Para saber como anda seu relacionamento com dinheiro basta dar uma olhada em sua situação financeira atual e na sua perspectiva para o futuro.

Agora, você sabe como ter uma vida financeira saudável? Se você ainda não sabe, fique calmo.

Não há motivo para desespero. A resposta é muito simples, planejamento e organização financeira.

Para construir um planejamento financeiro pessoal serão necessários três tipos de habilidades:

  • Conhecimento em finanças
  • Noções de planejamento
  • Muita disciplina

Se você não tem uma destas habilidades a minha dica é procurar ajuda de algum profissional para te orientar a dar os primeiros passos.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

É somente através de um planejamento financeiro bem elaborado que será possível ter uma visão aprimorada sobre nossos gastos e receitas. Sabendo de onde vem e para onde vão seus recursos, o seu relacionamento com dinheiro será ótimo.

Importância de Organizar suas Finanças

Queira você ou não, todos nós vivemos em função do dinheiro. Para notar isso basta lembrar que para comer e ter um lugar para dormir é necessário o uso do dinheiro. Mesmo que você não trabalhe, o dinheiro de outra pessoa é necessário para que você possa comer e dormir com um mínimo de conforto. 

Justamente por esse motivo, ter um bom relacionamento com dinheiro é um pré requisito para uma vida saudável e feliz. Afinal de contas, é impossível viver bem com o estresse gerado com a preocupação de não conseguir pagar as contas.

O estado do seu relacionamento com dinheiro pode ser respondido através da seguinte pergunta:

Meu padrão de vida condiz com a minha realidade financeira e meus objetivos de vida?

Ao responder essa pergunta com honestidade você perceberá que é possível melhorar sua relação com o dinheiro.

Vale lembrar que o controle de suas finanças é uma condição obrigatória para formar um patrimônio ao longo da vida, assim como atender certos objetivos como a independência financeira. 

O que é planejamento financeiro?

Um planejamento financeiro pessoal consiste em um conjunto de ações que vão lhe ajudar a verificar o quão saudável estão suas finanças e a projetar sua situação futura. Com base neste panorama é possível estabelecer estratégias para cumprir com seus objetivos e compromissos a curto, médio e longo prazos.

No caso das finanças pessoais será necessário controlar suas receitas (salário, pro-labores, pagamentos por trabalho freelance) e as despesas. 

Quando falamos de despesas é imprescindível que você as separe em despesas fixas, despesas variáveis e despesas descartáveis.

Caso você não saiba muito bem como fazer isso, eu escrevi um artigo bem completo falando categorias de despesas

Depois de dividir as despesas quanto as categorias você deve estipular um teto de gastos para cada categoria. Por exemplo: 100 reais para roupas, 200 para alimentação, 600 para moradia e assim por diante.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Dessa maneira, antes de receber suas fontes de renda ( veja mais sobre a importância de ter mais de uma fonte de renda) você terá uma visão geral de como serão seus gastos no mês. Se perceber que irá faltar dinheiro você pode evitar as despesas descartáveis e continuar tendo um bom relacionamento com dinheiro.  Ao se conscientizar disso você consegue identificar falhas com antecedência e estabelecer meios de corrigi-las direcionando assim suas finanças para o rumo que deseja. 

Através das informações obtidas nesse processo de classificação de despesas e receitas já dá para começar a organizar sua vida financeira. 

Para criar um bom planejamento financeiro você deve encarar a própria vida como uma empresa. Desta forma é necessário que você tenha conhecimentos básicos de fluxo de caixa, investimentos, funcionamento do sistema bancário e criação de metas. 

Metas e Objetivos

Ninguém economiza sem nenhum motivo certo? O valor poupado que é resultante de sua economia deve ser destinado a algum objetivo ou uma meta. Mas qual a diferença?

Ao realizar um planejamento financeiro geralmente as pessoas estipulam uma lista de objetivos conforme o estágio da vida em que se encontram. Estes objetivos devem estar em sintonia com o plano de carreira para fortalecer o crescimento profissional.

Já as metas dizem respeito a quantificação do que se quer atingir, como por exemplo comprar uma casa na praia no valor de R$ 500.000,00 quando fizer 45 anos.

No caso da organização financeira pessoal a definição de metas possui grande importância para que você não perca a direção de onde quer chegar. Se uma meta de poupança mensal não for cumprida você não irá alcançar suas metas de longo prazo como a meta de adquirir uma casa na praia.

Mantendo o Orçamento em Dia

Muitas pessoas se perdem no controle do planejamento financeiro porque não possuem um método seguro de controle. Quem faz os cálculos de cabeça corre o risco de achar que tem mais dinheiro do que a realidade.

Para evitar esse tipo de situação você deve ter um método a prova de falhas. Anote a movimentação de receitas e despesas em aplicativos de finanças pessoais como o Mobills e o Organizze. Coloque o registro de suas transações como prioridade nas suas atividades e você nunca irá perder o controle.

Ao final do mês você precisa apenas comparar se seus gastos mensais estão de acordo com o que você planejou. Se sobrou dinheiro e você teve um superávit é possível direcionar estes recursos para uma aplicação financeira e acelerar aquela tão sonhada viagem ou a independência financeira.

Falando em aposentadoria, um consenso entre os educadores financeiros é a recomendação de que você guarde no mínimo 10% de todos os seus ganhos para criar um fundo de aposentadoria, afinal de contas não podemos contar com o INSS.

Outro consenso entre os educadores financeiros é a criação de um fundo de emergência no valor de aproximadamente 6 vezes a sua renda. Já pensou se você precisa fazer uma cirurgia de emergência e é necessário pagar uma diferença para o plano de saúde? Ou mesmo um acidente de carro e é preciso pagar a franquia do seguro? Com certeza um gasto imprevisto como esses iria bagunçar seu orçamento não é mesmo?

O erro mais comum

Você está levando seu planejamento financeiro em dia, todos os meses sobra dinheiro… mas nada de enriquecer? Talvez seu erro seja a falta de compreensão de ativos e passivos para pessoas físicas.  

Um erro muito comum é gastar seu dinheiro excedente em bens que perdem seu valor rapidamente como veículos importados ao invés de se investir em aplicações financeiras, imóveis ou mesmo ações.

A baixa valorização da educação  financeira em nosso país é algo preocupante.

São poucas as pessoas que se planejam financeiramente, enquanto a maioria da população não tem idéia da importância do planejamento no relacionamento com o dinheiro. 

A organização financeira é útil a qualquer pessoa que deseja melhorar seus hábitos de consumo e se aproximar dos seus objetivos.