Felizmente já não vivemos mais em uma época de inflação. Pelo contrário, agora em julho de 2017 o governo federal acaba de reduzir a meta de inflação. Nos sobra apenas a grande questão: Poupar ou consumir?

Fique comigo neste série especial sobre o tripé das finanças pessoais e vamos descobrir juntos.

Nos últimos 12 meses o IGPM acumula uma deflação de 0,78%. Isso quer dizer que, o preço médio dos produtos diminuiu em quase 1% no acumulado dos últimos doze meses. Portanto a escolha de poupar ou consumir não deve mais ser baseada no conceito de preços e sim de consumir hoje ou no futuro.

A grande tentação

Com a estabilidade econômica emerge uma “nova classe média” com fácil acesso ao crédito tornando acessível a todos a aquisição de bens de maior valor agregado. Agora é possível para uma família adquirir um fogão, uma geladeira, um carro zero e um imóvel na planta. Tudo ao mesmo tempo. Mas será que esta é uma decisão financeiramente saudável?

Mesmo com uma situação de emprego estável, esse enorme endividamento não é saudável para as finanças de uma família. Qualquer imprevisto pode desencadear uma reação de endividamento em cadeia e, é isto que tem acontecido.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

A pesquisa do SPC/SERASA de maio de 2017 mostra que 61 milhões de brasileiros estão inadimplentes. Este é o maior número desde 2012 quando a pesquisa começou a ser realizada. O nome negativado pode trazer diversos transtornos, entre eles a dificuldade de contratar serviços básicos como Telefone e Internet além de ficar impossibilitado de fazer um empréstimo.

Evite o endividamento

Acredito que a dica mais importante seja consciência e prudência. É importante lembrar de jamais gastar mais do que você ganha e saber diferenciar um desejo de uma necessidade.

Resistir ao consumo nem sempre é fácil. Em um mundo totalmente conectado como o que vivemos, tentações de consumo aparecem todo o tempo em nossas telas, mas é importante saber resistir.

Uma das formas mais simples para evitar o consumo é possuir um planejamento financeiro detalhado. Crie uma tabela no Excel e liste todas as suas despesas fixas e suas despesas variáveis. Dentro da seção de despesas variáveis estabeleça um orçamento mensal para consumir nas coisas que mais lhe trazem prazer.

Se você faz o tipo mais conservador e gosta de frequentar restaurantes e cinema, estabeleça uma verba mensal para este seu lazer que fique dentro do seu padrão de vida. Replique esta técnica para todos os seus consumos variáveis como luz, supermercado, combustível, festas…

A importância do planejamento Financeiro

Quando você precisar comprar um bem de alto valor como um celular novo ou um carro, faça um planejamento com antecedência e acumule recursos para comprar à vista. Desta forma você irá obter um bom desconto e evitará um endividamento desnecessário. Tendo a disciplina de obedecer o seu planejamento e não gastar mais do que ganha você já terá dado um grande passo.

Lembre-se que esta tarefa exige muito esforço. Os profissionais de marketing estão prontos para lhe persuadir a adquirir seus produtos e agir pela emoção e não pela razão. Para grande maioria das pessoas, poupar é chato e  consumir é gratificante.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

No próximo artigo desta série especial vou falar sobre as armadilhas do consumo.

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!