A reunião de hoje do COPOM fez mais um corte na SELIC de 0,25% e continuamos com a Selic em queda. Este já é o décimo segundo corte seguido na taxa básica de juros da economia.

Para você ter uma idéia este artigo foi escrito originalmente em outubro de 2016 e desde lá o Banco Central, observando a queda do IPCA juntamente, tomou a atitude de reduzir a SELIC com a finalidade de incentivar o crescimento econômico.

Sendo assim, no momento em que escrevo esse artigo, estamos com a taxa básica de juro em 6,50 % ao ano e ainda com previsão de queda (viés) moderada para a próxima reunião do COPOM.

A expectativa do mercado, é que até o final desse ano, estejamos com uma Selic em  queda para a casa dos 6%. Caso isso se confirme, muitos investimentos que estão disponíveis atualmente, podem se beneficiar de tal redução.

Vamos falar sobre alguns investimentos, com o intuito de lhe ajudar a fazer bons investimentos, e trazer mais informações para todos os investidores.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Titulo prefixados!

Com certeza a forma mais eficaz de se aproveitar de uma queda da Selic, é investindo em títulos prefixados.

O mais acessível, e sem a menor duvida, mais seguro, são os títulos do Tesouro Direto. No caso, o Tesouro Prefixado.

Nessa forma de investimentos, podemos optar por dois tipos, os com pagamento de juro semestral, e os sem pagamento.

Como funciona o Tesouro Prefixado?

Os papeis prefixados, negociados pelo programa do Tesouro Direto, acompanham as movimentações do mercado uma vez que são negociados com ágio e deságio.

Isso significa que havendo volatilidade no juro futuro, por exemplo, os papéis poderão sofrer oscilações.

Mas investir no Tesouro Direto, não é mesma coisa que comprar um CDB, (investimentos em renda fixa)?

Na realidade, não é bem assim. O que acontece com os papeis que possuem parte do rendimento prefixado, é que eles sofrem no curto e médio prazo, as oscilações oriundas do mercado.

Se você quiser, por ventura, realizar o resgate dos valores investidos antes do vencimento, poderá sofrer alguma perda, ou até mesmo ganhos expressivos.

Isso acontece, devido a já mencionada volatilidade do juro futuro. No inicio de 2016, antes de todo o processo de impeachment, tínhamos títulos prefixados pagando juro na casa dos 16% ao ano.

Rendimento muito alto. No momento em que escrevo, tem papeis pagando 9% ao ano.

O juro futuro estava na casa dos 17%. De certa forma, os papeis do tesouro, seguem o juro futuro, uma vez que esse mercado acaba seguindo as expectativas futuras do mercado.

Em outras palavras, eles representam o quanto o investidor está disposto a receber para investir no Brasil.

Resumindo, naquele período, inicio de 2016, o mercado estava disposto a investir no Brasil, ou comprar seus papeis, se o mesmo pagasse o juro de 17% ao ano, ou equivalente.

Para que serve a Selic?

Subir a Selic é um dos meios que o Banco Central tem de restringir o acesso ao credito, e dessa forma, desacelerar o IPCA.

Isso pode vir a gerar queda no crescimento. Coisa que estamos presenciando hoje, mas não é só devido ao juro alto.

No caso da moeda americana, com a mudança de governo tanto no Brasil como nos Estados Unidos aconteceu uma mudança de expectativas e posicionamento.

Isso fez com que o mercado estrangeiro (grande player interno) ficasse de bom humor, investido mais no Brasil e acreditando que podemos dar certo.

De certa forma, isso ajudou na redução, fazendo com que o dólar que chegou a ser negociado em R$: 4,00 viesse para os atuais, R$: 3,12.

O desemprego pode ser visto com uma das consequências da desaceleração econômica. Coisa, que acaba tirando recursos de muitas pessoas, as mesmas que consomem produtos e serviços, fazendo com que as empresas que fabricam e prestam os serviços não tenham mais trabalho, levando às mesmas a falência, e assim por diante.

Acredito que o leitor já conseguiu imaginar essa engrenagem do desemprego funcionado, correto?

