Quando a taxa básica de juros da economia, chamada de Selic, está em alta, ou em período de queda, tal acontecimento pode influenciar de maneira indireta os fundos de investimento e outros investimentos.

Fundos de renda fixa

Os fundos de renda fixa, com investimentos em produtos financeiros, como; CDB, LCI, LCA, Tesouro Selic, e derivados, na maioria das vezes, acompanham o DI, ou a taxa Selic.

Dessa forma, eles acabam sendo impactados de maneira direta, pela alteração da taxa básica de juro.

Quando a mesma sobe, existe uma grande procura pelos investidores, por esse tipo de investimento. Tornando atrativo ao grande publico. Dessa forma, todos começam, ou aumentam a exposição a essa forma de investimento.

Já, quando ocorre o contrario, a queda da Selic, temos um movimento de saída desse tipo de investimento.Em investimentos de renda fixa a Variação na taxa de Juros tem grande influência.

Por se tratar de uma aplicação mais segura, essa saída pode acabar demorando um pouco, uma vez que outros tipos de aplicação, como as ações incorrem maior risco.

Coisa, que os investidores convencionais, vão querer evitar. Falando em taxa de juro, e politica monetária, caso o leitor queira obter mais conhecimento nessa área, posso indicar o seguinte livro…

A Saga Brasileira. A Longa Luta de Um Povo por Sua Moeda, da autora Miriam Leitão, provavelmente eu já indiquei esse livro, mas vou por meio desse artigo indicar novamente.

A obra de Miriam contextualizou e explicou de maneira muito interessante todas as politicas econômicas que nosso país já teve.

Desde o cruzado até o real. Varias historias, e crises, onde o povo brasileiro teve que conviver com congelamento de preços, calotes, e hiperinflação.

Fundos de ações

Os fundos de investimento em ações podem ser beneficiados pela queda da taxa básica, uma vez que os investidores, que estão observando os rendimentos caírem em aplicações de renda fixa, vão acabar optando pela renda variável, para alcançar uma valorização maior de seu patrimônio.

Além de contar, com uma possível alta no preço das ações, negociadas em mercado. O investidor pode ainda, se beneficiar das distribuições que as empresas listadas realizam.

É quase que um ganha-ganha. Logico, tudo isso feito por meio de muitas analises e estudos.

Sem esquecer que tudo isso envolve riscos. Caso você seja um leitor novo aqui da TopInvest temos uma série completa de artigos sobre os principais riscos ao investidor.

Quando temos a Selic em alta, às vezes podemos ter uma espécie de êxodo da bolsa. Os investidores com o intuito de se aproveitar de um rendimento maior, através da taxa de juro, escolhem investir em títulos de renda fixa, que além de tudo, possuem garantia do FGC.

Ai fica fácil, não é? Se isso existe, e está disponível, porque não se beneficiar de tais investimentos?

Mas existem ações que se beneficiam da alta de juro. Os bancos principalmente. As instituições financeiras, na maioria das vezes, vêm à elevação do juro com bons olhos.

Além de poder cobrar mais na hora de um empréstimo, os mesmos podem investir o dinheiro parado, em títulos públicos.

Se beneficiando do juro. As instituições financeiras são grandes credoras do governo federal.

Curso Online para Certificação CPA10

Conclusão

Não basta investir, ou mesmo, poupar. O investidor precisa estar ligado no contexto econômico. Tanto internacional quanto nacional.

Por exemplo, se o dólar subir muito, pode ocasionar aumento da inflação, uma vez que existem diversos produtos da cesta básica, que sofrem influencia da moeda americana.

Uma das armas do banco central brasileiro para conter um aumento da inflação é subir a taxa Selic.

Ou seja, algo que tecnicamente não teria nada a ver com o juro, acabou influenciando de maneira indireta.