Os investimentos podem ser divididos em duas grandes categorias: Os Investimentos em renda variável e os investimentos em renda fixa.

No artigo anterior abordamos todas as características de um investimento de renda fixa, e hoje vamos valar sobre os investimentos em renda variável.

Os investimentos em renda variável são aqueles recursos alocados em investimentos que não sabemos previamente os rendimentos que iremos obter no futuro e são negociados na bolsa de valores a B3.

Os principais exemplos de investimentos em renda variável são as ações, fundos de investimento imobiliários e ETFs.

Nos investimentos de renda variável é importante saber que o valor resgatado na venda dos ativos pode ser tanto maior (retorno positivo) como menor (retorno negativo) do que o valor que foi investido originalmente.

Devido a este motivo este tipo de ativo não é recomendado para para os investidores que possuem baixa tolerância quanto ao risco, os chamados investidores conservadores. 

Você  deve ter notado que em nossa explicação anterior mencionei o termo ativo financeiro certo? Um ativo financeiro nada mais é do que um instrumento que é destinado para os investidores que desejam direcionar os seus recursos para algum investimento.

As empresas que necessitam de recursos para expandir o seu negócio muitas vezes vão ao mercado de capitais para emitir Ações.

Estas ações são ativos financeiros de renda variável. Também é comum empresas irem ao mercado de capitais e emitirem títulos de dívida como debêntures. As debêntures são ativos financeiros de renda fixa.

Principais Investimentos de Renda Variável

Os principais ativos de renda variável são:

  • Ações;
  • Mercado Futuro;
  • Commodities;
  • Ouro;
  • Câmbio;
  • Derivativos;

O investimento em renda variável normalmente é feito com a expectativa de ganhos decorrentes da valorização dos ativos adquiridos. Devido ao risco dos investimentos em renda variável ser superior aos da renda fixa a expectativa dos investidores é de que os retornos também sejam superiores aos da renda fixa.

Ao investir em renda variável os investidores  geralmente optam por utilizar uma ou duas das correntes de análise do preço de uma ação. Temos a análise fundamentalista e a análise técnica.

Análise Fundamentalista

A análise fundamentalista usa diversas informações que sobre a empresa que vai ser analisada. Aqui são utilizados indicadores financeiros, lucratividade, crescimento e alguns indicadores de mercado. Na análise fundamentalista também é levado em conta a conjuntura econômica além das empresas concorrentes e a economia como um todo.

Análise Técnica

A análise técnica é baseada em apenas duas informações: Preços e Tempo.

Com essas informações se criam gráficos e nestes gráficos os analistas técnicos buscam detectar padrões de movimento ou desenvolver indicadores técnicos com base nos seus dados. Com a análise gráfica os profissionais utilizam diversos padrões e movimentos para tentar identificar tendências de alta ou de baixa e a oportunidade para uma possível compra.

Vale lembrar que os métodos defendidos por estas duas correntes de pensamento se complementam e dificilmente se utiliza  um dos dois métodos de maneira isolada.

É muito normal a situação em que a análise fundamentalista é utilizada para decidir o momento em que uma ação deve ser comprar por estar apresentando bons motivos para compra na análise fundamentalista. 

A combinação dos dois métodos possibilita a maximização das possibilidades e de ganhos enquanto minimiza as perdas.

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!