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

O desemprego é a primeira peça do dominó. Quando uma pessoa perde sua renda, ela não consegue mais consumir, coisa, que acaba comprometendo toda a cadeia econômica.

Em outras palavras, é preciso que o empresário, de o primeiro passo. Deve começar investindo na sua empresa para contratar uma pessoa. Dessa forma ele acaba reiniciando a cadeia econômica, criando então um novo ciclo virtuoso como trata o renomado economista Ricardo Amorin.

O governo federal, que estava no poder antes do atual, estava praticando uma politica econômica pouco benéfica para a economia em geral, e terrível para as contas publicas. Com os incentivos a economia via desoneração fiscal, o governo acabou deixando de arrecadar impostos trazendo um enorme déficit as contas públicas.

Esta atitude compromete o orçamento federal. Funciona basicamente como uma família. Se o pai e a mãe deixam de receber, eles não podem mais pagar o colégio, e tão pouco o plano de saúde da família.

Essa situação só vai mudar, quando as receitas começarem a entrar de novo. Dessa forma o Brasil acabou se comprometendo, a tal ponto, que até o futuro está em jogo.

Porem tudo isso pode mudar, se houver uma forte corte de gastos. Fato que está por vir, com a reforma previdenciária.

No final das contas, os contribuintes (nós), teremos que arcar com os erros do passado.

Mas,  o que tudo isso tem a ver com a Selic em queda, e os títulos prefixados?

Para você saber o momento certo de entrar em cada uma das espécies de investimentos, é preciso saber um pouco sobre economia.

Por isso, acredito que essa explicação, poderá servir como uma lanterna para a grande maioria dos leitores.

Não será somente por esse artigo, que tudo ficara claro, por isso, peço novamente, que fiquem atentos a novidades aqui da TopInvest!

De certa forma, os empreendedores e os empresários estão observando o cenário, mas não querem fazer nada agora. Estão todos, com o dinheiro no banco.

Preservar o dinheiro e investir em renda fixa, vale muito mais apenas agora do que assumir riscos em um negócio!  Ganhar um rendimento alto, através do juro alto é muito mais vantajoso do que correr riscos com um negócio.

Quando essa mamata do juro alto cair (economistas internacionais chamam de último almoço grátis do mundo) para um digito, muitos empreendedores e empresários vão voltar a aplicar o seu capital no mercado produtivo gerando renda e emprego.

Aproveitando a queda do juro

Para compreender melhor os motivos desta queda da taxa de juros eu recomento muito a leitura do livro Depois da Tempestade do famoso Ricardo Amorim. Neste livro ele explica o motivo pelo qual o Brasil passou por esta grave crise e sobre todas as oportunidades que virão nos próximos anos.

Neste livro, além de abordar a Selic em Queda o escritor nos faz raciocinar a respeito das imensas oportunidades que devem surgir no Brasil já no segundo semestre de 2017.

Para as pessoas que ainda estão com dividas e não podem começar a investir antes de quitar tudo, indicamos ficar atento ao atual cenário.

Logo-logo, o juro estará ainda mais baixo, e isso pode facilitar a aquisição de um novo empréstimo, com o intuito de quitar investimentos antigos através do novo empréstimo com uma taxa de juros menor.

Dessa forma, você troca um empréstimo, de juro alto por um com juro mais baixo. Reduzindo as despesas com juros e encargos bancários.

Com relação aos investidores, só posso dizer uma coisa, comprem papéis prefixados. Bancos de médio e pequeno porte podem oferecem títulos com juro de 10% ao ano, ou até mais.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Existem bancos como o Sofisa, e Daycoval, que oferecem tais papeis. No caso do Daycoval, eles possuem LCI e LCA prefixadas, com vencimentos diferentes, que podem chegar até cinco anos. Com juro de aproximadamente 10% ao ano, isento de IR!

Se, a Selic  a qual vemos pelo titulo do artigo “Selic em queda” que esta caindo, realmente, chegar ao final do ano a 7% ao ano, você terá um ótimo produto financeiro sob custodia, e rendendo um bom ganho por alguns anos.

Lembrando que existem riscos maiores ao adquirir produtos financeiros de bancos pequenos e médios.

Por isso, fique atento a garantia do FGC para o produto que você escolher.