Muitas pessoas acreditam que ter o controle das finanças só é possível para quem tem um salário fixo.

Mas este pensamento não poderia estar mais equivocado. Existem diversas formas de estar com as finanças em dia mesmo não tendo uma remuneração certa ao final do mês.

Para que você não caia em ciladas financeiras, eu preparei um guia completo de como manter as contas em dia sem salário fixo.

Para que este material fique o mais didático possível, vou separá-lo em tópicos e com uma sequência cronológica para que você utilize o seu dinheiro de forma inteligente e saiba como manter as contas em dia, sem salário fixo.

Planejamento Financeiro

O ponto de partida para ter finanças saudáveis para trabalhadores que tem salário fixo é elaborar um diagnóstico da vida financeira.

E para que você consiga manter as contas em dia sem salário fixo não poderia ser diferente. É necessário que você deve crie um orçamento para planejar o uso do dinheiro.

Ter uma planilha para controlar as suas receitas e despesas ou mesmo utilizar um aplicativo de finanças pessoais faz uma diferença tremenda. Afinal, hoje você saberia precisar quanto dinheiro você ganhou e quanto gastou no mês passado?

Ao estruturar um planejamento financeiro, você tem a oportunidade de programar seus gastos antecipadamente. Desta forma fica muito mais fácil de saber quando algo saiu fora da rota.

O ideal é que você divida suas despesas por grupos de prioridade financeira. As categorias devem ser:

  • Despesas Fixas: Aquelas que você não vive sem e tem valor fixo como aluguel, condomínio e financiamento do automóvel.
  • Despesas Variáveis: Também são despesas imprescindíveis a sobrevivência mas não tem um valor fixo. Aqui entram despesas como água, luz e despesas com supermercado.
  • Despesas Descartáveis: Por último temos as despesas descartáveis. Estas podem ser fixas ou variáveis mas não são imprescindíveis a sobrevivência e podem ser cortadas em momentos de crise. Alguns exemplos são jantares, cinema e academia.

Dentro destas categorias você vai colocar as despesas e somar o total do grupo. No meu curso de finanças pessoais eu distribuo uma planilha pré configurada e ensino a configurá-la, mas você pode criar o seu modelo também.

Dessa maneira antes de receber sua renda será possível ter uma visão clara de como serão seus gastos no mês. Se você perceber que irá faltar dinheiro, é possível rearranjar as contas até que elas caibam no valor das receitas.

Digamos que você estipulou que vai gastar somente 400 reais por mês com roupas e acessórios pessoais. Cumpriu o seu objetivo até agora e surgiu um imprevisto com um gasto a maior em outra categoria. Você pode realocar os recursos para fechar o seu orçamento.

Com um planejamento financeiro você verá que é bem mais fácil manter as contas em dia sem salário fixo.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Tenha um fundo de emergência

Mas bem, o que é  um fundo de emergência? Um fundo de emergência não é nada mais do que uma reserva de dinheiro para lidar com qualquer situação imprevista sem a necessidade de alterar o seu orçamento. Ou pior ainda, acabar se endividando.

Este dinheiro que você deixa separado deve ser usado única e exclusivamente para emergências. Estas emergências normalmente são algo como doença, problemas com o seu carro ou casa, perda de emprego, falecimento de um parente…

Por que ter um fundo de emergência?

Faça-se as seguintes perguntas:

  • O que aconteceria se amanhã um membro da sua família tivesse grandes problemas de saúde e precisasse de um tratamento caro não coberto pelo plano de saúde?
  • O que aconteceria com a sua família se você morresse amanhã (sendo que você é o provedor da casa)?
  • O que aconteceria se amanhã você perdesse seu emprego?
  • O que aconteceria com a sua família se sua esposa morresse amanhã?
  • O que aconteceria se você batesse o carro e precisasse pagar a franquia do seguro?
  • O que aconteceria se você sofresse um sequestro relâmpago e o bandido circula-se com você pela cidade sacando todo o valor da sua conta e estourando o limite do cartão de crédito (o banco não é responsável por questões de segurança pública)?

Até aqui nenhuma novidade, afinal é um consenso no mundo das finanças pessoais ter um fundo de emergência. Agora vou te ensinar o que ninguém te fala sem pagar uma consulta financeira. Por que ter uma reserva de emergência não significa você deixar o dinheiro embaixo do colchão.

Você precisa dividir a sua reserva de emergência em duas porções. Uma pequena parte de até R$ 1.400,00 (valor máximo que você pode sacar em um caixa eletrônico) é ideal que você deixe um uma conta poupança.

