Com o BNDES é assim: todo mundo conhece, mas poucos sabem explicar com propriedade o que é ou o que faz. Afinal, ele é importante para nós, ou uma bomba prestes a explodir? 

Hoje, eu vou explicar tudo para você. Entretanto, primeiro…

O que é o BNDES?

Vamos começar pelo básico. O BNDES é o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Ele é um órgão público federal, que está vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Apesar de levar a palavra “banco” em seu nome, é importante lembrar que o BNDES é uma empresa pública. Em resumo, o seu objetivo é bastante simples e seu próprio nome já indica o conceito geral: fomentar a atividade econômica do país. Gerar renda, empregos e outras melhorias sociais também fazem parte das missões do BNDES.

Para isso, o BNDES promove ações que podem ser voltadas para empresas (focando na infraestrutura, por exemplo), ou que apoiem o comércio e os empreendedores individuais. Assim, como o foco da instituição é o desenvolvimento social, o lucro não é o objetivo principal. Por isso a gente não chama de banco, entendeu?

Como o BNDES funciona?

Como eu já mencionei, ele ajuda empresas e empreendedores a se desenvolverem. Aliás, uma vez que é um órgão público federal, há governos que o torna mais ou menos atuante. 

Detalhes à parte, o financiamento é o que há de mais interessante sobre a instituição. O BNDES concede à empresa ou ao empreendedor uma quantia que deve ser utilizada para uma finalidade específica.

É nesse ponto, aliás, que o crédito do BNDES se diferencia de um empréstimo comum. Quando um banco te empresta dinheiro, você pode usá-lo como quiser. Aqui, os objetivos são definidos: compra de maquinário, lançamento de novos produtos, entrada no comércio internacional, entre outros.

Além disso, a instituição também oferece crédito de fundo perdido. Ou seja, recursos que não precisam ser devolvidos. Esse tipo de crédito é oferecido principalmente para áreas da cultura, ciência, tecnologia e inclusão social. 

E ainda tem mais. O BNDES também pode, por exemplo, adquirir títulos de dívidas de empresas privadas. Em outras palavras, se torna uma espécie de investidor, ajudando a empresa a ter capital de giro. 

Lá no começo, eu expliquei que o principal objetivo da instituição é fomentar o desenvolvimento. Por isso, as condições oferecidas costumam ser bastante atrativas, principalmente se comparadas com os bancos tradicionais. 

O cartão de crédito BNDES também é uma opção. Com ele, uma empresa pode, por exemplo, comprar à vista seu maquinário em determinada loja. O parcelamento do valor gasto é feito posteriormente, direto com a instituição. Bacana, né?

E quais são as principais linhas de crédito disponíveis?

As opções não são poucas. Dá uma olhada nas principais:

  • Finame: voltado para aquisição de máquinas e equipamentos;
  • Finame Agrícola: mesmo foco da linha anterior, mas voltada para o mercado agrícola;
  • Finame Leasing: aquisição de máquinas, equipamentos e soluções de automação;
  • BNDES Automático: financiamento em valores iguais ou inferiores a 20 milhões, realizados por meio de instituições financeiras credenciadas;
  • Finem: mesma lógica da linha anterior, porém exclusivo para valores superiores a 20 milhões.

Um incentivo ao empreendedor

Depois de toda essa explicação, eu posso concluir uma coisa: o BNDES é uma excelente opção para pequenas e médias empresas. Inclusive, eu pessoalmente acredito que é excelente ter esse tipo de recurso para contar.

Você, investidor e empreendedor, já conhecia todas essas opções oferecidas para a instituição?

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!