Absolutamente impossível falar de investimento sem falar de rentabilidade. Afinal, quando um cliente (ou você mesmo) deseja investir, é com foco na rentabilidade futura. Por essa razão, o tema deste artigo que você está lendo agora é básico. Contudo, é extremamente importante. 

O que é rentabilidade?

Eu não tenho dúvidas de que este é um conceito bastante familiar para você. Teoricamente falando, a rentabilidade é o sucesso de um determinado investimento. Ele é calculado, inclusive, considerando o capital inicial e a remuneração final. 

Em outras palavras, posso definir como a diferença positiva entre valor inicial do investimento e o seu valor final. Entendeu? Na maioria dos casos, a rentabilidade é o percentual obtido ao final de determinado prazo.

Qual a diferença entre rentabilidade, lucratividade e liquidez?

Os conceitos são bastante parecidos. Apesar de a confusão ser compreensível, na prática da profissão, ela é inadmissível. Por isso, presta atenção na diferença:

  • Rentabilidade: é a porcentagem do retorno sobre o investimento;
  • Lucratividade: é o ganho obtido pela empresa, o famigerado lucro;
  • Liquidez: é a capacidade de um ativo de se tornar uma renda.

Quais os tipos de rentabilidade?

Se tratando de investimentos, temos três tipos de rentabilidade possíveis.

Nominal

A rentabilidade nominal é o valor do rendimento sem descontos. Em outras palavras, é o valor bruto obtido dentro de determinado período.

Por ser bruto, é calculado antes de aplicarmos taxas e impostos sobre ele. Em geral, as instituições financeiras divulgam essa porcentagem para o público.

Líquida

Aqui, ao contrário da rentabilidade nominal, as taxas e os impostos são considerados. Com a rentabilidade líquida, é possível observar quanto impacto os custos de investimento causam no lucro da aplicação.

Rentabilidade real

A rentabilidade real é a que calcula o rendimento de uma aplicação após os descontos. Para muitos, esse é o tipo mais relevante para os investidores.

Ela é o índice que indica o aumento do patrimônio investido. Dessa forma, se o investimento rendeu o mesmo percentual da inflação, então, o resultado é positivo. Afinal, foi possível manter o poder de compra.

Como calcular a rentabilidade de um investimento?

Agora que você já entendeu o básico sobre rentabilidade, é hora de aprender a calculá-las.

Como calcular rentabilidade no Excel

Para fazer o cálculo, é preciso ter o lucro líquido e o custo de um investimento. Estes dados, por sua vez, devem ser escritos nas células A3 e B3 da planilha. Após, você deve colar a seguinte fórmula na célula C3:

=B3/A3

O resultado precisa ser formatado como porcentagem. Para isso, basta clicar na célula C3 e depois no sinal de porcentagem – que fica no grupo “Número”, nas opções da Página Inicial do software.

Como calcular a rentabilidade real de um investimento

Só é possível chegar ao valor correto da rentabilidade real se considerarmos o seu retorno nominal, ou seja, sem descontos. Além deste, é claro que também utilizaremos o valor com efeito inflacionário.

A título de exemplo, vamos considerar R$110 como o valor do investimento no final do período e R$105 como o valor com o efeito inflacionário.

Com estes dados, vamos à fórmula matemática:

(1 + rendimentos) / (1 + inflação) – 1

Ou seja:

(100% + 10%) / (100% + 5%) – 1

110% / 150% – 1

4,76%

Com isso, vemos que o resultado é de 4,76%. Esse resultado pode ser atingido também através de uma conta mais simples:

110/105 – 1

Como calcular a rentabilidade de ações?

Antes de tudo, é preciso lembrar que ações são investimentos de renda variável. Por isso, é impossível calcular quanto uma ação vai render. O cálculo que veremos aqui serve para analisarmos rendimentos passados, quando já temos informações concretas sobre a ação.

A fórmula que deve ser utilizada também é bastante simples:

(preço atual / preço anterior) x 100 – 100

Vamos supor que uma ação começou o ano com o valor de R$11 e, ao fim deste período, está cotada em R$15. Dessa forma:

(15/11) x 100 – 100 = 36,36%.

Como calcular a rentabilidade acumulada?

Aqui, calculamos quanto uma ação rendeu durante todo o período de investimento, não apenas sobre um período selecionado.

Seu cálculo deve ser feito por partes:

  • Considere o valor inicial da cota;
  • Além dele, considere também a quantidade de cotas;
  • Utilize o valor de cota no fim de cada mês para dividir pela quantidade total de cotas e o valor da carteira;
  • Divida o patrimônio final e a quantidade de cotas. Aqui, você obtém o valor da cota final;
  • Por fim, divida o valor da cota final pelo inicial. 

Neste último passo você terá a rentabilidade acumulada.

Como as taxas influenciam na rentabilidade?

Ao longo deste artigo, eu falei de taxas várias vezes. Afinal, elas têm um papel importante sobre a rentabilidade. Para entender melhor como elas agem, vamos analisar cada um de seus tipos.

Taxa prefixada

Uma taxa prefixada indica que sabemos de antemão o retorno exato do investimento. Assim, o rendimento obedece a uma taxa sobre a qual o investidor é informado desde o primeiro momento. 

O Tesouro Direto Prefixado e as Debêntures Prefixadas são dois exemplos bem populares desta taxa. Apesar de a taxa deixar claro quanto você terá ao fim do investimento, ela não protege o investidor contra as oscilações da economia. Portanto, uma grande mudança macroeconômica pode fazer o investimento deixar de valer tanto a pena.

Taxa pós-fixada

Este tipo de investimento acompanha um indicador econômico, normalmente a Selic ou o CDI. Além disso, costuma oferecer maior liquidez – quando a aplicação é convertida em valor sem perda de dinheiro.

Tesouro Selic e CDB são exemplos de títulos com taxa pós-fixada.

Rentabilidade híbrida

Como o próprio nome já indica, as duas modalidades são combinadas nesta categoria. Exemplo disso é o Tesouro IPCA com taxa prefixada. Muitos investidores o escolhem como uma medida de aumentar o patrimônio para um futuro a longo prazo, como a aposentadoria.

Com ele, há uma proteção contra uma possível desvalorização do real.

O que é índice de ativos e como calcular?

Este índice calcula o retorno sobre o ativo unicamente a partir dos investimentos realizados. O cálculo, por sua vez, é feito independente da fonte dos recursos. 

A fórmula matemática que você utiliza é a seguinte:

x = (LL x 100) / VA

Para aplicá-la, considere:

x: índice de ativos;

LL: lucro líquido;

VA: valor do ativo.

Domine a rentabilidade através de estudos contínuos

Não posso encerrar esse artigo sem lembrar a você que o domínio dessas teorias e fórmulas vem apenas para quem estuda e pratica. No dia a dia de um profissional da carreira bancária, as situações que aparecem são inúmeras.

Dessa forma, tudo o que vimos até aqui é a base do seu conhecimento. Na prática, é necessário “moldar” essa teoria de acordo com a individualidade de cada cliente e de cada cenário.

Mas não se preocupe, isso não é motivo para se assustar. O seu conhecimento sobre rentabilidade está só começando. Para continuar aprendendo, é só se juntar à comunidade TopInvest!

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!