Certificações Financeiras

Características Técnicas que influenciam o Produto

Kleber Stumpf
Escrito por Kleber Stumpf em 7 de novembro de 2019

Cursos Anbima, Ancord e Abecip com Desconto

Hoje falarei sobre Características Técnicas que influenciam o Produto de previdência complementar, seja PGBL ou VGBL.

Os planos de previdência privada contem diversas diferenças, algumas trazem mais qualidade outras nem tanto. Desde sua tributação até o rendimento esperado, passando até pelas taxas administrativas.

Todos esses detalhes são importantes na hora de escolher qual plano fazer. Essas características podem influenciar bastante na vida do investidor mais para frente, até o aclamado dia de se aposentar (que não gostaria de estar aposentado!).

Hoje até pode ser mais interessante contratar um plano VGBL, uma vez que o investidor ainda se beneficia de uma declaração de IR simplificada.

Mas a vida pode começar a melhorar, ou seja, mais receitas podem começar a entrar e com isso, um plano PGBL poderia fazer mais sentido.

Talvez, por um detalhe o investidor esteja deixando de compensar o seu pagamento de IR utilizando os aportes em seu plano de previdência.

E por ai vai, existem planos onde o investidor pode escolher se opta por investimentos mais arrojados (risco), ou mais conservadores.

Rendimento

Escolher um plano de previdência mais arrojado pode beneficiar o investidor com lucros acima da média, mas é bom ficar claro o contrario também pode acontecer.

Não é estranho ter planos de previdência eventualmente contarem com algum prejuízo. Por sua vez, ao optar por uma previdência com investimentos conservadores o investidor estará se beneficiando de um rendimento quase constante.

As diferenças não para somente na tributação, e tão pouco nos rendimentos, planos de previdência também possuem taxas!

Taxa de Carregamento

Curso Online para Certificação CPA10

Uma dessas taxas é a de carregamento. A taxa de carregamento geralmente é cobrada pelos grandes bancos, e consiste em cobrar uma taxa sobre os aportes iniciais de até 5% sobre cada aporte.

Verdade deve ser dita, atualmente essa taxa vem caindo em desuso, uma vez que existem muitas opções mais em conta no mercado.

O mercado financeiro vem cada vez ficando mais competitivo e acessível a todos os públicos. Desde aqueles que possuem altos valores, a aquele que tem poucos mais de R$ 100,00 para investir mensalmente.

Portanto aquele público que achava que somente pessoas ricas poderiam investir está tendo acesso a produtos financeiros tão bons quantos os feitos para os mais ricos.

Taxas administrativas

Além da taxa de carregamento temos despesas relacionadas à administração do plano. De maneira bem similar a um fundo de investimento, os planos de previdência possuem gestores por trás.

Esses profissionais escolhem os produtos financeiros que vão fazer parte do plano, e assim, remunerar o dinheiro aplicado pelos cotistas.

Nada mais natural que remunerar os serviços desses profissionais não é verdade? Mas também não saudável para o investidor pagar taxas de administração muito altas..

É fundamental o investidor antes de escolher o plano, verificar as taxas cobradas por outras instituições.

Planos com investimentos conservadores exigem menos atenção de seus gestores, uma vez que os mesmos podem optar por aplicações bem menos arriscadas, como as letras do tesouro, CDB dos grandes bancos e outras espécies de investimentos que possuem garantia.

Sendo assim, é natural esperar uma taxa administrativa mais atraente de tais planos, nada superiores aos 1,5% ao ano ou 2% ao ano.

No caso de previdências que tenham investimentos considerados arrojados, como ações, e outros ativos influenciados diretamente pelo mercado, as taxas administrativas podem ser mais altas. Nada superior aos 3% ao ano.

Curso Online para Certificação CPA10

Resumindo

Os planos de previdência como um todo não possuem garantia. Ou seja, se por acaso o gestor do fundo fizer alguma aplicação que resulte em prejuízo, tal perda ira repercutir no rendimento de todos.

Isso é mais uma coisa que devemos levar em consideração na hora de escolher o plano.

Procure informações sobre a instituição que faz a administração do plano de previdência, se possível, avalie os resultados anteriores do plano, caso esteja tudo em ordem, essa previdência privada pode ser uma boa.

Quer passar em uma certificação Financeira?

Receba um e-book exclusivo com 7 dicas para ser aprovado!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *