance de oferecer aos clientes serviços personalizados, em busca das melhores taxas e condições para cada um. Neste tópico, entretanto, eu tenho um adendo bem importante: para atuar dessa forma, é indispensável que você entenda do assunto, certo?

Autogestão

Como uma Pessoa Jurídica à frente do seu próprio estabelecimento de correspondência bancária, muitas responsabilidades deverão ser assumidas. Um bom networking e uma excelente divulgação de seus serviços, por exemplo, são necessárias.

Ao mesmo tempo, é você quem comandará as suas ações e sua equipe. Ademais, também montará o seu próprio cronograma de horários, o que traz mais liberdade e dinamismo para a sua rotina.

Metas de produtividade

Por iniciativa própria muitos correspondentes bancários estabelecem metas mensais de produtividade. Mesmo assim, muitos bancos as estipulam também. Dessa forma, se tem um incentivo a mais para exercitar sua disciplina e organização.

Estas metas também são importantes para a sua remuneração, afinal, ela acontece de um jeito diferente. Não entendeu? Eu vou explicar:

Remuneração

Lembra que eu falei sobre como os correspondentes bancários são proibidos de estabelecerem taxas ou cobrarem pagamentos adiantados? 

Tudo isso tem uma razão: a remuneração do correspondente é feita por sistema de comissionamento. Ou seja, é o banco quem paga o profissional pela execução dos serviços, não as pessoas. Por isso, quanto mais clientes tiver, melhor será a sua remuneração.

Quanto ganha um correspondente bancário

Como a remuneração é comissionada, o valor pode mudar mês a mês. De forma geral, correspondentes ganham entre R$1.500,00 e R$2.000,00, se falarmos de salário fixo.

De acordo com o Conselho Monetário Nacional, esses profissionais devem receber, à vista, 6% do valor total da operação que estão realizando. Portanto, se um dia você, como correspondente bancário, realizar um financiamento de R$500.000,00, sua comissão será de R$30.000,00.

Tabela de comissão para correspondentes bancários

A melhor forma de ter uma noção real dos ganhos de um correspondente bancário é consultar a tabela de valores da Febraban

Assim, é possível consultar as porcentagens e os ganhos obtidos em cada operação financeira que um correspondente bancário pode oferecer aos clientes.

Como ser um correspondente bancário?

Se tornar um correspondente bancário é uma excelente opção para decolar a sua carreira financeira no futuro, ou para ampliar os seus horizontes atuais. Logo, se você deseja se tornar um, é só seguir esses passos que eu vou mostrar agora.

Obtenha uma certificação financeira

Se a sua pretensão é apenas oferecer o serviço de pagamento de contas e boletos, o processo é mais simples. Para isso, basta contatar o banco ao qual você deseja estabelecer um vínculo e entregar os documentos que te serão solicitados. Em geral, não há nada de muito complexo aqui, apenas comprovante de residência, seu CNPJ, etc.

Contudo, ao trabalhar com operações de crédito, ter uma certificação financeira se torna obrigatório. Dentre as opções disponíveis, estão:

  • Febraban Completa ou ANEPS Completa: é possível se inscrever em ambas a qualquer momento, sem ter que esperar por determinado período. Além disso, saiba que as duas te autorizarão a trabalhar com Crédito Direto ao Consumidor, financiamento de veículos e crédito consignado;
  • ABECIP CA-300 ou ABECIP CA-600: essas duas certificações são especiais para quem deseja trabalhar com crédito imobiliário. Portanto, se este for o seu desejo, é necessário ter a Febraban ou a ANEPS, além de uma ABECIP.

Inclusive, se precisar de auxílio para prestar as provas e conquistar as suas certificações, pode contar com a TopInvest, pois nós temos cursos preparatórios excelentes para te ajudar: 

Reúna os documentos necessários

Como eu já mencionei aqui, as instituições financeiras as quais você deseja se vincular irão solicitar alguns documentos para oficializar essa parceria. Entretanto, não há nada com o que se preocupar: apesar da lista diferir de acordo com cada banco, em geral eles pedem apenas pelo básico, como CNPJ, conta em banco e comprovante de residência.

Entre em contato com o banco

Por fim, é necessário ir presencialmente até a agência mais próxima do banco escolhido e conversar com o gerente local. É nesse momento que a parceria vai ser oficializada e você poderá atuar como correspondente bancário.

Qual o melhor banco para ser correspondente bancário?

Tudo depende das suas ambições, da cidade onde você mora (que instituições disponíveis você tem por aí) e dos serviços que pretende oferecer. Por via das dúvidas, eu trouxe aqui o que cada um dos bancos mais populares entre os correspondentes requerem para que um profissional possa se vincular a eles.

Não se esqueça: caso a sua pretensão seja trabalhar com operações de crédito, a este passo a passo deve ser adicionada a certificação financeira! 

Dúvidas frequentes sobre correspondente bancário

Tenho ainda mais algumas dúvidas para te responder!

MEI pode ser correspondente bancário?

Pode! Contudo, há um detalhe a ser observado: um MEI pode ter apenas um funcionário e tem faturamento limitado nesse CNPJ. 

Além disso, o Código de Classificação de Atividades Econômicas, que corresponderia às atividades de correspondente bancário, já não está mais disponível para quem é MEI. 

Atualmente, há apenas a categoria “Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas não especificadas anteriormente”, ou a sub-atividade “escritório de representação – filial de empresa estrangeira, exceto de bancos estrangeiros”.

O Banco Central não tem nenhuma especificação contra essa categoria. Por isso, antes de tomar qualquer decisão, consulte os requisitos exigidos pelo banco que escolher.

Posso ser correspondente bancário em home office?

Pode! Em 2021 a atuação remota e em home office foi aprovada para os correspondentes bancários.
Gostou desse conteúdo sobre correspondente bancário? Em nosso canal do YouTube, você encontra muito mais!

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!