CEA - Certificação Especialista de Investimentos

Sistemas de Amortização: quais são e como eles operam?

Kleber Stumpf
Escrito por Kleber Stumpf em 27 de abril de 2020
Junte-se a mais de 100 mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

E aí, galera, beleza? Hoje eu separei um conteúdo super bacana e muito importante para você que está se preparando para estudar para a CEA! Vamos introduzir e conhecer quais são os Sistemas de Amortização que existem em nosso mercado e ainda como eles funcionam.

Preparados? Então, me acompanha aqui!

Introduzindo os Sistemas de Amortização!

Quando a gente faz um empréstimo, seja ela qual for, sempre teremos que pagar duas coisas nele: os juros e a amortização.

Basicamente, os juros são a remuneração do crédito que ganhamos, já a amortização é o pagamento de fato deste empréstimo.

E este pagamento – amortização – pode ser dividida de quatro maneiras, que são os Sistema de Amortização que existem. Sendo elas:

  • SAC – Sistema de Amortização Constante: aqui, como o nome bem fala, a sua amortização é constante, onde iremos pagar  um valor de juros até o final do financimento
  • Price ou Sistema de Amortização Francês: neste o que é constante é o valor das parcelas, que são de mesmo valor
  • Sistema de Amortização Crescente: aqui, a amortização cresce e os juros acabam diminuindo
  • Sistema de Amortização Americano: já este é o máximo e o mais fácil de compreender  

Curso Online para Certificação CPA10

Mas, que tal conhecer um pouco mais de cada um? Então, se liga só:

SAC – Sistema de Amortização Constante

Esse é o primeiro Sistema de Amortização e como já falei ali em cima, neste modelo o valor da amortização é sempre o mesmo. Sendo que, para obter o valor da amortização precisamos apenas dividir o valor do saldo devedor pelo número de parcelas.

Muito fácil, não é? Se possuímos um empréstimo de R$100.000,00 para pagar em 10 prestações, nosso cálculo ficará desta maneira: 100.000,00 / 10 = 10.000,00. Logo, R$10.000,00 será o valor da nossa amortização.   

Assim, dividindo o valor da dívida pelo prazo!

Agora, é importante você lembrar que os juros incidem sobre o saldo devedor, que diminui com as amortizações. Dessa maneira, você pode concluir que o valor da parcela também reduz durante o tempo.

Price ou Sistema de Amortização Francês

Essa conhecida também como Tabela Price, é muito comum no nosso dia a dia, principalmente quando a gente vai financiar um carro, até porque ela é melhor para o banco. 

É conhecida de duas maneiras pois é uma prestação constante, o que é tudo a mesma coisa. Se você financiar um automóvel em 24 vezes fixas, este é um financiamento via Tabela Price, que é a mais utilizada no Mercado Financeiro.

Anote aí: sempre quando falamos de parcelas iguais, estamos falando de Tabela Price.

Neste modelo, as amortizações são crescentes e os juros por incidirem sobre o saldo devedor, são decrescentes – na verdade isso ocorre em basicamente todas as amortizações, menos a do Sistema Americano. O valor da amortização cresce e o valor dos juros diminui ao longo do tempo onde a soma dos juros e amortização será sempre a mesma.

Por que o banco escolhe esse método?

Esse se torna mais vantajoso para o banco, pois, no começo se paga mais juros e se amortiza menos. E depois, lá no final da operação quando é mais arriscado para o banco, estaremos amortizando bastante e pagando menos juros.  

Por conta de a amortização crescer e os juros diminuem, a nossa parcela aqui sempre será a mesma. Onde para encontrá-la devemos utilizar a seguinte fórmula:

Fórmula da Tabela Price.

Mais de 4000 questões comentadas para sua certificação financeira

Sistema de Amortização Crescente

Como o seu próprio nome diz, nesse sistema, o valor da amortização cresce ao longo do tempo. 

Com isso podemos interpretar:

  • A amortização cresce
  • E os Juros diminuem ao longo do tempo

E qual a novidade disso? É zero, né gente!

Olha só: todos esses sistema que já falei até agora, funcionam exatamente da mesma forma, onde a amortização cresce e os juros diminuem durante o tempo. Só que esse sistema, por mais que a Price faça isso, ele é um rolo. Pois, ele mistura a Price com a SAC.

Para encontrar seu valor das prestações teremos que encontrar a média aritmética entre os dois utilizando a seguinte fórmula:

Fórmula do Sistema de Amortização Crescente.

Note que ela é mista entre a Price e a SAC. Onde teremos que calcular a Price e a SAC para inserir neste cálculo e descobrir a Amortização Crescente. É um verdadeiro rolo de mistura, mas é uma média aritmética simples.

Ela literalmente não muda muito dos outros sistemas, pois a prestação vai descrecendo, que é característica da SAC, e a amortização vai aumento, que é uma característica da Price.   

Esse modelo é muito utilizado em países com baixa taxa de juros, pois o saldo devedor é abatido de forma mais “agressiva”. Ajuda na proteção contra volatilidade no Mercado Financeiro:

  • Mutuário reduzindo o saldo devedor
  • Instituição financeira pela redução do risco de crédito

Sendo muito utilizado para financiamento habitacional, por conta das taxas de juros mais baixas em alguns países.

Sistema de Amortização Americano

Já o último sistema é o americano e como todo mundo já sabe, o americano é um cara prático e que gosta de grana. Por conta disso, aqui é algo muito simples.

E é exatamente igual a um investimento sem cupom de juros. Como diria o chaves: “O valor é paga tudinho num montão no final do contrato”.

Isso mesmo, galera! A principal característica dessa forma de amortização é que o montante a ser pago será maior do que todos os outros sistemas. 

Isso porque, lá nos outros sistemas a gente tinha o saldo devedor, a amortização, o juros e a prestação. Onde um diminuía, o outro dependia do momento, o outro sempre diminui e a outra ia diminuindo ou não.

Mas, os americanos que são práticas pensam diferente: para que fazer rolos se a gente pode simplificar?  

Se eu te emprestar R$100.000,00 para pagar com taxas de daqui 5 anos. Logo, não é necessário o pagamento de nada durante o período, por isso, teremos juros sobre juros, como se fosse uma aplicação financeira.

E como é um empréstimo, não será amortizado nada durante e sim quando chegar no final. Você pagará o total do empréstimo mais todos os juros. O que nos leva a algo de uma diferença bem maior, visto que,  pegamos o valor total, os 5 anos de período, mais a taxa e jogará para  futuro.

Sendo, exatamente como uma aplicação financeira, só que sem cupom de juros.

Pronto! A partir daqui você já pode dizer estar preparado, pois conhece todos os Sistema de Amortização do mercado e como eles operam com suas especificações definidas!

Quer passar em uma certificação Financeira?

Receba um e-book exclusivo com 7 dicas para ser aprovado!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *