Com a instabilidade econômica cada vez mais pessoas querem empreender, e uma forma mais segura de empreender é através de uma franquia.

Essa procura por franquias resultou um crescimento de 8,3 % na receita de franquias de 2015 para 2016, uma evolução de R$ 139.593 bilhões para R$ 151.247 bilhões.

Mas como todos os negócios nem tudo são flores, por isso separei os 7 problemas com franquias mais comuns.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

1) Não ler a COF (Circular de Oferta de Franquia) com atenção

Todos os problemas com franquias geralmente começam pela leitura incompleta ou apressada da COF. Este é um documento obrigatório de acordo com a lei 8.955 que regula as franquias empresariais. Aqui devem estar dispostos todos os aspectos que irão reger a franquia tais como:

  • Composição societária da franqueadora
  • Empresas coligadas
  • Pendências judiciais caso existam
  • Negócio da franqueadora
  • Produtos e serviços da franqueadora
  • Manual de operações
  • Negócio do franqueado
  • Modalidades de Franquia e valores de aquisição
  • Capital de giro necessário
  • Taxas de Royalties a serem pagas ao franqueador
  • Território de Atuação
  • Perfil do Franqueado
  • Demais tópicos importantes

Os documentos mais importantes entre franqueado e franqueador são a COF e o contrato de franquia. Leia estes documentos com muita atenção, peça ajuda a pessoas mais experientes e SEMPRE peça auxílio de um advogado antes de assinar.

Estes contratos e COFs são quase sempre unilaterais, ou seja, só beneficiam o franqueador. Justamente por isso a leitura com muita atenção destacando todos os pontos duvidosos é extremamente importante para estar ciente de todas as responsabilidades que você estará assumindo e tirar as dúvidas com o franqueador.

Meu conselho é jamais assinar qualquer contrato de franquia sem o aval de um advogado na COF, no contrato de adesão e a verificação de processos judiciais. Outro profissional muito importante nesta hora é um contador que lhe ajude a analizar os últimos dois balanços da franqueadora (divulgação também obrigatória pela lei 8.955) para ver se a empresa franqueadora é financeiramente saudável.

2) Ganância do Franqueador

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Este é um dos problemas com franquias que costumam aparecer somente após algum tempo. Como comentei anteriormente é muito importante verificar o resultado financeiro da franqueadora. De acordo com o conhecimento popular uma franquia é um negócio de sucesso que abre oportunidade a novos empreendedores participar desta jornada de sucesso. Mas nem é sempre assim.

Depois de analisar mais de 50 franquias pude constatar que quase 25% já passaram por problemas financeiros recentemente e viram no sistema de franquias uma forma de amenizar os prejuízos através do ganho de escala. Você gostaria de ser um franqueado deste tipo de empresa? Eu com certeza não gostaria.

Muitos franqueadores no brasil vem da indústria, ou seja, industrializam seus próprios produtos. O ponto de atenção aqui é que estes franqueadores gananciosos vem os franqueados como um canal de distribuição, e não como um modelo de negócio de sucesso que precisa de parceiros para expansão.

Quanto falamos de problemas com franquias gananciosas algo muito comum é a expansão da rede em locais que não possuem o perfil adequado. Existem negócios que aparentemente são ótimos em uma primeira análise mas necessitam uma determinada densidade populacional. Não é raro termos este tipo de problemas com franquias que estão mais preocupadas em receber a taxa de franquia do que no seu sucesso como franqueado.

3) Quantidade ao invés de qualidade

Em algumas franquias a expansão ocorre de maneira desordenada. Para chegar em um número de unidades franqueadas que justifique o custo da empresa muitos franqueadores não dão a importância necessária na seleção do perfil de franqueados o que acaba sujando a imagem.

Um falso otimismo com os custos de móveis, ponto comercial e capital de giro podem ocasionar a constante abertura e fechamento de unidades franqueadas. Mais uma vez aqui entra a importância de verificar a situação financeira e jurídica (aqui você verá se existem processos de franqueados contra a franqueadora) da empresa franqueadora.

4) Falta de experiência

A experiência é importante tanto do lado do franqueador como do franqueado. O processo de franquear uma empresa é muito complexo e envolve milhares de processos que precisam ser pré determinados e mapeados. Com base nestes processos devem ser criados manuais e treinamentos a fim de que todos os franqueados trabalhem da mesma forma.

Muitos franqueadores não possuem experiência necessária para criar todos esses processos. O mesmo acontece no lado do franqueado. Mesmo que o risco de quebra seja menor por a franquia ser um negócio que “já deu certo” ainda é importante ter alguma experiência com administração e vendas. O franqueado será dono da própria empresa e o único responsável pelo seu sucesso.

5) Satisfação dos atuais Franqueados

Junto a COF você pode ter acesso aos franqueados atuais. Entre em contato com eles, veja como está a experiência. Franqueados de outras cidades normalmente são super receptivos e tem o maior interesse em lhe ajudar. Pergunte a eles quais os problemas eles enfrentaram, onde tiveram dificuldades, se as promessas de lucro e investimento são realistas…

Questione.

Os franqueados satisfeitos não terão medo de lhe falar de suas dificuldades. Mas no outro lado os franqueados insatisfeitos acabam irão lhe despejar todos os problemas possíveis e imagináveis.

6) Fundo de propaganda

Na grande maioria das franquias você tem dois custos percentuais em relação a receita. Os royalties e o fundo de propaganda. O fundo de propaganda é um dos problemas com franquias mais sérios pela falta de transparência. Já imaginou você pagar 30% de royalties e mais 5% de fundo de propaganda e nunca receber nenhum cliente da franqueadora ou mesmo ver alguma publicidade?

Estes problemas com franquias são bem comuns em negócios de prestação de serviços. Neste tipo de negócio o franqueado atua quase que como um representante comercial e a polêmica começa quando o pagamento de fundo de propaganda é altíssimo e não aparecem clientes deste fundo.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

7) Autonomia

A autonomia não chega a ser exatamente um dos problemas com franquias mas é preciso estar atento a este detalhe. Ao se tornar franqueado você não terá praticamente nenhuma autonomia.

Normalmente não é possível negociar nenhum produto ou serviço que não seja de fabricação do franqueador ou mesmo criar campanhas de marketing que não foram desenvolvidas pelo franqueador. Já imaginou você estar com falta de clientes porque a marca não é tão conhecida como você imaginava e não ser possível criar uma forma de atrair mais clientes porque não é autorizado pela franqueadora?

Considerações Finais

Os problemas que eu citei acima não devem lhe servir como um desincentivo a ser tornar um franqueado. Estas observações servem apenas para que você fique atento aos problemas mais comuns e esteja mais preparado para fazer um bom negócio.

Existem dezenas de franquias que são negócios fantásticos, você precisa apenas achar a mais adequada ao seu perfil e estar atento aos detalhes que mencionei neste artigo.