Quando a empresa está realizando a sua primeira oferta pública, ou seja, quando está abrindo o seu capital, a oferta recebe o nome de oferta pública inicial ou IPO (do termo em inglês, Initial Public Offer).

A oferta é feita no mercado primário através a estrutura que citamos no tópico anterior e os custodiantes (corretoras) receberão oferta de potenciais investidores.

A reserva, nesse caso, não caracteriza liquidação das ações, mas intenção de compra.

O investidor, ao enviar sua reserva, poderá fazer das seguintes formas:

⯀ Ordem a mercado: é quando o investidor, ao fazer sua reserva, não estabelece valor para compra das ações e está disposto a pagar o preço que for negociado no mercado;

⯀ Ordem limitada: nesse caso o investidor limita sua compra a um determinado valor, ficando de fora da operação caso o valor da ação seja superior ao limite estabelecido pelo investidor.

Quando a empresa oferta novos títulos e os recursos dessa venda vão para o caixa da empresa, as ofertas são chamadas de primárias.

Por outro lado, quando não envolvem a emissão de novos títulos, caracterizando apenas a venda de ações já existentes, em geral dos sócios que querem desinvestir ou reduzir a sua participação no negócio e os recursos vão para os vendedores e não para o caixa da empresa, a oferta é conhecida como secundária (block trade).

Quando a empresa já tem o capital aberto e já realizou a sua primeira oferta, as emissões seguintes são conhecidas como ofertas subsequentes ou, no termo em inglês, follow on.

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!