Os fundos de investimento possuem diversas categorias. Cada uma com características próprias.

Nesse artigo estaremos falando um pouco sobre cada um delas, desde os fundos de curto prazo até os de credito privado.

Curto Prazo

Vamos começar as subclassificações dos fundos de investimento pelos fundos de curto prazo têm em seus portfolios produtos financeiros indexados a taxa de juro, pós-fixadas.

Ou seja, investimentos em Tesouro Selic ou CDB. Comprando tais ativos, o fundo consegue replicar a rentabilidade oferecida por esses produtos.

Custos e despesas de tais fundos é menor, comparado com outros no mercado. Isso se deve a uma gestão mais “tranquila” com relação à carteira.

Fundos que investem em ações, ou mesmo fundos multimercado, podem eventualmente ter um trabalho mais complexo uma vez que possuem uma gama maior de possibilidades de investimento.

Os prazos dos ativos que compõem a carteira de um fundo de curto prazo podem ser de até 360 dias, e em média de 60 dias.

Devido a um prazo mais curto, os ativos precisam ter um tempo de vencimento mais curto também. Gerando mais liquidez.

Os fundos de curto prazo possuem retenção de IR:

  • 22% caso a aplicação fique até 180 dias
  • 20% caso a aplicação fique de 181 dias em diante

Longo Prazo

Ao contrario dos fundos de curto prazo, que investem em ativos com o prazo máximo de vencimento em 365 dias, os fundos de longo prazo podem comprar papeis com vencimentos superiores há 365 dias.

Observando por esse lado, parece ser mais interessante já que estamos aplicando ainda mais a gama de possibilidades. Porem a liquidez de tais fundos pode acabar sendo bem inferior.

Em outras palavras, é comum fundos de curto prazo efetuarem os resgates, em no máximo um dia útil.

Fundos de longo prazo podem acabar demorando uma semana, se não mais. O leitor pode ficar tranquilo, uma das informações que todo fundo é obrigado a mostrar aos publico e o tempo que pode levar o resgate.

Sendo assim… é só fazer um pente fino nos fundos que lhe interessam, observando o prazo de resgate.

O imposto de renda retido em fundos de logo prazo possuem alíquotas de…

  • 22,5% caso a aplicação fique até 180 dias;
  • 20% caso a aplicação fique dos 181 dias até 360;
  • 17,5% caso a aplicação fique dos 361 a 720 dias;
  • 15% caso a aplicação fique acima 721 dias;

Fundos Referenciados

Essa espécie de fundo segue de perto algum indicador econômico. Pode ser o IPCA, DI, Selic, ou algum outro, é o que chamamos de BenchMark.

As maiores parcelas dos fundos referenciados acabam seguindo o DI mesmo. Sendo assim, é comum encontrar aplicações em CDB e outros ativos semelhantes nas carteiras dos fundos.

Fundos de Divida Externa

Confesso que esse tipo de fundo é um dos mais difíceis de encontrar. Mas com certeza é um dos mais interessantes.

O Brasil, como qualquer outro país no mundo possui parcela da divida contraída no exterior. Esses papéis acabam pagando juros em moeda estrangeira.

Ou seja, é como se você estivesse comprando títulos do tesouro, e recebendo em dólar os rendimentos.

No Banco do Brasil é possível, a partir de mil reais investir em um fundo como esse. O rendimento apurado nos últimos 5 anos foi superior ao de fundos investidos em dólar.

Mesmo em períodos onde houve desvalorização da moeda americana, o fundo conseguiu obter desempenho melhor e isso se deve a remuneração dos papeis que acaba amortizando parte da volatilidade da moeda americana.

Curso Online para Certificação CPA10

Credito Privado

Por fim, os fundos de crédito privado compreendem ativos bancários e de instituições financeira em geral.

Fundos semelhantes aos referenciados e os de curto prazo.