Sim, a caderneta de poupança é um péssimo investimento justamente por isso deixar um valor pequeno investido nela. Vou te explicar… Este pequeno valor eu chamo de “EMERGÊNCIA URGÊNCIA”. É para algo muito urgente em um caso que você tenha que sacar um valor no meio da madrugada (como o caso do sequestro relâmpago) você tenha como fazê-lo.

O restante do valor você deve alocar em investimentos de renda fixa sem prazo de carência com uma rentabilidade mais atrativa. De nada adianta você ter uma reserva de emergência e não poder utilizá-la porque aplicou em um LCI e só pode retirar o investimento em seis meses.

Trace Metas ou objetivos

Ninguém economiza sem nenhum motivo, certo? O valor poupado que é resultante de sua economia será destinado a algo. O objetivo financeiro trata-se nesse caso, daquilo que você quer conquistar no curto, no longo e no médio prazo. Para isso tem uma fintech chamada OiWarren que pode te ajudar muito neste processo.

Geralmente as pessoas estipulam uma lista de prioridades de desejos conforme o estágio da vida em que se encontram. Estes objetivos devem estar em sintonia com o plano de carreira da pessoa para fortalecer o crescimento profissional.

Já as metas dizem respeito a quantificação do que se quer atingir como por exemplo quando se quer algo. No caso da organização financeira pessoal, a definição de metas possui grande importância para que o indivíduo não a perca a direção de onde quer chegar.

Se uma meta de poupança mensal não for cumprida, você precisa revisar o próprio planejamento para entender as causas da inconsistência e assim, melhorar a programação de suas contas.

Muita gente perde o controle de seu dinheiro por que não possui um método seguro na hora de utilizá-lo. Quem faz os cálculos de cabeça corre o risco de achar que ganha mais do que realmente ganha.

Anotar a movimentação de receitas e despesas faz parte das tarefas necessárias para a organização financeira pessoal. É importante também que você de prioridade a quitar as dívidas essenciais como aluguel, prestação do carro, alimentação, etc.

Somente depois de pagar as contas prioritárias você poderá usar parte do dinheiro para gastos supérfluos como ir no cinema ou comprar a roupa da moda.

Todos os meses você deve comparar o que foi orçado com o que de fato foi gasto. Vale lembrar que para você realmente ser financeiramente organizado precisa ganhar mais do que gaste. Ter um superávit.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Cuidado especial com o Cartão de Crédito

Tenha cuidado com o cartão de crédito mas não o abandone. Lembre-se sempre que ele é uma faca de dois gumes.

Muitos especialistas recomendam que você jogue seu cartão de crédito fora pois ele possui juros muito altos caso você não pague a fatura inteira. Além disso o cartão lhe incentiva a fazer compras.

Mas por mais que estes dois pontos estejam corretos caso você tenha autocontrole e não compre mais do que pode pagar sabendo que o cartão não é um salário extra e sim apenas um meio que permite você gastar o seu salário nunca gastando mais do que ganha, o cartão de crédito possui muitas vantagens tais como:

  • Maior prazo a mais para pagar a compra pelo mesmo preço (ótimo para ajudar manter as contas em dia sem salário fixo);
  • Dependendo do cartão, não é necessário pagar anuidade;
  • Programas de milhagem;
  • Muitas lojas oferecem parcelamentos “sem juros“ em até 12 vezes;

Lembre-se também que os pontos podem ser trocados por produtos que valem dinheiro. Desta forma se você pagar o mesmo valor por um produto em um cartão de credito que não possui anuidade e oferece sistema de pontos você estará pagando menos pelo mesmo produto.

Em caso de Emergência

Como comentei anteriormente você deve dividir as despesas do seu planejamento financeiro em despesas fixas, despesas variáveis e despesas descartáveis. Em caso de emergência você deve cortar ou suspender as despesas descartáveis.

As despesas classificadas como descartáveis são as mais importantes do seu planejamento financeiro se você está passando por um momento de dívidas. Aqui estão as despesas com viagens, jantares fora de casa, cinema e todas àquelas despesas que não são essenciais a sobrevivência.

Elas levam este nome justamente porque não são essenciais a sobrevivência e esse corte vai te ajudar a manter as contas em dia sem salário fixo.

