Considerada parente da TIR, a Taxa Interna de Retorno; a TIRM, Taxa Interna de Retorno Modificada – quase gêmeas – é um método utilizado como análise de viabilidade de empreendimento. Assim, ela traz os fluxos negativos a Valor Presente Líquido e leva os Fluxos de Caixa positivos para o Valor Futuro.

Como resultado, haverá o surgimento de um novo fluxo, pois ocorre a eliminação de alguns pontos problemáticos que a TIR pode apresentar ao ser utilizada, quando previsto em sua maneira mais frequente.

Portanto, enquanto a TIR serve para avaliar a viabilidade de um projeto e tem seu rendimento usado para auxiliar na decisão de um investimento, a TIRM considera o custo capital da empresa. Deste modo, conseguindo aproximar-se mais da realidade financeiro de projetos analisados.

Curso Online Preparatório para Anbima CEA

A importância para o investidor

Qual é o investidor ou empresa que não quer analisar seus investimentos e ter uma aproximidade mais realista de seus plano?

Não é a toa que a TIRM é utilizada. Visto que, é relevante pois os fluxos negativos precisam ser descontados a uma taxa que represente o custo capital, como já mencionado. Além do mais, a sua utilização permite que os retornos obetidos sejam reinvestidos a uma taxa definida, normalmente a TMA.

Vantagens:

  • Leva em conta o custo de capital;
  • Determina a taxa de reinvestimento.

Desvantagens:

  • São pontos em que difere da TIR;
  • Não apropriada quando a taxa de reinvestimento dos fluxos é igual à taxa de retorno do empreendimento;
  • Não utilizar quando não se conhecer o custo de capital da empresa ou a taxa de reinvestimento.

Mais de 4000 questões comentadas para sua certificação financeira