Esse é um termo muito falado no mercado e na Economia. Capitalização está diretamente relacionado com o rendimento das aplicações financeiras. Ela pode ser simples ou composta e tem relação com a taxa juros. E é aí que entramos no conceito de juros simples (capitalização simples) e juro composto (capitalização composta). Com certeza, você já deve ter ouvido falar sobre eles, mas você sabe o que cada um representa? Bora desmistificar esse assunto que só tem o nome de complexo!

O que são regimes de capitalização?

Existem dois em nosso mercado: o juro simples e o juro compostos. Mas antes, de entrar um pouco mais nesse assunto, vamos primeiro entender o que são juros

Eles são nada mais, nada menos, do que o valor do dinheiro ao longo do tempo. E o cálculo dos juros é chamado de capitalização, ou seja, ela está totalmente ligada ao rendimento do seu capital, do seu dinheiro. O tipo terá relação com o juro, se for utilizado o regime de juros simples, será capitalização simples, se for utilizado os juros compostos, será capitalização composta. Vamos entender o que significada cada um desses termos?

O que significa capitalização simples?

Quando falamos de juros simples ou capitalização simples, estamos falando sobre os juros que incidem apenas sobre o valor inicial. Portanto, não há a incidência de juros sobre juros. O retorno do dinheiro aplicado ou emprestado, será em cima do valor inicialmente aplicado e não dos juros acumulados no período, por isso ela é chamada de simples. Vamos à fórmula para fazer o cálculo desse tipo de rendimento:

Qual a fórmula da Capitalização Simples?

VF = VP x [ 1 + ( taxa x prazo ) ]

Onde:

VF = Valor Futuro ou montante

VP = Valor Presente ou capital inicial

Taxa (i) = Expressada em porcentagem, mas na fórmula deve ser considerada em decimal

Prazo (n) = Pode ser dias, meses ou anos.

Devemos ressaltar que para a Capitalização Simples é utilizada a Taxa Proporcional. As taxas de juros proporcionais são aquelas aplicadas à Capitalização Simples, onde a divisão de uma taxa por períodos menores irá apresentar dentro da soma dos períodos o mesmo resultado.

Atenção: é necessário manter a mesma unidade de tempo (dia, mês, semestre ou ano) para o prazo e a taxa na hora do cálculo, para que não haja erro.

Exemplos de capitalização simples

Agora que já explicamos na teoria como funciona tudo isso, bora pra prática! Você fez um empréstimo de R$ 1.000,00 a uma taxa de 1% ao mês com juros simples, por 12 meses. Assim, a taxa de juros de 1% será equivalente à quantia de R$ 10,00 mensais que irá correr apenas sobre os R$ 1.000,00 iniciais. Ao final, seu parente terá pago R$ 120,00, que é o seu rendimento recebido através dos juros simples. 

Qual a vantagem da capitalização simples?

Os juros simples, além de serem mais fáceis de entender são mais vantajosos para quem está utilizando para o pagamento de dívidas. Portanto, na hora de escolher um financiamento, opte por aquele que tem incidência de juros simples, dessa forma, você vai desembolsar menos dinheiro.

O que é capitalização composta?

Na Capitalização Composta ou nos juros compostos há a incidência de juros sobre juros.Ela vai incidir sobre o capital inicial acrescido dos juros acumulados até o período anterior. Aqui a taxa vai variar principalmente em função do tempo. Portanto, a capitalização composta é a soma do dinheiro aplicado (emprestado ou investido) mais o valor dos juros correspondentes ao prazo.

Qual a fórmula da capitalização composta?

VF = VP x (1 + taxa)^n

Na capitalização composta a taxa varia exponencialmente em função do tempo, por isso agora temos uma potência inserida no cálculo. 

Onde:

VF = Valor Futuro ou montante

VP = Valor Presente ou capital inicial

Taxa (i) = Expressada em porcentagem, mas na fórmula deve ser considerada em decimal

Prazo (n) = Pode ser dias, meses ou anos.

Aqui, utilizamos a Taxa Equivalente onde são considerados os juros compostos. 

Atenção: é ainda necessário manter a mesma unidade de tempo (dia, mês, semestre ou ano) para o prazo e a taxa no cálculo, para que não haja erro.

Exemplos de capitalização composta

Vamos utilizar o mesmo exemplo anterior para ficar mais claro a forma que isso acontece. Se você concede a um amigo um empréstimo de R$ 1.000 a uma taxa de 1% ao mês, porém, agora com a capitalização composta. Desta vez, os juros de 1% vão incidir sobre o valor atual da dívida, ou seja, juros sobre juros. Assim, se o empréstimo levar 12 meses para ser pago, o valor atualizado será mais de R$ 1.126,83.

Qual a vantagem da capitalização composta?

Aos olhos dos investimentos, os juros compostos são muito mais vantajosos para o investidor, uma vez que eles proporcionam um retorno superior, tudo isso com a magia dos juros compostos!

Ao contrário também vale, é interessante que você evite contrair dívidas que possuem juros compostos. Logo, ao invés de jogar dinheiro fora pagando os juros, você investe e usa os juros compostos ao seu favor.

Qual a diferença entre juros compostos e capitalização composta?

A capitalização composta também pode ser entendida como juros compostos e é uma forma de remuneração em cima de determinada quantia investida ou emprestada. Dessa forma, podemos afirmar que a capitalização composta é o cálculo do capital por meio dos juros compostos.

Qual a diferença entre capitalização simples e capitalização composta?

A principal diferença entre as duas é o cálculo de juros. Na capitalização composta existem os juros sobre juros e na capitalização simples, a taxa de juros é calculada em cima do valor inicial. Na capitalização simples o valor aumenta de forma linear, já na capitalização composta ele incide de maneira exponencial. 

Dica do Kleber

No regime de Capitalização Composta, o prazo estará em uma potência matemática, ao passo que, no regime de Capitalização Simples o prazo está multiplicando a taxa. Essas e outras dicas, você confere no nosso curso de Matemática Financeira.

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!