Calma, não estou falando para cortar este tipo de gastos permanentemente. Mas seu sucesso financeiro depende de um esforço temporário para que você saia do endividamento e consiga estabilizar suas finanças no azul. O equilíbrio nas finanças é essencial para uma vida financeira e emocionalmente feliz.

A recomendação é que você corte todos os gastos descartáveis por um prazo determinado (este corte temporário é uma meta a ser alcançada, por isso deve ter um prazo pré-estabelecido).

No momento em que suas finanças estiverem estáveis, você deve buscar o equilíbrio com as despesas descartáveis. Separe um orçamento mensal para gastar com lazer e as experiências que lhe fazem feliz.

Busque outras fontes de renda

Uma das melhores coisas que podem acontecer para você manter o planejamento financeiro em dia é ter uma fonte de renda extra. Conseguir um aumento (vendendo mais por exemplo) normalmente é super difícil, então se a empresa permite você pode fazer horas extras para aumentar um pouco a sua remuneração pode ser uma boa opção.

Mas fazer horas extras ou ganhar um aumento não depende só de você. A boa notícia é que há diversas formas de conseguir uma renda extra e equilibrar as suas finanças pessoais. A melhor ideia é algum hobby que você possa remunerar.

Se você não tem nenhum hobby que possa ser remunerado uma saída pode ser as vendas diretas para grandes empresas. Algumas opções são a Natura, Hinode, CacauShow.

Basta escolher aquela que você se identifica mais e mãos a obra. Uma renda extra com certeza vai te ajudar muito a equilibrar as contas em um aperto e manter as contas em dia sem salário fixo.

Invista uma parte de sua renda

Não existe ninguém que quer trabalhar arduamente até o último segundo de sua vida certo? Mesmo gostando do que se faz, certa hora queremos diminuir o nosso ritmo de trabalho para não nos sobrecarregarmos e aproveitarmos mais a vida.

Por isso, você deve poupar uma parte de tudo que você ganha. Se você for jovem e não tiver pressa para uma aposentadoria digna, 10% do que você ganha serão suficientes. Já se você for mais apressado ou não tiver tanto tempo até parar de trabalhar vai ser necessário poupar uma parte bem maior de sua renda.

A melhor forma de construir uma grande reserva financeira para viver de renda na sua aposentadoria é começar a investir cedo. Inclusive, a minha frase predileta é uma do Einstein: “Os juros compostos são a maior invenção da humanidade.”

Investir de forma inteligente não ajudara somente em manter as contas em dia sem salário fixo mas como possibilitar a independência financeira.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Estude o máximo que puder sobre investimentos

Agora que você já sabe manter as contas em dia sem salário fixo está na hora de se preparar para o próximo passo. Apesar do que parece, esta não é nem de longe uma sugestão banal.

Ao longo dos anos pequenas diferenças na renda obtida em seus investimentos vão se transformar em dezenas, as vezes centenas de milhares de reais no seu patrimônio futuro tornando mais fácil que você alcance o sucesso financeiro.

Mesmo achando que seu dinheiro está bem investido, você não deve se acomodar. Procure no mínimo uma vez ao ano produtos concorrentes aos que você investe para conferir se a concorrência tem algo melhor a lhe oferecer.

Encontrar bons produtos de investimentos tem ficado cada vez mais fácil com a internet onde você tem fácil acesso a corretoras de valores que ofertam produtos muito mais interessantes do que os bancos.

Quanto mais você conhecer sobre investimentos, melhor serão seus retornos sobre seu patrimônio e mais cedo você irá alcançar o sucesso financeiro.

Enquanto trabalhamos intensamente não temos como dedicar muito tempo aos investimentos e por isso é nosso dever, para nosso próprio bem pesquisar diferentes instituições para ver onde estão as melhores oportunidades de investimento.

Aqui é importante lembrar que bons prestadores de serviço normalmente são bem pagos, muitas vezes a contratação de um consultor financeiro independente pode fazer toda a diferença para encontrar os melhores investimentos em um primeiro momento.

Quando você tiver mais tempo para estudar investimentos e já ter adquirido alguma experiência, será interessante você começar a conhecer investimentos fora da sua zona de conforto.

Algumas opções interessantes são os investimentos em ações, imóveis, fundos de investimento imobiliário, franquias, revendas e etc.

Quanto mais você estudar e frequentar eventos sobre o assunto, mais você vai aprender e mais cedo terá acesso as oportunidades que você sequer imaginava.

O hábito de estudar sobre investimentos tem um efeito incalculável na aceleração de acumulo de patrimônio.

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!