Esse é um grande pesadelo tanto para os jovens que estão começando a carreira agora como os quarentões em meio de carreira.

Fique tranquilo você ainda pode mudar seu futuro e para te ajudar hoje vou lhe dar sete dicas exclusivas de como não ter uma aposentadoria pobre.

1 – Jamais confie no INSS

Essa é com certeza a dica mais importante de como não ter uma aposentadoria pobre. Além do INSS ser um caos absoluto e não haver certeza de quando e SE você vai conseguir se aposentar pelo INSS você receberá uma mixaria.

Alguns economistas e especialistas em finanças como Robert Kiyosaki (escritor do livro Pai Rico, Pai Pobre) afirmam que os sistemas governamentais de previdência são grandes pirâmides financeiras.

Eu sou obrigado a concordar com este raciocínio porque diferente de um sistema de previdência privada como VGBL ou PGBL a sua aposentadoria não é paga com os recursos que você acumula, e sim pelos novos entrantes no “sistema”.

Para você ter uma idéia, hoje o saldo negativo da Previdência Social é de R$184 bilhões de reais. Além disso um fator que agrava cada vez mais este déficit é o envelhecimento da população brasileira uma vez que vivemos cada vez mais e temos cada vez menos filhos.

Com isso não é difícil prever que o déficit da previdência só irá aumentar.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Toda essa situação da previdência social é insustentável o que torna cada vez maior a pressão por uma reforma radical do INSS.

O motivo é simples, quando houverem mais idosos aposentados do que pessoas trabalhando e contribuindo com o INSS a situação ficará completamente insustentável a exemplo do que aconteceu na Grécia.

Sem uma reforma o sistema simplesmente quebra e um dia ninguém mais recebe nada.

2 – Decida até quando você quer trabalhar

Até quando você gostaria de trabalhar? Até os 40, 50 ou 60? Sem saber até quando você deseja trabalhar (em algo que não gosta) é impossível planejar a sua aposentadoria ou a chamada independência financeira. 

Qual é o seu custo de vida hoje?

Uma dica importante. Lembre-se que quanto mais velho você fica, mais caro sua sobrevivência fica.

O preço dos planos de saúde por exemplo, são absurdos. Para te ajudar a responder esta pergunta lhe sugiro a leitura do artigo: Quanto custa ser velho no Brasil?

3 – Defina o seu custo de vida

Faça um cálculo de quanto você precisaria receber para viver sem apertos no futuro. Aqui é importante considerar a inflação. Eu não sou muito fã de projetos de rentabilidade de investimento porque as taxas de juros podem variar muito no longo prazo.

Mesmo assim é importante ter cálculo para ver o quanto você precisaria investir todos os meses pelo seu período de acumulação (até o momento em que você deseja se aposentar) para ter capital suficiente na hora de viver de renda.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Respondendo estas duas perguntas você já terá um ponto de partida para criar um planejamento financeiro.

Fazendo um pequeno jabá eu escrevi um livro inteiro falando sobre planejamento financeiro, como ter uma vida equilibrada com as finanças e como não ter uma aposentadoria pobre. O livro se chama “Tripé das Finanças Pessoais” e você pode adquiri-lo na Amazon por apenas R$ 19,90.

4 – Cuidado com as previdências privadas

Os planos de previdência privada podem ser um ótimo complemento a sua independência financeira. 

Mas estão longe de ser a melhor alternativa ao INSS. Isso porque a grande maioria dos planos tanto de VGBL como PGBL além de apresentar baixíssimas rentabilidades ainda cobram uma imensidão de taxas (veja mais em taxas cobradas na previdência privada).

Lembre-se que este tipo de investimento tem taxas escondidas que a tornam menos rentável do que aparenta. Uma das grandes armadilhas é a taxa de carregamento.

Digamos que você invista R$ 1.000,00 por mês com taxa de carregamento de 4%. Isso quer dizer que a cada 1.000 reais depositados você vai perder 40 reais ao depositar e estará investindo na verdade apenas R$ 960,00. Pode parecer pouco, mas só nesse exemplo em 30 anos você perderia R$ 27 mil!!!

5 – Conheça a mágica dos juros compostos

Sabe aquela dívida do seu cartão de crédito que era de R$ 1.000,00 e você foi pagando a parcela mínima? Adivinhe! Depois de um ano ela já está em 6 mil reais.

É claro que os bancos cobram juros exorbitantes e você nunca vai obter o mesmo percentual de juros que o banco lhe cobra, mas saiba que o mesmo tipo de bola de neve pode ser aplicado a seu favor. Quanto mais cedo você começar a investir menor precisa ser o valor investido.

Se você poupar R$ 1.000,00 por mês durante 30 anos (digamos dos 30 aos 60) você terá acumulado aproximadamente R$ 3.529.913,77. Agora, se você deixar tudo para última hora e optar por investir R$ 5.000,00 por 10 anos terá acumulado aproximadamente R$ 1.161.695,38.

Sabe qual a diferença? Investindo R$ 1.000,00 por mês você precisa tirar do seu bolso R$ 360.000,00. Já poupando por apenas 10 anos com aportes de R$ 5.000,00 você precisa desembolsar R$ 600.000,00.

Ou seja, no primeiro exemplo você poupa pouco mais da metade e tem mais do que o dobro de capital acumulado.

6 – Principal objetivo dos Investimentos é Vencer a Inflação

Essa é sem sombra de dúvidas uma dica fundamental de como não ter uma aposentadoria pobre.

Todos os anos o seu dinheiro vale um pouco menos devido a inflação (nem tão pouco a inflação acumulada desde o início do plano real foi de 438% até março de 2016 de acordo com o UolEconomia.

Logo uma dica de como não ter uma aposentadoria pobre é ter certeza de que seus investimentos começam cedo para que você se aproveite dos juros compostos e tenha certeza que estão rendendo acima da inflação todos os anos.

Infelizmente tenho uma má notícia para você, nos últimos anos a caderneta de poupança tem perdido para inflação.

Agora uma boa notícia, você não precisa entender de bolsa para investir bem. Hoje em dia com os robôs de investimento ou mesmo o tesouro direto qualquer um com mais de 18 anos pode fazer aplicações mensais a partir de 30 reais em investimentos muito mais rentáveis do que a poupança.

Lembre-se que quanto maior a remuneração do seu investimento maior será o valor acumulado no futuro para sua independência financeira.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

7 – Poupe no MÍNIMO 10% de sua renda

Obviamente quanto mais recursos e mais cedo você começar a poupar mais tranquilo será o seu futuro financeiro.

Quando falamos de finanças pessoais cada caso ou dúvida deve sempre ser analisado com cautela porque existem poucas verdades absolutas. Com anos de experiência a frente aqui da TopInvest, tendo feito centenas de consultorias financeiras e conversado com uma infinidade de pessoas que trabalham na área consegui encontrar apenas duas unanimidades:

  1. Tenha um fundo de reserva de 3 a seis meses da sua renda;
  2. Poupe no mínimo 10% da sua renda com a finalidade da aposentadoria ou independência financeira; 

Poupar 10% da sua renda (mesmo que você seja estagiário) irão se transformar em milhares de reais na hora em que você for parar de trabalhar.

Mas cuidado, estes 10% devem ser destinados a sua independência financeira em investimentos de longo prazo. Não adianta radicalizar, é importante ter uma vida financeira equilibrada.

Agora que você está em posse destas 7 dicas de como não ter uma aposentadoria pobre com certeza já deu um passo para seu futuro. Se você acha que alguma dica importante ficou de fora, por favor deixe nos comentários abaixo que terei prazer em incluí-la.