Sempre que realizamos um aporte em fundo de investimento existe o Prazo de Cotização. Existe também o Prazo de Cotização quando solicitamos um resgate de dinheiro de um fundo de investimento, o administrador inicia um processo de transformação das cotas do cliente em dinheiro.

Essa operação, nem sempre é rápida. Dependendo do objetivo do fundo, ou dos ativos que o mesmo possui, essa operação pode acabar levando dias, e até semanas.

Fundos rápidos

Não é uma regra, ou uma obrigação, mas fundos indexados ao CDI ou com aplicações em renda fixa, geralmente possuem um prazo de cotização mais curto.

Em outras palavras, eles acabam conseguindo transformar suas cotas em dinheiro de forma mais rápida.

Uma vez que os ativos que tais fundos investem, são de maior liquidez, e não sofrem tanta influência do mercado.

Ou seja, havendo a necessidade de liquidar uma posição, o fundo consegue fazer isso sem prejudicar o rendimento de outros cotistas.

Exemplo; Fundos com investimentos em Tesouro Selic, podem vender suas posições de maneira rápida, segura, e sem desvalorizar o papel.

Investimentos em CDB, entre outros ativos similares, também podem ser liquidados de forma mais rápida.

O prazo para cotização desses tipos de fundos, geralmente ficam em torno de um dia, até no máximo uma semana.

É importante averiguar quais são as condições do fundo de liquidar a posição antes de investir no mesmo!

Fundos não tão rápidos

Existem fundos que precisam de até 15 dias corridos para conseguir devolver o dinheiro investido ao cliente.

Podemos colocar nessa categoria, os fundos multimercado, ações, câmbio, e outros similares.

Isso ocorre devido às características dos ativos investidos pelos fundos. Aplicar em ações requer um pouco mais de estratégia.

Não se pode vender em qualquer momento, e dependendo do ativo investido, a liquidez do mercado pode não ser suficiente para liquidar uma posição.

Exemplo; Um fundo que possui grande parcela do patrimônio investido do ITUB4. Então um cotista faz a solicitação de resgate de um valor.

Essa operação vai exigir do gestor do fundo, uma tomada de decisão para liquidar uma quantidade de ações suficientes para cobrir o valor do resgate.

Caso, o fundo tenha um período curto para devolver o dinheiro ao cotista, o gestor pode acabar se deparando com uma situação complicada, uma vez que terá que vender os ativos de maneira mais rápida e sem muito tempo.

Exemplo; o cotista solicitou o resgate, e o dinheiro precisa estar na conta em três dias, porem o mercado está em queda, fato que pode ocasionar o reconhecimento de perdas.

Por outro lado, vamos imaginar que o fundo ao invés de ter só três dias, possui quinze. Esse tempo a mais, pode dar mais condições do gestor realizar uma operação com menos prejuízo, ou até, com lucro.

O mais interessante, é que o valo do resgate, será do mesmo valor das cotas no momento da solicitação.

Ou seja, se o fundo estava com as cotas valendo R$: 3,00 e o valor só serão repassados ao cliente depois de 15 dias.

O valor depositado continuara sendo de R$: 3,00, porem, nesse período, o gestor pode ir vendendo os ativos, para transformar em dinheiro de maneira a reduzir o prejuízo, e até conseguir um rendimento em cima.

Curso Online para Certificação CPA10

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!