Não é novidade para ninguém que todos os anos as provas da Anbima sofrem alterações. Em 2022, não seria diferente, né?

No começo do ano novos conteúdos foram inseridos e, alguns sofreram modificações,como é o caso do conteúdo sobre a autonomia do BACEN.

Como você pode observar, algumas mudanças são ocasionadas pelas próprias atualizações do nosso Sistema Financeiro Nacional, já outras, ocorrem para se adequar às necessidades das profissões observadas pela entidade.

É a partir dessa análise que decidem se um conteúdo deve ser inserido ou excluido das provas de certificações financeiras. Já adiantamos que a partir de julho de 2022 um novo conteúdo será cobrado nas provas da Anbima: ESG. Vem descobrir o mudará a partir dessa data.

O que é a Anbima?

ANBIMA é a sigla para Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais. 

A entidade foi fundada em 2009 a partir da fusão da ABID, Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) e a Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro (Andima). 

Além de trabalhar para defender os interesses do mercado como um todo, a entidade trabalha regulando a atividade dos membros do mercado financeiro.

Ela é uma das entidades responsáveis pelas certificações que atestam o conhecimento dos profissionais nas mais diversas áreas do mercado financeiro, obrigatórias para o exercício profissional.

Entre as empresas associadas à Anbima estão bancos comerciais e de investimentos, corretoras de títulos e valores mobiliários, administradoras e gestoras de recursos de terceiros.

Qual o papel da Anbima?

Você já deve saber como funciona a nossa atual estrutura do Sistema Financeiro Nacional, mas vale relembrar esse assunto para que você compreenda como se dá a atuação da Anbima.

O Conselho Monetário Nacional é quem dita as regras que devem ser seguidas pelos bancos, corretoras, bolsa de valores e seguradoras.

Entre o CMN e as instituições financeiras está a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o Banco Central do Brasil (BCB). Esses órgãos fazem a fiscalização do cumprimento dessas normas.

E aí vem a Anbima, que tem uma função que chamamos de autorregulação, onde todos os membros dessa entidade buscam adotar as melhores práticas para o mercado e em benefício dele. 

Existem alguns preceitos que regem o trabalho da instituição: informar, representar, autorregular e educar. Vamos entrar um pouco mais a fundo na função de educar da entidade.

O que mudou na prova da Anbima recentemente

2022 está sendo um ano de muitas mudanças e, nas provas da Anbima não seria diferente. Já começamos o ano com atualizações de conteúdo em todas as provas, ou seja, CPA-10, CPA-20, CEA, CFG, CGA e CGE.

As principais mudanças foram atualizações nos conteúdos sobre o Conselho Monetário Nacional e na autonomia do BACEN. Teve também uma atualização no Código ANBIMA de Distribuidor de Produtos de Investimentos que recebeu uma adição: a Remuneração do Distribuidor e uma troca de nomenclatura, Marcação a Mercado agora é chamado de Apreçamento de Ativos Financeiros. 

Além disso, as provas da CPA-10, CPA-20 e CEA tiveram mudanças específicas. Confere só:

CPA-10 e CPA-20

  • Fundos restritos passaram a se chamar Fundos Reservados

CEA

  • UNITS;
  • LIG – Letra Imobiliária Garantida;
  • Atualização na Carteira Administrada.

Todas essas mudanças entraram em vigor no começo de 2022, mas as alterações não param por aí! A partir de 11 de julho de 2022 todas as provas da Anbima terão um novo conteúdo: ESG.

Inclusão de alguns conteúdos 2021

Não é de hoje que as provas da Anbima são alteradas. Desde que foi lançada, ela já passou por várias mudanças e adequações. A maioria ocorre por alterações no próprio funcionamento do Sistema Financeiro Nacional e outras inclusões são feitas conforme as necessidades levantadas pela entidade.

A prova da Anbima é obrigatória

Atualmente, a Anbima possui as certificações: CPA-10, CPA-20, CEA, CFG, CGA e CGE. A CPA-10 é a certificação mínima obrigatória para quem deseja trabalhar no banco. Recomenda-se não parar nela. É por isso que indicamos para a maioria dos nossos alunos começar pela CPA-20

A CEA habilita os profissionais a atuarem como especialistas em investimentos. Ela é obrigatória para a realização de algumas tarefas no mercado financeiro, por exemplo, como  gerente de conta de investidores. 

Outra certificação que é obrigatória e funciona como pré-requisito para conquistar a CGA e/ou a CGE é a CFG. No entanto, ela não é obrigatória para nenhuma função e nem habilita o profissional a ser gestor, mas, atua como o primeiro degrau para quem quer trabalhar com gestão de recursos de terceiros.

A CGE é obrigatória para cargos com poder de decisão de compra e venda de ativos financeiros, habilitando os profissionais a serem habilita profissionais a serem gestores de fundos estruturados. Já a CGA é obrigatória para quem exerce cargos de gestão dos fundos de investimentos.

Inclusão do conteúdo ESG

A partir de 11 de julho de 2022, serão cobrados novos temas nas provas da Anbima. São os conteúdos de ESG,  Environmental, Social e Governance. Essa, portanto é a sigla para ambientais, sociais e governança. 

O novo tema, ESG, passará a ser cobrado em todas as provas de certificações financeiras da Anbima: CPA-10, CPA-20, CEA, CFG, CGA e CGE. O grau de complexidade de cada uma das questões seguirá de acordo com cada prova, mas em geral, serão cobradas as características dos investimentos ESG, levando em conta o grau de profundidade com que cada profissional deve conhecê-los.

Essa é uma mudança que faz parte da agenda da Anbima para a sustentabilidade e  acompanham as tendências do mercado.

Apesar da inclusão de novas questões sobre esse assunto, a estrutura das provas se manteve a mesma. Não haverão mudanças no número de questões nem no percentual de acerto necessário para aprovação.

Quando as mudanças serão cobradas?

O ano de 2022 já começou com a inclusão de novos conteúdos. Agora, a partir de 11 de julho de 2022 será cobrado o conteúdo de ESG. Mas, você pode ficar tranquilo que todos os materiais da TopInvest já estão atualizados desde o começo do ano.

As provas da Anbima mudarão a partir de quando?

Os novos conteúdos de ESG serão cobrados nas provas da Anbima, CPA-10, CPA-20, CEA, CFG, CGA e CGE, a partir do dia 11 de julho de 2022.

Mas é importante estar sempre atento, pois a entidade já divulgou que será preciso rever as certificações, uma vez que o Brasil está incorporando novas soluções de mercados externos, como o uso de inteligência artificial e com as novas formas de trabalho promovidas pelas fintechs, assets e plataformas de investimentos independentes.

Além disso, outro ponto que deve ter alteração é a validade da certificação financeira. Hoje, o tempo da maioria é de 5 anos para quem ainda não atua na área, a ideia é passar para 3 anos. 

Portanto, fique ligado nas nossas notícias que avisaremos sempre que essas mudanças ocorrerem.  

As provas da Anbima ficarão mais difíceis?

Todo ano a ANBIMA divulga as estatísticas de aprovação das suas provas, CPA-10, CPA-20, CEA, CFG, CGA e CGE. O número de reprovações varia de certificação para certificação, mas a média de reprovados do ano de 2021 ficou em torno de 55%. 

Para você ter uma ideia, em 2020, o índice médio de reprovados era de 48%, ou seja, podemos sim, afirmar que com o passar do tempo, o grau de dificuldade das provas vai aumentando. 

Isso sem falar no acréscimo de conteúdos feitos com o passar do tempo. 

Como estudar para as provas da Anbima?

São várias as possibilidades de estudo para as provas da Anbima. Além dos materiais gratuitos que disponibilizamos, os vídeos no nosso canal do Youtube, simulados gratuitos online, temos os cursos preparatórios, para as certificações financeiras. Através de videoaulas práticas, os cursos ensinam todo o passo a passo necessário para você passar de primeira na sua prova de certificação financeira Anbima. 

Apostilas atualizadas Anbima

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!