Todo nós sabemos que não existe almoço grátis e o Tesouro Direto assim como qualquer outro investimento possui alguns custos.

Neste caso estamos falando especificamente sobre a taxa da B3, a taxa de custódia, de transferência bancária, IOF e Imposto de Renda.

Parece muita coisa, não é mesmo? Mas calma que alguns deles podem ser evitados facilmente e de forma legal.

Vou começar falando sobre aqueles que não podem ser evitados:

Imposto de Renda

Nos investimentos do tesouro direto assim como nos demais investimentos de renda fixa a tributação se dá pela tabela regressiva de imposto de renda para aplicações financeiras. O IR não está necessariamente entre custos do Tesouro Direto mas deve ser levado em consideração. A alíquota começa em 22,5% quando o prazo do investimento for inferior a 6 meses chegando a 15% para prazos superiores a 24 meses.

Para que a compreensão da incidência do imposto de renda sobre os títulos do tesouro direto basta dar uma olhada na tabela abaixo.

Tabela Regressiva Imposto de Renda para Aplicações de Renda Fixa
Tabela Regressiva Imposto de Renda para Aplicações de Renda Fixa

Um detalhe importante na tributação é que os títulos com cupom como o Tesouro Pré Fixado com Cupom semestral e o Tesouro IPCA com Cupom Semestral os pagamentos semestrais de juros também seguem a tabela. Na prática isso quer dizer que se você receber uma parte dos juros em até 180 dias será tributado em 22,50% e se receber o juro acima de 720 dias será tributado em 15%.

Taxa B3

Bom, infelizmente a menos que você tenha mais de R$1,5 milhão investidos no Tesouro Direto, este é um custos do Tesouro Direto que não pode ser evitado. Esta taxa será cobrada sempre no primeiro dia útil de janeiro e julho, mas não significa que a sua corretora irá descontar imediatamente esta taxa de você. Isso acontece porque a taxa não é cobrada diretamente da sua custódia de TPF e sim da sua conta. Por isso é necessário que você tenha este valor em conta para pagar a taxa.

Outra forma da cobrança da taxa da B3 é no pagamento de juros ou na venda ou vencimento de títulos.

O valor cobrado é de 0,3% do valor investido desde que o valor da taxa seja superior a R$10,00. Se a taxa for de até R$ 9,99 você estará isento.

Chega de más notícias. Agora, vou falar das taxas das quais você pode se livrar

Taxa de custódia

A taxa de custódia ou taxa de administração no tesouro direto é uma taxa que a corretora cobra para fazer o cadastro de investidores na bolsa de valores e intermediar as negociações de títulos públicos. A grande maioria das corretoras (veja como escolher uma corretora de valores) te isenta deste tipo de taxa…

O problema é quando você investe pelo banco. Ai a taxa é bem pesada e chega a 0,50% ao ano. Então, tenha cuidado porque quando você compra o título, ocorre o desconto da taxa. Após isso, metade da taxa anual será descontada em janeiro e metade em julho. Essas taxas também serão cobradas no pagamento de juros, na venda antecipada de títulos e no vencimento deles.

IOF

Ah, o IOF. Imposto sobre Operações Financeiras.

A boa notícia é que o IOF é facilmente evitada, basta deixar seu título investido por mais de 30 dias. Agora, caso venda seu título antes de 30 dias quanto mais cedo vender, maior será a taxa cobrada. Esse imposto pode variar de 96% (caso você deixar apenas um dia) e a 3% (caso você deixar 29 dias). Dá uma olhadinha na tabela abaixo:

Tabela IOF Aplicações Financeiras
Tabela IOF Aplicações Financeiras

Transferências bancárias

Por fim no último dos custos do Tesouro Direto temos a transferência bancária. Bom, não há muito o que explicar.

É basicamente a taxa de TED ou DOC que você precisa pagar para transferir os recursos entre sua conta corrente e a conta da corretora. Normalmente todos os pacotes de tarifas bancárias tem incluso no mínimo uma TED. Enquanto isso nos bancos digitais as TED costumam ser ilimitadas.

O valor da TED pode parecer bobagem mas não é.  Se você for investir R$ 100,00 por mês e pagar R$ 11,50 de TED você precisa de 11,50% de rentabilidade (mais de um ano com as taxas atuais) somente pare recuperar este custo.

Enfim, a mensagem que eu quero deixar para você com este artigo é que as taxas para investir no tesouro direto são relativamente pequenas.

Se comparado a taxa de administração de um fundo de investimento atrativo (em média 2% a.a) mesmo pagando a taxa da B3 e a taxa da Corretora (supondo que seja 0,30% + 0,50% temos 0,80%) ainda é muito, mas muito mais eficiente do que através de um fundo de investimento.

Isso que nem falamos sobre o come cotas que incide sobre os fundos, mas isso é assunto para outro artigo.