Ancord

O que é Securitização? - O processo que auxilia na mitigação de risco

Kleber Stumpf
Escrito por Kleber Stumpf em 24 de agosto de 2020
Junte-se a mais de 100 mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A Securitização é um termo que podemos utilizar para dizer quando algo é transformado em um ativo. Sendo um processo de grande importância no Mercado Financeiro, de forma que auxilia em diversos aspectos, principalmente na mitigação de risco e na liquidez do mercado.

Como a Securitização funciona na prática?

Basicamente, podemos entender a Securitização com o meio imobiliário.

Eu, Kléber, sempre gostei muito deste ramo, e pense que eu resolvi construir um prédio. Tal prédio irá custar R$30 milhões, porém, eu não possuo todo este valor.

Desta forma – sem dinheiro – eu vou até uma Instituição Financeira solicitar toda essa grana. E conforme eu vou vendendo os apartamentos de minha obra, que em média levará uns 5 anos para ser concluída, eu irei pagando a instituição. Isso porque, eu pedi o valor emprestado.

Até aí tudo bem, né? Só que aí entra uma empresa mágica chamada Securitizadora.

Curso online Preparatório para Ancord AAI

Qual é sua função?

Ela irá pegar todo esse processo que a Instituição Financeira emprestou, e irá transformar em um ativo financeiro que pode ser negociado entre os investidores.

Nesse exemplo, na prática de eu criar uma obra, acontece o conhecido CRI. Onde a Securitizadora vai chegar até a instituição e mostrará uma proposta para receber o dinheiro antes. Visto que, minha obra demorará em média 5 anos para concluir e poder começar a vender e a pagar a dívida.

Ela irá oferecer R$ 45 milhões na hora para a IF, onde a mesma irá deixar de ter um balanço ocupado por 5 anos e passa a ter esse valor ali na hora.

E aqueles R$ 5 milhões restantes, serão uma remuneração da Securitizadora e do investidor que comprou o CRI lá na outra ponta.

Só que o processo pode ser um tanto que diferente hoje em dia, e essa operação é uma das mais comuns atualmente. Isso acontece porque as construtoras estão cada vez mais inteligentes, pois podem ir direto até as Securitizadoras e realizar o processo sem uma Instituição Financeira.

Mais de 4000 questões comentadas para sua certificação financeira

Participantes do Processo

E apesar de ser um processo grande, há 3 tipos de participantes, que podemos chamar também de players.

  • Originador: é aquele que cede os créditos para serem securitizados. Os créditos que podem ser securitizados são:
    • Financiamentos (muito comum com mercado imobiliário);
    • Crédito Educacional;
    • Crédito Bancário;
    • Cartão de Crédito.
  • Intermediário: Securitizadora;
  • Investidor: Comprador do título securitizado.

Vantagens da Securitização

A grande vantagem dessa parada chamada Securitização, como já mencionei, é que ela promove muita liquidez no mercado, além de geração de caixa para “reinvestir”.

Possui mais poder de barganha para empresas não financeiras que conseguem captar recursos a taxas menores.

E para as Instituições Financeiras?

Sim, para elas também existem vantagens dentro da Securitização. Ela é uma:

  • Solução para a regulação bancária, obedecendo o limite mínimo de 11% de capital próprio;
  • Diversificação de riscos uma vez que o investidor assume o risco de default.

E aí? Conseguiu compreender um pouco mais sobre Securitização? Agora será mais fácil de estudar e colocar isso em prática, não é?

Tem alguma dúvida? Manda pra gente que te ajudamos! 😀

Quer passar em uma certificação Financeira?

Receba um e-book exclusivo com 7 dicas para ser aprovado!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *