A carreira financeira é um caminho que desperta várias dúvidas de quem o percorre. Algumas delas, como esta que dá título a este artigo, não são técnicas e nos fazem refletir um pouco mais sobre como esse mercado de fato funciona.

A idade é aquele assunto que já rendeu muita reflexão e receio na cabeça de absolutamente todo mundo, sejamos mais jovens ou mais velhos. Essa dúvida também te assombra? Se sim, faça o seguinte: fica aqui comigo nesse artigo, que agora vamos ter uma conversa que vai te deixar mais calmo.

Tem limite de idade para trabalhar no banco?

Aqui eu trago a primeira boa notícia: não! Não há, oficialmente, nenhuma lei que vai te impedir de entrar em um banco por causa da sua idade. 

Na prática, assim como em qualquer profissão, há sempre o receio de se deparar com uma empresa que dá preferência aos profissionais mais jovens, por exemplo, ou àqueles que já têm experiência sólida no mercado

Esse é um obstáculo que talvez você encontre na sua jornada, mas que não significa que não há absolutamente nenhum outro lugar disponível.

Inclusive, há de se destacar aqui que, nos últimos anos, tenho observado uma crescente discussão sobre inclusão, de forma geral, no ambiente de trabalho. Neste âmbito, a idade também entra na roda. Por consequência, muitas empresas, hoje, têm programas para contratar tanto pessoas mais jovens, inexperientes, quanto pessoas mais velhas.

Com 25 anos ainda consigo trabalhar em banco?

Há, por aí, um boato eterno de que os bancos só contratam pessoas com menos de 25 anos. Contudo, isso não passa da palavra que usei para descrever a afirmação: boato. Não é real.

O que acontece, na verdade, é que muitas instituições financeiras têm notório interesse em formar profissionais. Como assim? Contratar alguém com pouca experiência, geralmente mais jovens, para moldar essa força de trabalho de acordo com o propósito e a cultura empresarial em questão.

Entretanto, se faz fundamental para mim te lembrar que essa mentalidade de forma alguma “apaga” a sua trajetória, no caso de você, leitor, ser um profissional mais velho e experiente. É inegável, nesse caso, que você traz consigo uma bagagem de conhecimento que pode ser extremamente valiosa para uma empresa. Portanto, na hora de buscar emprego, não se esqueça de se “vender” como o bom profissional que é.

Qual a melhor idade para trabalhar no mercado financeiro?

Aqui, peço licença para ser clichê: a melhor idade é a que você tem agora. Afinal, não é possível forjar outra, não é?! Brincadeiras à parte, tudo o que é necessário fazer é se oferecer no mercado de trabalho a partir da valorização do profissional que você é hoje, independentemente do fato de ter 20 ou 50 anos.

O que eu quero dizer com isso? Se tiver pouca experiência, foque na sua disposição para aprender, sua versatilidade e em como tem se esforçado para compensar essa falta com muito estudo. 

Se a sua trajetória for mais longa, traga para o currículo e para as entrevistas mais do que apenas detalhes técnicos sobre essas experiências, mas conquistas e momentos marcantes que, ao longo desse tempo, te tornaram no profissional que você é. Além disso, torne claro o seu desejo por atualização e o seu esforço em não apenas trazer para a instituição as suas experiências passadas, mas também a sua intenção de se abrir às novidades do presente e do futuro.

Quais requisitos preciso ter para trabalhar em um banco?

As respostas a essa pergunta podem variar de acordo com a instituição em questão, ou com a função que deseja.

Graduações em Contábeis, Economia e Administração, por exemplo, são algo em comum aos candidatos e que normalmente são requisitos em inúmeras empresas. Marketing, Recursos Humanos e Tecnologia da Informação são outras opções.

Além disso, há as certificações financeiras, das quais eu falo tantas vezes por aqui. Neste exemplo, temos a CPA-10, a CPA-20 e a CEA, que são algumas das mais populares. 

Em muitas instituições, pelo menos a CPA-10 é obrigatoriedade. Inclusive, mesmo que não fosse, é altamente recomendável que você tenha essas certificações no currículo. Afinal, experiente ou não, elas demonstram que a sua base de conhecimento é ampla e sólida – e que você é alguém com interesse em se atualizar e aprender coisas novas.

Por que trabalhar em uma cooperativa de crédito?

Quando eu falo sobre trabalhar em banco, as primeiras instituições que surgem na conversa são as tradicionais, como o Banrisul e o Santander, por exemplo. Contudo, o mercado financeiro é amplo e conta com muito mais do que apenas algumas poucas opções.

As cooperativas de crédito são uma delas. Em resumo, o processo seletivo nesses lugares é mais simples do que em um banco tradicional. Veja bem: nestes últimos, as etapas são muitas, nas quais você provavelmente será entrevistado por mais de um profissional. Já nas cooperativas, é muito mais provável que, de cara, a sua conversa  aconteça com um dos gerentes do lugar. Assim, aumentam suas chances de impressionar e conquistar quem importa.

Não menos importante, os planos de carreira nesses lugares costumam ser tão atraentes quanto aqueles das empresas maiores, e a flexibilidade de contratação em relação à idade dos candidatos também é um ponto a favor.

Seja qual for a sua idade, ou os seus planos para o futuro, saiba que a TopInvest pode ajudar você a se tornar um profissional top de linha! Para isso, temos cursos preparatórios, apostilas gratuitas e simulados.

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!