No mercado financeiro nacional existem os fundos de investimento aberto e os Fundos de Investimento Fechados. Neste artigo trataremos um pouco mais sobre Fundos de Investimento Fechados e seu funcionamento.

Nesse artigo vamos falar um pouco sobre os fechados.

Existem diversos tipos de fundos que operam fechados, então, não é possível fazer resgate ou até mesmo realizar novas aplicações.

Podemos cita dois exemplos…

Os dois tipos possuem semelhanças. A primeira delas é relacionada ao momento de investir no fundo, ou, quando ele está em aberto.

No momento onde acontece a oferta publica de cotas, podemos dizer que o fundo se encontra em aberto. Sendo possível adquirir as cotas por um valor fixo.

Exemplo; anos atrás, o fundo imobiliário AEFI11, estava realizando sua oferta publica, era possível comprar lotes de 10 cotas a R$: 1.000,00. Ou seja, cada cota valia R$: 100,00.

Depois de encarrado a oferta publica, não era mais possível, comprar mais cotas, por um valor fixo, ou até mesmo regatar o valor investido.

Posteriormente, as cotas vêm ao mercado para serem negociadas, E por esse meio os investidores podem liquidar, ou comprar mais cotas.

No caso dos fundos abertos, você pode investir tantos reais hoje, e amanhã investir mais uma quantia, ou, resgatar sem maiores dificuldades.

Os fundos de investimento em participação funcionam de maneira similar, o XPOM11 é um bom exemplo.

De todos que existem listados na bolsa, o XPOM11 é o mais negociado, e com uma boa rentabilidade.

Vou fazer uma breve introdução sobre o fundo, uma vez que esse tipo de investimento, não é muito explorado.

O principal investimento do fundo são duas geradoras de energia, uma eólica e outra hidrelétrica.

Os rendimentos são oriundos da receita proveniente de ambas geradoras. Semestralmente tais valores são distribuídos aos cotistas.

Diferente dos fundos imobiliários que, na grande maioria, remunera os investidores a partir dos alugueis ou receitas oriundas de empreendimentos imobiliários, os fundos de participação, distribuem receitas derivadas de negócios, a geração de energia.

Fundos de Investimento Fechados

Além dos dois exemplos descritos, temos também, os fundos de investimento que fecham as portas para novos investimentos.

Ou aqueles que possuem uma data de vencimento. Durante o tempo em que o fundo está funcionando não é permitido fazer resgates ou novos investimentos.

Temos alguns exemplos na XP investimentos. Essa corretora elaborou a construção de alguns fundos com a denominação de “capital protegido”.

Isso significa que na pior das hipóteses, o fundo entregaria o mesmo valor investido, ou com alguma correção simples.

Exemplo; entrega o valor investido mais inflação, ou mais uma taxa menor, poupança.

Antes do lançamento de um desses fundos, era possível realizar uma reserva, e em um dia especifico o valor deveria estar na corretora, para que fosse alocado no fundo.

Depois o fundo era lançado, porem não se podia mais fazer investimentos, e nem resgates. Até a data de vencimento. Ao menos, é possível ir acompanhando o valor aplicado.

Geralmente, fundos com liquidez restrita, funcionam dessa maneira para proporciona rendimentos maiores. Quanto maior os riscos, maior pode ser o ganho.

Fundos com liquidez, ou até mesmo aqueles que, em um dia o valor já está na conta, possuem ativos, mais fáceis de serem negociados, e, portanto sem eventuais problemas.

Isso acaba gerando um rendimento, um tanto quanto modesto.

Vou indicar um livro que estou lendo atualmente, Oito Séculos de Delírios Financeiros, escrito por Carmen Reinhart e Kenneth Rogoff.

Essa obra é muito interessante, uma vez que ela descreve varias situações onde países passaram por calotes, internos e externos.

Curso Online para Certificação CPA10

Posso citar alguns países, como por exemplo, a Alemanha, Argentina, Brasil, e tantos outros.

A obra ainda conta com planilhas, mostrando os países, divida versus PIB, e vários outros tipos de comparações.

Esse livro não é um dos mais baratos, porem é muito interessante, e de fácil entendimento.