Os Fundos de Renda Fixa alocam a maior parte (no mínimo 80%) de seus recursos em ativos de renda fixa. São fundos de natureza conservadora e buscam acompanhar a variação dos indicadores de renda fixa. O que veremos a seguir é que mesmo no segmento de renda fixa, existem subdivisões que separam os fundos de acordo com a especificidade de renda fixa que o fundo explora. Em outras palavras, temos sub-categorias que são:

TÍTULO DE RENDA FIXA DE CRÉDITO PRIVADO E DÍVIDA EXTERNA:

Um fundo de renda fixa que aloque mais da metade de seu PL em ativos de emissão privada está expondo o fundo a um risco de crédito maior e, por essa razão, deve constar em sua nomenclatura “Fundo de renda fixa crédito privado”

O Fundo de investimento que investe em ativos de crédito privado (lembra que todo ativo de renda fixa é um título de crédito, certo?), com percentual maior do que 50% de seu PL, deverá seguir as seguintes regras:

⯀ Na denominação do fundo, deverá constar a expressão “Crédito Privado”;

⯀ O regulamento, o formulário de informações complementares e o material de venda do fundo deverão conter, com destaque, alerta de que o fundo está sujeito a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo.

Nos títulos de Dívida Externa, o Fundo aplica no mínimo 80% de seu PL em dívida externa do país: 

TÍTULOS DE RENDA FIXA DE MERCADO DE ACESSO E BDR – NÍVEL 1:

O fundo de ações investe no mínimo 67% do seu Patrimônio Líquido em ações negociadas no mercado à vista de bolsa de valores. A performance destes fundos está sujeita à variação de preço das ações que compõem sua carteira. Por isso, são mais indicados para quem tem objetivos de investimento de longo prazo.

A tabela a seguir resume a classificação CVM com os respectivos critérios para os fundos se enquadrarem em sua categoria:

FUNDO CAMBIAL:

O Fundo Cambial é um fundo que usa moedas estrangeiras como parâmetro de rentabilidade. Um Fundo Cambial investe no mínimo 80% de seu PL em ativos que busquem acompanhar a variação de preços de moedas estrangeiras:

FUNDO MULTIMERCADO:

No caso dos fundos multimercados, não há restrição quanto a qual mercado a ser explorado, tampouco sobre o mínimo de PL que deve ser alocado em cada ativo. Em outras palavras, o fundo multimercado, por definição pode investir livremente em múltiplos mercados. O percentual mínimo que o fundo vai explorar de cada mercado estará descrito no regulamento do fundo apenas. Os fundos Multimercados podem ser de Longo Prazo ou de Crédito Privado:

Os fundos vistos anteriormente podem investir no exterior, mas são destinados exclusivamente a investidores qualificados ou profissionais.

Gostou do conteúdo? Sabia que temos muitos vídeos sobre certificações e investimentos no nosso canal do Youtube? Clique aqui para conhecer!