Nesta série especial sobre o tesouro direto já falamos de vários fatores importantes que você deve levar em consideração na hora de investir.

Neste artigo vamos falar especificamente sobre juros futuros e como isso influencia o Tesouro Direto. Interessado?

O que são juros futuros?

Bom é importante começarmos pelo básico e vou responder essa pergunta logo de cara e de forma bem simples, ok?

Os juros futuros nada mais são que as taxas de juros que são esperadas pelos participantes do mercado de capitais negociadas em instrumentos de derivativos com base em diversos indicadores. Os principais são:

  • PIB
  • Inflação
  • Situação dos cofres públicos
  • Divida externa
  • Câmbio
  • Renda e muitos outros fatores

Essas expectativas dos participantes do mercado financeiro são refletidas nos contratos futuros (neste caso de juros ou DI). No mercado futuro são negociados os contratos de derivativos dentro do ambiente de bolsa de valores e tem alta liquidez.

Como estes contratos de juros futuros tem diversas finalidades que vão desde o Hedge até a especulação pura, existem diversos vencimentos de contratos. É possível encontrar contratos por exemplo com vencimento para curto prazo como por exemplo 1 mês. E contratos de longo prazo com vencimentos acima de 10 anos.

A negociação de contratos futuros de juros são muito importante e servem como uma base para a economia de um modo geral e nos dão um parâmetro da direção dos juros (taxa SELIC). De certa forma podemos dizer que os contratos futuros dão certa previsibilidade da direção dos juros nos diferentes momentos da economia uma vez que há uma grande variedade de vencimentos.

Claro que é importante ressaltar que isso só é possível pelo elevado grau de liquidez (tem muitos negócios) o que acaba formando o preço com a “opinião” dos mais diversos participantes do mercado de todos os portes e opiniões.

Esses contratos futuros também são uma referência amplamente divulgadas no mercado e por isso tem uma boa aplicabilidade.

É importante lembrar que que os juros futuros são negociações que acontecem hoje com referência aos juros previstos na data futura (vencimento do contrato) que pode ser em 6 meses ou 10 anos.

Como os juros futuros afetam o tesouro direto

Outra questão de reposta simples.

O próprio tesouro direto leva em consideração as taxas de juro futuro quando negocia um titulo público no mercado secundário com vencimento nos prazos dos contratos futuros. Por exemplo, se os juros futuros para 2021 subirem o tesouro terá de pagar mais para refinanciar a divida do pais. Isso tem um grande impacto na economia nacional.

Sim, mesmo uma pequena variação tem um impacto gigante. Veja bem, se a taxa de juros subir 0,25% ao ano o impacto em 10 anos seria de 2,52%. Já uma subida de 2,5% como já aconteceu em 2015 o impacto em 10 anos seria de mais de 28% o que pode causar um rombo os cofres públicos.

Se o tesouro direto já vendeu títulos ao mercado com taxas menores, o valor atual destes papéis será alterado para se equiparar com as projeções atuais através da metodologia de Preço Unitário.

A este processo damos o nome de Marcação a Mercado (veja nosso artigo sobre a diferença entre Marcação a Mercado e Marcação pela Curva de Juros). Esse processo acontece porque na data de vencimento o valor de face será sempre de R$1.000,00.

Por exemplo. Digamos que o tesouro direto vendou hoje um título vai valer R$ 1.000,00 daqui a três anos por R$711,00 (12%a.a). Se a projeção dos juros subir para 15% a.a o mesmo título vai continuar com o valor de face em R$1.000,00.

Isso significa que é necessário fazer um ajuste no preço unitário do título para adequar a taxa de juros onde o título que você pagou R$ 711,00 passa agora a valer R$ 657,50 sofrendo uma desvalorização de 7,5%.

Outros influenciados pelos juros futuros

Além do Tesouro Direto as oscilações de juros futuros afeta a todos os participantes do mercado. Empresas, bancos, seguradoras, fundos de pensão, investidores pessoa física.

Por isso é muito importante estar atento ao mercado.