Hoje em dia todos sabem a importância de investir. Mas nem todos sabem como investir e por isso acabam seguindo a opinião do pior inimigo… o vendedor de produtos financeiros ou a opinião popular.

Se você pedir conselhos de investimento a pessoas que não têm muito conhecimento financeiro com certeza o resultado não será bom.

Além de investir em produtos que não estão de acordo com o seu objetivo existem muitos investimentos falsos por ai.

Para que você não caia mais nessas ciladas financeiras eu criei este artigo com os 5 principais investimentos falsos.

1) Veículos

Veículos não podem ser considerados investimentos por vários motivos. O primeiro deles é a desvalorização que é absurdamente alta. Assim que você tira o carro da concessionária ele já perdeu aproximadamente 10% de seu valor. E a desvalorização se repete ano após ano.

Em segundo lugar podemos elencar os altíssimos custos envolvidos na posse de um automóvel. Os custos são tantos que cheguei a escrever um material específico ajudando as pessoas as analisarem o que é mais econômico: Comprar um carro ou andar de Uber.

Os principais gastos com automóvel são o IPVA, seguro, combustível, manutenções (você deve fazer a cada ano ou 10.000 km), garagem e estacionamento, eventuais acidentes e muito mais.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

2) Títulos de capitalização

Não. Título de capitalização não é um investimento e esse é o principal vilão dos investimentos falsos quando você vai no banco.

Os títulos de capitalização funcionam como apostas. Sabe a tele-sena? Esse é um título de capitalização. Esse é um produto no qual o cliente pagam um valor para participar de sorteios de prêmios e ao final recebem parte do valor pago.

Apesar de parecer muito tentador ganhar prêmios, se você parar para pensar as únicas pessoas que levam vantagem ao comprar títulos de capitalização são aquelas sorteadas (suas chances são pequenas) e claro, o banco.

Durante o tempo de vigência do título o seu dinheiro fica parado não trazendo nenhum retorno com juros ou outro tipo de rendimentos. Isso sem falar que muitos títulos tem uma vigência longa chegando a 36 meses. E, se você precisar retirar o dinheiro antes do prazo além de não receber nenhum centavo de juros é bem provável que você tenha que pagar multas perdendo um valor substancial de tudo aquilo que já foi pago.

3) Marketing Multinível

Antes de tudo gostaria de deixar claro que não tenho nada contra o marketing multinivel. Inclusive é uma forma muito democrática de empreendedorismo. Mas não é um investimento.

Outra coisa que você deve prestar atenção é saber diferenciar marketing multinível de pirâmide financeira. Em muitos casos de marketing multinível o produto é só uma fachada para ocultar o crime de pirâmide. Estes esquemas de pirâmide prometerem lucros astronômicos com pouco ou nenhum trabalho. Por isso, cuidado. Você pode estar caindo em um golpe.

Nas pirâmides os “investidores” são remunerados por indicações e normalmente não há nenhum produto real. Quem entra cedo no esquema, vai recebendo um percentual de todos os novos entrantes. No começo quando tem muita gente entrando é super lucrativo. O problema começa quando os “novos investidores” param de entrar no esquema e vai tudo abaixo.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Já o marketing multinível é um negócio legal (em termos de legislação) e uma forma muito interessante e democrática de empreendedorismo. Com pouquíssimos recursos você pode se tornar um empreendedor. Uma das grandes vantagens neste meio é que existem produtos de diversos ramos diferentes e as companhias proporcionam diversos treinamentos para que você evolua na carreira.

O ponto aqui é que marketing multinível exige muito trabalho e por isso ele é considerado um dos investimentos falsos.

4) Previdência privada

Apesar de as previdências privadas cumprirem o seu objetivo (fornecer dinheiro quando você estiver velho demais para trabalhar) elas na verdade são seguros resgatáveis. Inclusive o órgão que regulamenta as previdências é a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados).

Via de regra este produto ofere uma baixa rentabilidade (as vezes menos até que a poupança) e tem custos elevadíssimos. Nos planos de previdência é comum a cobrança de taxas e mais taxas (principalmente naqueles oferecidos pelos bancos). As principais taxas nas previdências são:

  • Taxa de Administração
  • Taxa de Carregamento
  • Taxa de Saída
  • Taxa de Performance

Dentre estas taxas o maior vilão é a taxa de carregamento. Não é raro encontrar produtos de previdência cobrando 5% de taxa de carregamento. Isso quer dizer que se você investir mensalmente R$ 100,00 na sua previdência privada, na verdade apenas R$ 95,00 serão de fatos acumulados para sua aposentadoria. Os R$ 5,00 a instituição financeira já lhe cobra antes mesmo de investir.

A previdência privada não é tão ruim assim e existem sim bons produtos negociados no mercado financeiro. Quando falamos de planejamento sucessório o PGBL e VGBL podem ser ótimas ferramentas mas isso é assunto para outro artigo.

Mas o motivo de considerar previdência um dos investimentos falsos é que na verdade trata-se de um seguro resgatável.

5) Consórcio

Este foi o meu vilão quando estava aprendendo sobre investimentos.

Em primeiro lugar o consórcio não é um investimento porque ao invés de receber juros você paga uma taxa de administração para que uma empresa guarde o dinheiro para você comprar um bem no futuro.

Estas taxas são altíssimas e chegam a 16% ao ano. O grande discurso é que no consórcio você não paga juros, mas de certa forma pagando taxas de administração elevadas o resultado é basicamente o mesmo.

O Novo Investidor - Tudo sobre Investimentos, Finanças e Economia

Outro ponto é que o consórcio funciona com base no sorteio que são chamados de contemplação. Enquanto você não for contemplado você vai pagando as parcelas sem ter a posse do bem. E, em um segundo momento quando você for finalmente contemplado acaba funcionando como um financiamento normal. Agora, já pensou fazer um consórcio de imóvel de 20 anos e ficar 19 anos pagando sem morar no imóvel? 

Lá nos 19 anos você terá pago um valor muito alto em taxas de administração. Se você tivesse aplicado este valor no tesouro selic por exemplo teria muito, mas muito mais dinheiro.

Considerações Finais

Para ser considerado um investimento o bem ou serviço adquirido deve “colocar dinheiro no seu bolso”. Já tudo que tira dinheiro do seu bolso é chamado de passivo ou despesa. Essa é uma das definições que aprendemos no livro Pai Rico Pai Pobre que é praticamente uma bíblia das finanças pessoais.

De acordo com o Robert Kyosaki autor do livro o enriquecimento é difícil e depende de muito esforço, dedicação e disciplina. Mas em termos de conhecimento é relativamente simples, afinal de contas você precisa comprar ativos (coisas que colocam mais dinheiro no seu bolso) e ficar longe dos passivos (coisas que tiram dinheiro do seu bolso).

Errar é humano e eu mesmo já cai em alguma destas armadilhas quando era jovem e não tinha o conhecimento que possuo hoje. O consórcio é o grande vilão da minha juventude financeira devido a promessas de contemplação dos vendedores. E você? Já caiu em alguma destas investimentos falsos?