Sempre que falamos dos objetivos do investidor e o prazo de investimento normalmente se faz uma associação com a  análise de perfil do investidor.

Isso se deve ao fato de que a API tornou-se obrigatória em novembro de 2013 quando CVM (Comissão de Valores Mobiliários) divulgou a instrução número 539 que trata sobre este assunto.

É muito provável que você já tenha preenchido uma API. É um questionário relativamente simples que levanta questões importantes que auxiliarão os profissionais de investimento a encontrar o produto financeiro mais adequado ao seu perfil.

As perguntas mais frequentes são relativas a idade do cliente, qual o conhecimento financeiro que o mesmo possui do mercado, qual a sua condição financeira atual, qual o volume de recursos que dispõe para o investimento, o prazo que pretende deixar o capital investido e também se há algum objetivo específico para o valor.

As perguntas mais comuns nas APIs são:

  • “O que você faz se o investimento cair”
  • “Qual a sua idade”
  • ”Que investimentos já possuiu?”
  • “O quanto sabe sobre investimentos”
  • “Qual o prazo do seu investimento?”

Você pode perceber que nestas perguntas não há coisas muito importantes como a situação na vida do investidor, sua estrutura familiar e mais importante de tudo… Qual o seu objetivo no investimento? Por mais que alguns questionários peçam em qual prazo você deseja investir, a prioridade dada a este tema não é nem de perto tão grande quanto a sua aversão a risco. Em alguns casos nem existem perguntas sobre seu horizonte de investimentos, na maioria dos casos não há nenhuma harmonização do investimento com o prazo do seu objetivo.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Os três perfis de investidor

O preenchimento da API (Análise de Perfil do Investidor) retorna o perfil do cliente que varia de conservador para moderado ou agressivo. Veja abaixo as principais características de cada um destes perfis:

Conservador: Aqui enquadram-se os investidores que possuem a maior aversão a risco, buscam acima de tudo a manutenção do patrimônio. Geralmente o objetivo deste tipo de investidor é receber retornos reais (acima da inflação) com o menor risco possível. Os investimentos mais recomendados a este tipo de investidor são o Tesouro Diretocaderneta de poupança, CDBs, e outros investimentos de renda fixa.

Moderado: Os investidores de perfil moderado são aqueles que aceitam correr alguns riscos para obter retornos um pouco acima do Benchmark (índice de referência).

Aqui é recomendada uma posição em majoritariamente em renda fixa mas com um pequeno percentual em Ações, Fundos Imobiliários e fundos multimercado. Este tipo de investidor costuma ter uma mescla de posições conservadoras com algumas posições mais agressivas.

Agressivo: Os investidores agressivos geralmente são os mais jovens, que aceitam correr um risco maior em busca de uma maior rentabilidade mantendo a maior parte de suas posições em ativos de renda variável.

Com a intenção de adquirir grandes retornos, este tipo de investidor costuma ter uma participação maior em investimentos de renda variável como Ações, Mercado a Termo, Mercado Futuro, Mercado de Opções e até mesmo no Mercado Forex (negociação de moedas).

O ponto é que como você pode ver os perfis pré estabelecidos falam apenas sobre as classes de ativos e não levam em consideração os objetivos do investidor e o prazo de investimento disponível.

As corretoras de valores e bancos raramente tentam fazer uma análise mais aprofundada sobre o objetivo do investidor e o prazo do investimento porque isso acaba cessando o giro de patrimônio o que diminui a remuneração de bancos e outros intermediários.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Infelizmente quando você gira seu patrimônio é necessário pagar taxas, comissões e impostos e todos estes custos vão sair do seu bolso. Para que você possa investir melhor diminuindo o giro do seu patrimônio e consequentemente as taxas e impostos a pagar é necessário saber enquadrar os objetivos do investidor e o prazo de investimento.

Antes de investir você deve definir claramente qual é o seu objetivo para aquele recurso e qual será o prazo de investimento. Por exemplo, se você tem dois objetivos distintos como comprar um imóvel à vista em 10 anos e trocar de carro em 3 anos cada um destes objetivos deve ser alocado em um investimento diferente porque são objetivos diferentes com um prazo muito diferente.

Pode parecer bobo mas como veremos mais a frente em nosso curso a diferença no acumulo do seu patrimônio pode ser gigantesca.

Perfil do Investidor e o Prazo de Investimento

De forma simples, eu costumo a dividir os prazos de investimento da seguinte maneira:

Curto Prazo: Investimentos para o período de até dois anos. A melhor opção para investimentos de curso prazo é o Tesouro SELIC onde não há chance de sofrer variações drásticas no PU e outros investimentos conservadores como a Poupança (para até 1 ano pode ser vantajoso devido a isenção de IR), LCIs e LCAs ou mesmo os CDBs.

Médio Prazo: Costumo classificar como médio prazo investimentos com objetivos em um intervalo de 2 a 5 anos. A tributação de investimento de renda fixa obtém benefícios pela aplicação em um prazo maior pela tabela regressiva de Imposto de Renda. Opções de investimento interessante para este prazo são o Tesouro SELIC e Tesouro Pré-Fixado além de opções de investimento um pouco mais agressivas como fundos multimercado.

Longo Prazo: Este tipo de investimento tem duração superior a 5 anos. Quando falamos de tesouro direto no longo prazo a melhor opção sem sombra de dúvidas é o Tesouro IPCA porque neste título é garantida uma remuneração real ao investidor, ou seja, acima da inflação. Claro que aqui também é importante levar em consideração investimentos em renda variável como Ações e Fundos Imobiliários porque no longo prazo estes investimentos serão seus aliados para viver de renda passiva.

Principalmente quando falamos de tesouro direto ter uma idéia clara do prazo de investimento é muito importante na hora de escolher o título certo. Os títulos tem prazos de maturação diferentes e o valor que aparece na hora da compra só é garantido se você ficar com o título até o seu vencimento.

Enquadrando os Objetivos do Investidor e o Prazo de Investimento

Agora cabe a você mesclar o prazo da sua necessidade com o seu perfil de investidor e saber adequar o melhor título do tesouro ao seu objetivo e perfil de investidor. Nos próximos capítulos vamos tratar detalhadamente sobre cada um dos títulos do tesouro enquadras os objetivos do investidor e o prazo do investimento será uma tarefa simples.